Compartilhe...
www.cyocaminho.com

Escrituras Sagradas segundo oNome

[página inicial de cada capítulo; compare os textos LP & LM]

LP – Linguagem Padrão 

LM – Linguagem Moderna

 

I LIVROS [Ordem Cronológica]


TANAKH [VT]



A RENOVADA ALIANÇA  [NT]

 

 
 

2

EXODO [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Shuamos 1

Os yaoshorul’itas oprimidos

1Estes são os nomes dos filhos de Yaoshor’ul (Yah’ kof) que vieram com ele para o Egypto com as suas famílias: 24Ro’ul-iben, Shami’ul, Levih, Yaohu’dah, Ishochar, Zabulon, Benyamim, Dayan, Neftali, Gaold e Oshor. 5Foram, pois ao todo com ele 70 pessoas. Yao’saf estava já no Egypto. 67Depois, tanto Yao’saf como cada um dos irmãos foi morrendo, tendo assim desaparecido toda aquela geração. Mas, entretanto os seus descendentes multiplicaram-se de tal forma que depressa se tornaram uma grande nação, enchendo toda aquela terra de Goshem onde habitavam. 810Passados [quatrocentos] anos, chegou ao trono um rei que não sentia nenhuma obrigação para com a família e os descendentes de Yao’saf, e que disse ao seu povo: Estes yaoshorul’itas tornaram-se um perigo porque são muitos e fortes. Vamos, pois tomar medidas convenientes para pôr fim a isto. Caso contrário se vier uma guerra, juntar-se-ão aos nossos inimigos lutando contra nós e dessa forma fugirão do país. 1114Assim os egypcios começaram a oprimi-los e impuseram-lhes capatazes que os subjugaram com cargas insuportáveis enquanto estavam trabalhando na construção das cidades de entreposto Pitom e Ramses. Mas, quanto mais os subjugavam tanto mais se reproduziam; de forma que os egypcios se alarmavam. Por isso tornavam a escravidão dos yaoshorul’itas ainda mais amarga, forçando-os a mourejar sem descanso nos campos, com toda a espécie de pesadas cargas e duros trabalhos, com barro e tijolos. 1518Então faraóh, o rei do Egypto, deu instruções às parteiras dos hebreus – que se chamavam uma Sifrah e a outra Puah – para que, quando lhes nascessem filhos, se fossem meninos que os matassem; se fossem meninas que as deixassem vivas. Mas, as parteiras tinham respeito pelo Criador e não obedeceram ao rei; deixaram viver os meninos igualmente. Então o rei mandou chamá-las e perguntou-lhes: Porque é que não fizeram o que eu mandei e não mataram os meninos? 19Porque as mulheres hebréias, responderam, são muito rápidas para terem os bebês, de forma que quando lá chegamos é sempre depois do tempo. Nisso não são como as egypcias. 20YAOHUH abençoou as parteiras e o povo de Yaoshor’ul continuou a multiplicar-se e se foi tornando muito forte. O Criador deu a essas mulheres filhos e uma família próspera porque souberam respeitar a sua vontade. 2122Perante isto, o faraóh mandou ao seu povo que pegasse ele próprio em todos os meninos recém-nascidos dos hebreus e os lançassem ao rio Nilo, mas, que às meninas lhes poupassem a vida.

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

SHUAMOS 1

14. ESTA É A LISTA dos filhos de Yah’kof, que foram com ele e com as famílias deles para o Egypto: R’ul-iben, Shami’ul, Leví, Yaohu’dah, Ishochar, Zabulon, Benyamín, Dayan, Neftali, Ga’old e Oshor.

5. O número total de descendentes de Yah’kof que foram com ele era 70. Sem contar José/Yao’saf, que já estava no Egypto.

6. Passou o tempo, e morreram Yao’saf, os irmãos dele e todos os da geração deles.

7. Mas os descendentes deles eram muito férteis, e aumentaram muito em número e em poder. Aconteceu uma verdadeira explosão da população yaoshorul’ita! Tanto que logo eles encheram o território de Gosen!

8. Nesse meio tempo, a um novo rei subiu ao trono do Egypto. Ele não tinha nenhuma ligação com José/Yao’saf.

9. O novo rei disse ao povo: Estes yaoshorul’itas estão ficando perigosos. Eles são mais numerosos e mais fortes do que nós!

10. Precisamos ser inteligentes, e arranjar um meio de enfraquecer essa gente. Se não, vai acontecer que, quando guerrearmos, os yaoshorul’itas ajudarão os nossos inimigos, e fugirão do país.

11. Então os yaoshorul’itas foram obrigados a trabalhar como escravos. Foram eles que construíram as cidades-celeiros de Pitom e Ramessés. Enquanto trabalhavam, eram vigiados e maltratados por mestres de obras que punham pesadas cargas sobre eles.

1214. Mas quanto mais maltratavam a eles, mais cresciam e multiplicavam no país! Os egypcios foram ficando cada vez mais assustados, com o crescimento dos yaoshorul’itas. Então pioraram o tratamento dado a eles. Os yaoshorul’itas sofreram escravidão mais dura ainda. Tinham de trabalhar com tijolos e reboco nas construções, e tinham de fazer os serviços do campo.

1517. Faraóh, o rei do Egypto, deu ordens às parteiras hebréias. Eram duas, e se chamavam Sifrá e Puá. Mandou que elas matassem todos os meninos hebreus, assim que nascessem. Só deviam deixar viver as meninas. Mas as parteiras temiam ao CRIADOR, e não obedeceram ao rei. Deixaram viver os meninos também.

18. O rei mandou chamar as duas e perguntou: Por que me desobedeceram? Por que deixaram viver os meninos?

19. Maoro’eh, disseram elas, as mulheres hebréias têm muita saúde. As crianças nascem facilmente. Assim, quando chegamos as crianças já nasceram! São diferentes das mulheres egípcias.

2021. O CRIADOR abençoou as parteiras e às famílias delas, porque tiveram temor do ETERNO.

22. Aí o faraóh deu uma ordem terrível a todos os egypcios. A ordem foi esta: Vocês têm de jogar no rio Nilo todos os meninos, hebreus que nascerem. Só deixem viver as meninas.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3

LEVÍTICO [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Viyaokroh 1

12UL falou a Mehu’shua do tabernáculo, e mandou-lhe que desse as seguintes instruções ao povo de Yaoshor’ul: Quando sacrificarem a YAOHUH tragam animais do vosso gado, dos vossos rebanhos. 3Se o vosso sacrifício for de ovelhas que oferecem como oferta queimada, que seja sempre um macho, sem defeito. Tragam o animal até à porta do tabernáculo onde os sacerdotes aceitarão a sua oferta a YAOHUH. 49A pessoa que oferece porá a mão sobre a cabeça do animal. A morte do animal será aceito por YAOHUH em lugar da morte do homem que o trouxe; essa morte é o castigo dos seus pecados. O homem matará então o animal ali perante YAOHUH; e os filhos de Aharon, os sacerdotes, apresentarão o sangue a YAOHUH, espargindo-o à volta do altar que está à entrada do tabernáculo. Depois os sacerdotes tirarão a pele do animal e o partirão em pedaços. Porão lenha sobre o altar, acenderão o fogo e colocarão os pedaços, a cabeça e a gordura sobre a lenha. Os órgãos intestinos e as patas deverão ser lavados com água, e depois os sacerdotes queimarão tudo sobre o altar, e será um holocausto com que YAOHUH se agradará. 1013Se o vosso sacrifício for uma ovelha ou uma cabra como oferta queimada, deverá ser igualmente um macho, sem defeito. O homem que o trouxer matá-lo-á perante YAOHUH, no lado norte do altar, e os filhos de Aharon, os sacerdotes, espargirão o seu sangue à volta do altar. Então o homem esquartejá-lo-á, e os sacerdotes porão os pedaços, mais a cabeça e a gordura, sobre a lenha no altar. Porém as partes intestinais e as patas serão primeiro, lavados com água. Depois os sacerdotes queimarão tudo sobre o altar como uma oferta a YAOHUH. É uma oferta queimada com que YAOHUH se agrada. 1415Se o vosso sacrifício for um pássaro como oferta queimada, deverá escolher entre uma rola ou um pombinho. Um sacerdote trará a ave sobre o altar, torcer-lhe-á o pescoço e o sangue será escoado junto do altar. 16Então o sacerdote tirará o papo e as penas, lançando-os para o lado oriental do altar, para o lugar onde estão as cinzas. 17Depois fende-a por entre as asas, mas sem as separar, e queimará tudo sobre o altar. É uma oferta queimada com que YAOHUH se agrada.

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

VIYAOKROH 1

12. O CRIADOR CHAMOU Moisés/Mehu’shua ao Tabernáculo para falar com ele ali Mandou que ele desse as seguintes instruções ao povo de Yaoshor’ul: Quando vocês oferecerem sacrifício ao ETERNO, usem animais da boiada ou dos rebanhos de animais menores que pertencem a vocês.

3. Se algum de vocês quiser oferecer um boi, como oferta queimada, deve usar um touro novo sem defeitos físicos. Traga o animal à entrada do Tabernáculo. Ali os sacerdotes aceitarão a sua oferta, diante do ETERNO.

4. Aquele que estiver fazendo a oferta, porá a mão sobre a cabeça do animal, para que seja aceito no lugar do homem, como se fosse ele. Quer dizer que o animal é sacrificado, sofrendo em lugar do homem o castigo dos pecados dele. E o homem fica livre do castigo desses pecados.

5. O homem matará o novilho diante do ETERNO. Então os filhos de Aharon: Os sacerdotes: apresentarão o sacrifício ao ETERNO, borrifando o sangue em todos os lados do altar que está na entrada do Tabernáculo.

6. Eles deverão tirar a pele do novilho e cortar o animal em pedaços.

7. Depois, farão fogo sobre o altar, arrumando bem a lenha para o fogo.

8. Ajeitarão também os pedaços junto com a cabeça e a gordura, sobre a lenha do fogo sobre o altar.

9. Os órgãos internos e as pernas serão lavados com água e depois queimados sobre o altar pelos sacerdotes. Então será uma oferta queimada aceitável, que agradará ao ETERNO.

10. Se a oferta for de animal pequeno, ou seja de carneiro ou cabrito terá de ser um macho sem defeito.

11. O homem que estiver fazendo a oferta, terá de matar o animal diante do ETERNO. Fará isso no lado norte do altar. E os filhos de Aharon: Os sacerdotes borrifarão o sangue sobre o altar, em todos os lados.

12. Depois o homem cortará o animal em pedaços. Os sacerdotes colocarão os pedaços, juntamente com a cabeça e a gordura, em cima da lenha, no altar.

13. Mas os órgãos internos e as pernas terão de ser primeiro lavados com água. Então os sacerdotes queimarão tudo sobre o altar, como oferta ao ETERNO. Pois as ofertas queimadas agradam ao ETERNO.

14. Se a oferta em sacrifício queimado for de aves, poderá ser de rolinhas ou pombinhas.

15. O sacerdote trará a ave ao altar e destroncará o pescoço dela com a mão. Depois queimará tudo sobre o altar, e derramará o sangue, de modo que ele escorra pela parede do altar.

16. Então o sacerdote tirará o papo, com as penas, e jogará tudo isso para o lado leste do altar, junto com as cinzas.

17. Em seguida, agarrando a ave pelas asas, rasgará o corpo dela, mas sem que fique inteiramente partido. E o sacerdote queimará isso sobre o altar. E o ETERNO terá prazer neste sacrifício.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4

Números [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Bamidvar 1

Recenseamento dos yaoshorul’itas

1No dia quinze de abril do segundo ano depois dos yaoshorul’itas terem deixado o Egypto, o Criador deu as seguintes instruções a Mehu’shua, que se encontrava nessa ocasião no tabernáculo enquanto Yaoshor’ul estava acampado na península de S’neah: 215Faz um recenseamento de todos os homens yaoshorul’itas, partindo da idade de vinte anos, que sejam aptos para combater; indica também a tribo e a família de cada um. Tu e Aharon ficarão responsáveis por essa iniciativa, e serão assistidos pelos chefes de cada tribo. Deste modo: Ro’ul-iben – Ulitzur, filho de Sedeur; Shami’ul – Salumi’ul, filho de Tzuri’shuaodai; Yaohu’dah – Naoshon, filho de Aminaodab; Ishochar – Naokhan’ul, filho de Zuar; Zabulon – Uliab, filho de Helom; Dos filhos de Yao’saf: Efroim – Ulishama, filho de Amiude; Menashes – Gamali’ul, filho de Pedazur; Benyamim — Abidan, filho de Gideoni; Dayan – Alezer, filho de Ami’shuaodai; Oshor – Pagi’ul, filho de Ocran; Gaold – Uliyafe, filho de Deu’ul; Neftali – Airah, filho de Enan. 16Foram estes os nomeados para a tarefa indicada. 1719Nesse mesmo dia Mehu’shua e Aharon, com os chefes acima indicados, convocaram todos os homens de Yaoshor’ul com idade partindo de vinte anos para virem registrar-se e indicar a sua tribo e família, tal como UL mandara a Mehu’shua:

2046Foi esta a contagem final: Ro’ul-iben, o filho mais velho de Yah’kof – 46.500 Shami’ul – 59.300 Gaold – 45.650 Yaohu’dah – 74.600 Ishochar – 54.400 Zabulon – 57.400 Yao’saf: Efroim – 40.500 Yao’saf: Menashes – 32.200 Benyamim – 35.400 Dayan – 62.700 Oshor – 41.500 Neftali – 53.400. Total: 603.550. 4753Esta relação não incluem os levitas porque UL tinha dito a Mehu’shua que isentasse os levitas dessa obrigação e não os incluísse no recenseamento; pois a sua atividade está relacionada com o tabernáculo e o seu transporte. O dever deles já é viver junto dele, e assim, quando tiver de ser deslocado, os levitas terão de desmontá-lo para tornar a armá-lo onde for preciso. Outra pessoa, quem quer que seja que venha a tocar nele morrerá. Cada tribo levantará o seu acampamento em áreas separadas, com a sua bandeira própria. Mas, os levitas agrupar-se-ão à volta do tabernáculo como uma parede entre o povo e a severidade de UL Santo – para protegê-los da ira celestial contra os pecados deles. 54Todas estas instruções de UL a Mehu’shua foram postas em execução.

 

LINGUAGEM MODERNA:

BAMIDVAR 1

1. FOI NO DIA 15 de abril no segundo ano depois que os yaoshorul’itas deixaram o Egypto que o CRIADOR deu as seguintes ordens para Mehu’shua. Mehu’shua estava então no Tabernáculo no acampamento de Yaoshor’ul, na península do Sinai/S’neah.

215. Conte o número de todos os homens com vinte anos de idade ou mais, e que podem ir à guerra. Não se esqueça de indicar a tribo e a família de cada homem. Você e Aharon vão dirigir esta tarefa e os líderes de cada tribo vão ajudar. Deste modo: Ro’ul-iben – Ulitzur, filho de Sedeur; Shami’ul – Salumiul, filho de Tzuri-shuaodai; Yaohu’dah – Naoshon, filho de Aminaodab; Ishochar – Naokhan’ul, filho de Zuar; Zabulon – Uliab, filho de Helom; Dos filhos de Yao’saf: Efrohim – Ulishama, filho de Amiude; Menashe – Gamaliel, filho de Pedazur; Benyamín—Abidã, filho de Gideoni; Dayan – Alezer, filho de Ami’shua-odai; Oshor – Pagiel, filho de Ocrã; Ga’old – Uliyafe, filho de Deu’ul; Neftali – Airá, filho de Enã.

16. Esses foram os líderes que cada tribo escolheu.

1719. No mesmo dia Mehu’shua, Aharon e os líderes escolhidos reuniram todos os homens de Yaoshor’ul que tinham vinte anos de idade ou mais para saber quantos eram e de que tribo e família eles vinham. Fizeram como UL tinha ordenado a Mehu’shua.

2046. Foi esta a contagem final: Ro’ul-iben, o filho mais velho de Yah’kof – 46.500; Shami’ul – 59.300; Ga’old – 45.650; Yaohu’dah – 74.600; Ishochar – 54.400; Zabulon – 57.400; Yao’saf: Efrohim – 40.500; Yao’saf: Menashe – 32.200; Benyamín – 35.400; Dayan – 62.700; Oshor – 41.500; Neftali – 53.400. Total: 603.550.

4749. Este total não incluiu os levitas porque o CRIADOR disse a Mehu’shua: Você não deve fazer a contagem da tribo de Leví, nem deve incluir o número de levitas no total geral.

50. Mas diga aos levitas que devem cuidar e fazer o transporte do Tabernáculo. Os levitas devem morar junto ao Tabernáculo.

51. Quando o Tabernáculo mudar de lugar, só os levitas é que vão desmontar e montar o Tabernáculo. Qualquer outra pessoa que encostar no Tabernáculo vai morrer.

52. Cada tribo de Yaoshor’ul terá um lugar separado para acampar, e nesse lugar ficará a bandeira da tribo.

53. As barracas dos levitas vão ficar em volta do Tabernáculo e serão uma espécie de muro entre o povo de Yaoshor’ul e a ira do ETERNO. Isto é para proteger os filhos de Yaoshor’ul da ira que o CRIADOR tem do pecado do povo.

54. Então os filhos de Yaoshor’ul obedeceram a tudo isto que o CRIADOR ordenou através de Mehu’shua.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5

DEUTERONÔMIO [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Devarim 1

Ordem para deixar Horeb

1Este livro registra as palavras que Mehu’shua comunicou ao povo de Yaoshor’ul, quando estavam acampados no vale de Arabah, no deserto de Moab, do lado nascente do rio Yardayan; e que era a região das cidades de Sufe, Paran, Tof’ul, Laban, Hazerote e Di-Zaabe. 23Estas falas foram-lhes dirigidas no dia 15 de fevereiro, quarenta anos após terem deixado o Monte Horeb – ainda que haja apenas onze dias de viagem a pé do Monte Horeb até Cades-Barneia, indo pelo monte Seir! 4Na altura em que estas palavras foram ditas, o rei Seon dos amorreus tinha sido derrotado em Hesbom, e o rei Ogue de Basan também já fora vencido em Astarote, perto de Edrei. 5Esta é, pois a fala que Mehu’shua fez a Yaoshor’ul, expondo todas as leis que o UL lhe mandara comunicar-lhes: 68Foi a quarenta anos, no Monte Horeb que UL, o nosso UL, nos disse: ‘Ficaram aqui já bastante tempo. Agora vão e ocupem as colinas dos amorreus, o vale de Arabah, o Negev e toda a terra de Kena’anu e do Lebanon – toda a área que vai do Mediterrâneo até ao rio Eufrates. Dou-vos todo este território. Possuam-na, pois que se trata da terra que UL prometeu aos vossos antepassados Abrul’ han, Yatzkh’aq, Yah’kof e a todos seus descendentes’.

Mehu’shua nomeia auxiliares

913Por essa altura eu disse ao povo: ‘Preciso de ajuda. Vocês é um fardo grande demais para eu levar sozinho, porque UL vos multiplicou como as ‘cocaavhim’ (estrelas). E que ele possa multiplicar-vos mil vezes ainda mais, e abençoar-vos tal como vos prometeu. Mas, que pode um só homem fazer perante todas as vossas disputas e os vossos problemas? Por isso escolham alguns homens de cada tribo que sejam pessoas de bom senso, compreensivas e com experiência da vida, e nomeá-los-ei como vossos chefes’. 1417Eles concordaram com isso; tomei os homens que selecionaram, alguns de cada tribo, e designei-os para assistentes administrativos por escalões de mil, de cem, de cinquenta e de dez pessoas, para deliberarem quanto às questões que lhes fossem apresentadas, e para prestarem assistência em geral cada dia. Instruiu-os para que fossem sempre perfeitamente justos, mesmo para os estrangeiros. ‘Quando tomarem decisões’, disse-lhes, ‘nunca favoreçam um indivíduo porque ele é rico, por exemplo; sejam justos, tanto para os grandes como para os pequenos. Não temam o desagrado das pessoas, pois que estão a julgar em Shuam (Nome) de UL. Tragam-me cada caso cuja dificuldade vos ultrapassar, e eu o resolverei’. 18Aliás dei-lhes até mais outras instruções nessa altura. 1920Deixamos então o Monte Horeb e atravessamos o grande e terrível deserto, tendo finalmente chegado às colinas dos amorreus, para onde o UL nos tinha dirigido. Estávamos em Cades-Barneia e disse ao povo: 21‘UL deu-nos esta terra. Vão e conquistem-na. Nada receiem e não duvidem!’ 22Mas, eles replicaram: ‘Primeiramente, enviemos espias para descobrirem o melhor caminho para lá entrar, e para escolherem as cidades que devemos capturar primeiro’. 23Isto pareceu ser uma boa idéia. Por isso escolhi doze espias, um de cada tribo. 2425Atra-vessaram as colinas e vieram até ao vale de Esh’kol, tendo regressado com amostras dos frutos da terra. Bastava vê-los para nos convencermos de que se tratava na verdade de uma ótima terra, essa que UL, nosso Criador nos dera!

Rebelião contra UL

2628Mas, o povo recusou ir conquistá-la, e rebelou-se contra a ordem de UL. Lamentaram-se e murmuraram nas suas tendas: ‘UL deve odiar-nos, trazendo-nos do Egypto até aqui para sermos assassinados por estes amorreus. Porque é que precisamos ir para lá? Os nossos irmãos que foram observar a terra aterrorizaram-nos com o seu relato; dizem que o povo da terra é forte e de alta estatura, e que tem cidades fortificadas com muralhas altíssimas, até ao shan’ mayao (céu)! Até viram lá gigantes, dos descendentes de Anaquim!’ 2931Mas, disse-lhes: ‘Não estejam com medo! UL é o vosso maoro’eh, e lutará por vós com o seu poder divino, tal como o viram fazer no Egypto. E vocês sabem como ele cuidou de vocês dia após dia aqui no deserto, e que foi como um pai para cada um!’ 3233Mas, de nada serviu tudo o que eu disse. Recusaram crer em UL, nosso Criador que os tinha conduzido momento após momento, selecionando-lhes os melhores lugares para acamparem, guiando-os clara e seguramente por meio duma nuvem de fogo durante a noite e duma nuvem branca de dia. 3436UL ouviu os lamentos deles e ficou muito irado. Garantiu então que nem uma só pessoa de toda aquela geração viveria tempo bastante para poder ver a boa terra que prometera aos seus antepassados, com exceção de Caleb filho de Yefoneh, o qual, pelo fato de ter seguido inteiramente a UL’HIM, haveria de receber como sua herança pessoal uma parte da terra na qual já tinha penetrado. 3740Mesmo comigo o UL ficou também zangado, por causa de vocês, e disse-me: ‘Não entrarás na terra prometida! Será antes o teu assistente, Yao’sh filho de Nun, quem lá fará entrar o povo. Anima-o a preparar-se para tomar a liderança. A terra será dada às crianças de quem eles agora dizem ter medo que venham a morrer no deserto. Mas, quanto a vocês, os mais velhos, voltem para trás, e tornem a atravessar o deserto em direção do Mar Vermelho’. 41Então confessaram: ‘Pecamos! Estamos agora decididos a entrar na terra e lutando por ela, tal como UL, nosso Criador nos disse’. Pegaram nas armas, e pensaram que seria fácil conquistar o território. 42Mas, UL ordenou-me: ‘Diz-lhes para não fazerem isso, porque não irei com eles; serão vencidos pelos seus inimigos’. 4346Comuniquei-lhes esse aviso, mas, não quiseram ouvir. Desobedeceram novamente às ordens de UL e insistiram em penetrar na terra para lutar. Os amorreus, que lá viviam, vieram ao encontro deles, perseguiram-nos como se fosse um bando de abelhas e feriram-nos; isto se passou entre Seir e Horma. Regressaram então e choraram perante YAOHUH, sem que este, contudo os escutasse. Ficaram assim naquele local, em Cades, durante muito tempo.

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

DEVARIM 1

1. ESTE LIVRO CONTÉM o discurso de Mehu’shua a Yaoshor’ul, quando o povo estava acampado no vale do Arabá, no deserto de Moabe, a leste do rio Jordão/Yardayan. O acampamento estava entre as cidades da região de Sufe, Parã, Tof’ul, Labã, Hazerote e Di-Zaabe. O discurso foi pronunciado a 15 de fevereiro; aproximadamente quarenta anos depois que Yaoshor’ul saiu do monte Horeb. E olhe! A viagem a pé, do monte Horeb até Cades-Barnéia, cruzando a montanha de Seir, toma somente onze dias! Na ocasião em que foi feito este discurso, Yaoshor’ul tinha derrotado Siom, rei dos amorreus, em Hesbom, e Ogue, rei de Basã, em Astarote, junto a Edrei. Ali, pois, na terra de Moabe, a leste do Jordão/Yardayan, Mehu’shua dirigiu a palavra a Yaoshor’ul, explicando todas as leis conforme o CRIADOR tinha ordenado. Eis o discurso:

68. Faz quarenta anos, o CRIADOR, nosso UL, falou conosco, quanto estávamos no Horeb. Vão agora, e tratem de ocupar a região montanhosa dos amorreus, o vale do Arabá, o deserto do Negev, toda a terra de Canaan/Kena’anu; e o Lebanon: todas as terras que vão da costa do Mediterrâneo até o rio Eufrates. Estou dando esse território inteiro a vocês. Tratem de entrar e tomar posse dessas terras, pois são as terras que eu, o CRIADOR, prometi aos seus antepassados Abrul’han, Yahtzk’haq e Yah’kof, e aos descendentes deles.

913. Na mesma ocasião, eu disse a vocês: ‘Preciso de ajuda! Vocês são uma carga pesada demais para eu levar sozinho! Pois o CRIADOR fez com que aumentassem tanto, que hoje formam uma multidão numerosa como as estrelas: Que o CRIADOR abençoe e multiplique vocês mil vezes mais, como prometeu! Mas como pode um só homem suportar o peso, as questões e os problemas de um povo tão numeroso? Assim, escolham de cada tribo alguns homens inteligentes, experimentados e compreensivos para serem nomeados por mim como chefes.

1416. Vocês concordaram, e escolheram alguns homens de cada tribo. Eles foram então nomeados assistentes administrativos. Deviam cuidar de grupos de mil, de cem, de cincoenta e de dez para decidir as questões surgidas, e para dar todo tipo de assistência a eles. Dei instruções para que eles agissem como juízes justos e retos em todas as questões que aparecessem entre vocês, mesmo quando estivesse envolvido algum estrangeiro.

1718. ‘Quando tiverem de tomar alguma decisão’, eu disse a eles, não favoreçam ninguém por isto ou aquilo: dêem a mesma atenção ao grande e ao pequeno, ao poderoso e ao fraco. Não tenham medo de ninguém, porque estarão exercendo a função de juízes em nome do ETERNO! Contudo, os casos que acharem difíceis deverão trazer a mim, para que eu estude e resolva’. Assim dei estas e outras instruções, naquela ocasião.

1921. Então saímos ao monte Horeb e caminhamos por todo aquele grande e terrível deserto: vocês lembram! Finalmente chegamos às montanhas habitadas pelos amorreus, para onde o ETERNO nos mandara ir. Estávamos, pois, em Cades-Barnéia ao lado da Terra Prometida, e eu disse: ‘O CRIADOR, nosso UL, nos dá esta terra dos amorreus. Avante, pois! Tomem posse dela, pois o CRIADOR é que mandou fazer isso! Nada de medo, nem de vacilação’!

22. Mas vocês disseram: ‘Primeiro vamos enviar espiões para examinarem o território, para verem qual o melhor caminho para nós e que cidades devemos conquistar primeiro’.

23. Achei boa idéia. Por isso, mandei aqueles doze espiões, um de cada tribo.

2425. Eles foram, entraram pela região montanhosa, chegaram ao vale de Eshk’ul, examinaram a terra: e quando voltaram, trouxeram produtos da terra como amostras. E vieram relatando: ‘A terra que o CRIADOR nos dá é boa mesmo’!

26. Mas vocês não quiseram ir lá, rebeldes à ordem do CRIADOR nosso UL.

2728. Vocês ficaram murmurando nas tendas, e disseram: ‘Decerto que o CRIADOR nos odeia, pois fez com que saíssemos do Egypto para cairmos nas mãos dos amorreus e para destruir a gente! Como é que vamos poder avançar?! Os nossos irmãos, que foram espionar a terra, trouxeram desânimo ao nosso coração, pois disseram: ‘Os habitantes de lá são altos e fortes! As cidades são fortificadas, com muros que vão até os céus, de tão altos! E viram gigantes lá: Os descendentes dos anaquins’!

2931 Mas eu disse: ‘Não tenham medo! Nada de susto! O CRIADOR, nosso UL, vai à nossa frente comandando! Ele pelejará por nós, como fez no Egypto – como vocês sabem muito bem! E como fez também no deserto: Aonde nos conduziu como um pai conduz o filho por todo o caminho em que andamos, até chegarmos a este lugar’!

3233. Não adiantou! Vocês não confiaram no CRIADOR. Vocês não confiaram no CRIADOR, embora tenham sido guiados por Ele pelo caminho todo: escolhendo Ele os melhores lugares para acampamento, e usando uma coluna de fogo durante a noite e uma coluna de nuvem durante o dia para indicar o rumo.

3436. Pois vejam! O CRIADOR ouviu as queixas e ficou irado. Ele jurou que de toda essa geração ninguém veria a boa terra prometida aos nossos antepassados. A única exceção seria Caleb, filho de Yefoné, porque serviu ao CRIADOR com perseverança. Ele e os descendentes dele receberiam como herança do CRIADOR uma parte das terras por onde Caleb tinha andado como espião.

3740. Vocês fizeram com que o ETERNO ficasse irado comigo também. Ele me disse: ‘Você não entrará na Terra Prometida’! Josué/Yao’sh, filho de Num, seu assistente, é que vai dirigir o povo para lá. Você deverá dar ânimo e coragem a ele. E sabe quem vai receber a terra? Sabe quem Eu vou deixar entrar na Terra Prometida? Justamente aquelas crianças que o povo dizia que ia morrer no deserto! Mas, os adultos não! Vão voltar e atravessar o deserto em direção ao Mar Vermelho’.

41. Então vocês confessaram: ‘Pecamos contra o CRIADOR! Agora vamos lá e lutemos, como UL mandou! Cada um pegou suas armas e todos foram para a região montanhosa: quando já era tarde demais!

42. Mas o CRIADOR me disse: ‘Diga a eles que não façam isso, porque não contarão comigo! Se teimarem, serão derrotados pelos inimigos’.

43. Eu avisei, mas não deram ouvidos. Em vez disso, desobedeceram outra vez ao CRIADOR. Orgulhosos! Contra as ordens dele, subiram à região montanhosa para lutar.

44. Entretanto, os amorreus que viviam lá, vieram dispostos para a luta. Como abelhas, perseguiram e derrotaram vocês, desde Seir até Hormá!

4546. Então vocês voltaram, e ficaram chorando diante do ETERNO, mas Ele não deu ouvidos. Não atendeu mesmo! Assim ficaram muito tempo em Cades.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

6

JOSUÉ [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Yao’sh 1

YAOHUSHUA comissiona Yao’sh

1Depois da morte de Mehu’shua, o Servo de UL’HIM, UL falou àquele que tinha sido o ajudante de Mehu’shua, e cujo nome era Yao’sh, filho de Nun, e disse-lhe: 25Mehu’shua, o meu servo, morreu. Leva, pois o povo a atravessar o Yardayan para a terra prometida. Digo-te a ti o mesmo que disse a Mehu’shua: Todo o local para onde fores será terra pertencente a Yaoshor’ul – desde o deserto do Negev no sul até às montanhas do Lebanon ao norte; e desde o Mar Mediterrâneo a poente até ao rio Eufrates no oriente, incluindo toda a terra dos heteus. Ninguém terá a força bastante para se opor a ti enquanto viveres, porque serei contigo tal como fui com Mehu’shua; não te abandonarei nem te desampararei. 67Esforça-te e tem ânimo, pois que serás bem sucedido na chefia do meu povo; este conquistará toda a terra que prometi aos seus antepassados. Precisas apenas de ser forte e corajoso e de obedecer literalmente a todas as leis que Mehu’shua te deu, visto que se fores cuidadoso no cumprimento de cada uma delas, tudo o resto te correrá bem. 89Lembra constantemente ao povo estas leis, e tu próprio deverás meditar nelas dia e noite, para teres a certeza de que lhes obedeces integralmente, porque só então terás sucesso. Sim, sê ousado e forte! Abandona o medo e a dúvida! Não te deves esquecer de que o Criador está contigo para onde quer que vás. 1011Então Yao’sh deu instruções a todos os líderes de Yaoshor’ul que dissessem ao povo para estar pronto para atravessar o rio Yardayan. Daqui a três dias passaremos para o lado de lá, conquistaremos a terra que o Criador nos deu e passaremos a viver ali, disse-lhes ele. 1215Depois convocou os líderes das tribos de Ro’ul-iben, de Gaold e da meia-tribo de Menashes, e lembrou-lhes o acordo que tinham feito com Mehu’shua: o UL, vosso Criador, deu-vos uma terra para vocês aqui neste lado oriental do Yardayan – foi mesmo Mehu’shua quem vos disse isso – por isso as vossas mulheres, os vossos filhos e as ovelhas podem ficar aqui, mas, os homens aptos para combater deverão passar o Yardayan com os outros, com todo o seu armamento e à frente dos todos os outros, para participar com eles na conquista do território que está na outra margem; só os deixarão para voltarem à sua terra quando tiverem conquistado toda a terra. Só nessa altura se estabelecerão definitivamente nesta margem oriental do Yardayan. 16Eles concordaram com isto, garantindo que obedeceriam a Yao’sh. 1718Obedecer-te-emos tal como obedecemos a Mehu’shua, os asseguraram, e que UL, teu Criador seja contigo tal como foi com Mehu’shua. Se alguém, seja quem for, se rebelar contra as tuas ordens, deverá morrer. Por isso, vai para frente com coragem e bom ânimo!

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

YAO’SH 1

1. DEPOIS DA MORTE de Mehu’shua, o Homem que servia ao ETERNO, falou ao assistente de Mehu’shua chamado Josué/Yao’sh, filho de Num:

25. Agora que o meu servo Mehu’shua está morto, você passa a funcionar como o novo chefe do povo de Yaoshor’ul. Prepare-se e guie este povo, atravessando com ele o rio Jordão/Yardayan e indo à frente dele à terra prometida. O que prometi a Mehu’shua repito a você: ‘Todo o terreno onde vocês pisarem, eu darei aos descendentes de Yaoshor’ul: O território que vai desde o deserto ao sul, até às montanhas do Lebanon, ao norte; desde o Mar Mediterrâneo, a oeste, até ao rio Eufrates, a leste; e ainda toda a terra dos heteus. São estes os limites da nação’. Ninguém será capaz de impedir a sua marcha enquanto você viver, pois Eu estarei ao seu lado, assim como estive com Mehu’shua: não o abandonarei nem deixarei de ajudar você.

69. Seja forte e corajoso! Você terá sucesso como chefe do meu povo e vai conquistar a terra que prometi. Veja lá! Basta que você seja forte e valente e tenha o cuidado de obedecer a todas as leis que Mehu’shua ordenou. Se você quer ter sucesso em tudo o que vai fazer, seja obediente a todos os pontos da Lei, sem nenhum desvio para cá ou para lá. Não se canse de lembrar ao povo as leis deste Livro, e você mesmo trate de meditar nelas todos os dias e todas as noites, para ter certeza de que está sendo obediente em tudo que está escrito. Só assim você poderá ter sucesso. Digo e repito: Seja forte e corajoso! Nada de desânimo! Não fique com medo! Lembre-se bem: O CRIADOR seu UL está com você, esteja onde estiver!

1011. Então Josué/Yao’sh deu instruções aos oficiais de Yaoshor’ul a fim de suprirem e equiparem o povo para a travessia do rio Jordão/Yardayan. Disse Josué/Yao’sh: Daqui a três dias nós vamos atravessar o rio, vamos conquistar a terra que o CRIADOR prometeu e lá viveremos!

1215. Depois ele convocou os chefes das tribos de Ruben/Ro’ul-iben, de Gad/Ga’old e da meia tribo de Manassés/Menashe e fez com que eles lembrassem o seguinte acordo feito com Mehu’shua: O CRIADOR deu a vocês descanso e esta terra deste lado do Jordão/Yardayan. Portanto, as mulheres, as crianças e o gado podem ficar aqui. Mas as suas tropas bem armadas e sem faltar nenhum dos guerreiros têm de ir na frente das outras tribos, atravessando o Jordão/Yardayan e ajudando a conquistar o território, no outro lado do rio. Fiquem lá até que conquistem tudo o que têm de conquistar. Só depois disto é que vocês poderão voltar e ocupar o seu território aqui a leste do Jordão/Yardayan.

16. Eles concordaram com isso tudo e prometeram obedecer a Josué/Yao’sh como comandante deles.

1718. Obedeceremos às suas ordens como obedecemos a Mehu’shua, afirmaram eles. Que o CRIADOR esteja com você, como esteve com Mehu’shua, Se algum dos nossos homens: seja quem for: se rebelar contra as suas ordens, morrerá! Olhe! Só queremos que você continue com ânimo e com coragem!

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7

JUÍZES [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Shoftim 1

Yaoshor’ul luta contra os restantes cananeus

1Após a morte de Yao’sh, a nação de Yaoshor’ul consultou o Criador para receber as suas instruções. Qual será a tribo que deverá ir primeiro à guerra contra os cananeus, perguntaram? 2A resposta de UL foi: Yaohu’dah. E dar-lhe-ei uma grande vitória. 3Os líderes da tribo de Yaohu’dah, contudo, pediram auxílio à tribo de Shami’ul: Venham conosco lutar contra o povo que está ainda na porção de terra que nos coube em sorte, e depois seremos nós a ajudar-vos a conquistar vossa parte. E assim o exército de Shami’ul foi com o de Yaohu’dah. 45o Criador ajudou-os a derrotarem os cananeus e os perizeus, de tal forma que houve dez mil baixas, da parte do inimigo, em Bezeque. 6O rei Adoni-Bezeque conseguiu fugir, mas, o exército de Yaoshor’ul em breve o capturou, e cortaram-lhe os dedos polegares dos pés e das mãos. 7Fiz isto mesmo a setenta outros reis que depois andavam a apanhar migalhas debaixo da minha mesa, dizia o rei Adoni-Bezeque. Agora o Criador pagou-me da mesma moeda. Foi levado para Yah’shua-oleym e lá morreu. 8Yaohu’dah tinha conquistado Yah’shua-oleym e destruído o seu povo, pondo fogo à cidade. 911Depois o exército de Yaohu’dah combateu os cananeus na região das colinas, no Negev e nas planícies costeiras. Posteriormente retomou a luta contra eles em Hebron (antigamente chamada Kiryat-Arba), destruindo-lhes as cidades de Sesai, Aiman e Talmai. Por último atacaram a cidade de Debir (antigamente chamada Kiryat-Sefer). 12Quem vai comandar o ataque contra Debir, desafiou Caleb. Quem a conquistar terá a minha filha Acsa como mulher! 13O sobrinho de Caleb, Othni’ul, filho do seu irmão mais novo Quenaz, ofereceu-se voluntariamente para chefiar o ataque. Conquistou assim a cidade e obteve Acsa como esposa. 14Quan-do estavam para irem viver em seu novo lar, ele pediu-lhe insistentemente que pedisse ao pai mais terra para eles. E foi ela própria que, vendo seu pai Caleb, desceu da montada em que ia para lhe falar no assunto. Que pretendes, disse-lhe o pai ao vê-la aproximar-se. 15Foi muito bom da tua parte, dar-me terra no Negev, mas, peço-te que nos dês também fontes de água. E dessa forma Caleb deu-lhe fontes de água superiores e inferiores. 16Quando a tribo de Yaohu’dah foi instalar-se no seu novo território, no deserto do Negev, ao sul de Arade, os descendentes do sogro de Mehu’shua – membros do grupo dos queneus – acompanharam-nos. Deixaram as suas casas em Yarich’o, a cidade das palmeiras, e passaram assim a viver juntos com a tribo de Yaohu’dah. 17Posteriormente a tribo de Yaohu’dah juntou-se à de Shami’ul para combater os cananeus na cidade de Zefate, e destruíram a população. Assim a cidade passou a ser chamada Orma (que quer dizer massacrado). 18O exército de Yaohu’dah conquistou igualmente as cidades de Gaza (Azah), de Asquelon e de Ekron, com as localidades da sua jurisdição. 19o Criador ajudou a tribo de Yaohu’dah a exterminar o povo das colinas, ainda que tivessem falhado na tentativa de conquistar o do vale, que tinha carros de ferro. 20A cidade de Hebron foi dada a Caleb, conforme a promessa de UL. Assim Caleb lançou fora os seus habitantes, que eram descendentes dos três filhos de Anaque. 21A tribo de Benyamim não exterminou os yebuseus que viviam em Yah’shua-oleym; por isso ainda lá vivem hoje misturados com os yaoshorul’itas. 2226Quanto aos da tribo de Yao’saf, atacaram a cidade de Bohay’ul, anteriormente conhecida por Luz, e o Criador esteve com eles. Primeiro enviaram espias que capturaram um homem que vinha saindo da cidade. Propuseram-lhe poupar a vida dele e da sua família se desse a conhecer a passagem através da muralha para entrar na cidade. O homem concordou, mostrou-lhes como entrar lá dentro, e eles, massacraram a população toda exceto o homem com a sua família. Mais tarde aquele indivíduo foi para a Syria e edificou lá uma cidade a que chamou também Luz, como é ainda conhecida hoje. 2729A tribo de Menashes também não expulsou o povo que vivia em Beit-Shean, Taanaque, Dor, Ebleon e Megido, nem tão pouco nos lugares circunvizinhos; e assim os cananeus continuaram a viver ali. Anos mais tarde, quando os yaoshorul’itas se tornaram mais fortes, puseram os cananeus trabalhando como escravos, mas, nunca os forçaram deixando o território. Aconteceu o mesmo, aliás, com os cananeus que viviam em Gezer; ainda lá estão habitando no meio da tribo de Efroim. 3033A tribo de Zabulon também não destruiu o povo de Quitrom, nem de Naalol, mas, fizeram-nos seus escravos; a tribo de Oshor da mesma forma não expulsou os residentes de Aco, de Tsidon, de Alabe, de Aczibe, de Helba, de Afeca, nem de Reobe; assim os yaoshorul’itas vivem ainda entre os cananeus que eram o povo nativo daquela terra. O mesmo se deu com a tribo de Neftali que não pôs fora o povo de Beit-Shemesh nem de Beit-Anate; e essas pessoas continuam a viver com eles como servas. 3436Quanto à tribo de Dayan, os amorreus forçaram-nos a circunscreverem-se à região das colinas e não os deixaram descer para os vales; mas, quando mais tarde os amorreus tentaram espalhar-se pelas montanhas de Heres, de Ayalon e de Saalabim, a tribo de Yao’saf dominou-os e fez deles escravos. A fronteira dos amorreus começa na subida da passagem do escorpião, desce a um lugar chamado a rocha e continua dali para cima.

 

LINGUAGEM MODERNA:

SHOFTIM 1

1. DEPOIS QUE YAOSH morreu, o povo de Yaoshor’ul foi à presença do ETERNO para receber instruções. Qual de nossas tribos deverá ir primeiro guerrear contra os kenanul’itas, perguntaram os yaoshorul’itas.

2. Respondeu o CRIADOR: Judáh/Yaohu’dah. Já entreguei a ele a terra.

3. Então, os chefes da tribo de Judáh/Yaohu’dah pediram ajuda à tribo de Simeão/Shami’ul. Venham lutar junto conosco contra os kenanul’itas, para tomarmos posse da terra que nos foi dada por sorteio sagrado, disseram. Depois nós ajudaremos vocês a conquistar o território que receberam por sorteio sagrado. Assim o exército de Simeão/Shami’ul foi com o exército de Judáh/Yaohu’dah.

4. E o CRIADOR deu a eles a vitória sobre os kenanul’itas e fereseus. Mataram dez mil soldados inimigos em Bezeque.

56. Enquanto lutavam com os kenanul’itas e com os fereseus em Bezeque, encontraram o rei Adoni-Bezeque e lutaram contra ele. Adoni-Bezeque fugiu. Mas foi perseguido e preso. Daí cortaram os polegares das mãos e dos pés dele.

7. Cortei os polegares de setenta reis, e eles comiam as migalhas debaixo da minha mesa! exclamou Adoni-Bezeque. Agora o CRIADOR me fez pagar do mesmo jeito! O rei prisioneiro foi levado para Yah’shua-oleym, e morreu lá.

811. Judáh/Yaohu’dah conquistou Yah’shua-oleym, eliminou a população e pôs fogo na cidade. Depois o exército de Judáh/Yaohu’dah lutou contra os kenanul’itas da região montanhosa, no Negev e nas planícies à beira-mar. Em seguida, marchou contra os kenanul’itas que habitavam em Hebron, antes da chamada Kiryat-Arba, destruindo as cidades e Sesai, Aimã e Talmai. Dali partiu contra os moradores de Debir, antes Kiryat-Sefer.

12. Quem quer dirigir o ataque a Debir, desafiou Caleb. Quem conquistar a cidade poderá casar com minha filha Acsa!

13. Otni’ul, sobrinho de Caleb, filho de Quenaz, irmão mais novo de Caleb, foi quem conquistou a cidade, e casou com Acsa.

14. Quando o casal estava para sair para a sua casa, Acsa insistiu com Otni’ul que pedisse ao pai dela mais um terreno, como presente de casamento. Ela desceu do burro em que estava montada, para falar com o pai sobre isso. Que foi? Que posso fazer por você, perguntou ele.

15. Ela respondeu: Quero outro presente, meu pai! A terra que o mestre [maoro’eh] me deu é um deserto. Quero uma que tenha fontes de água! Então ele deu a ela as fontes superiores e as fontes inferiores.

16. Quando a tribo de Judáh/Yaohu’dah mudou para o novo território, no deserto do Negev, ao sul de Arade, os descendentes do sogro de Mehu’shua: membros da tribo dos queneus: foram juntos. Deixaram os lares em Yarichó, a Cidade das Palmeiras, e as duas tribos passaram a viver juntas.

1718. Depois os exércitos de Judáh/Yaohu’dah e de Simeão/Shami’ul, juntos, lutaram com os kenanul’itas que habitaram em Zefate. Destruíram totalmente a cidade. Por isso a cidade recebeu o nome de Hormá, que significa lugar devastado. O exército de Judáh/Yaohu’dah conquistou também as cidades de Gaza (Azah), Ascalom e Ekron, e suas aldeias.

19. O CRIADOR ajudou a tribo de Judáh/Yaohu’dah a eliminar os povos das montanhas. Entretanto, Judáh/Yaohu’dah não expulsou os moradores do vale, que tinham carros de ferro.

20. Caleb recebeu a cidade de Hebron: como tinha sido prometido. Ele expulsou da cidade os habitantes, descendentes dos três filhos de Enaque.

21. A tribo de Benyamín não conseguiu expulsar os yebuseus que moravam em Jerusalém/Yah’shua-oleym. Por isso eles vivem lá, misturados com os yaoshorul’itas, até a data em que este livro é escrito.

2226. O exército de Yao’saf, isto é, das tribos de Efraim/Efrohim e Manassés/Menashe, por sua vez, atacou a cidade de Beit’ul/Bohay’ul: antes conhecida pelo nome de Luz. O CRIADOR ajudou o exército de Yao’saf. Primeiro foram uns espiões. Eles prenderam um homem que ia saindo da cidade. Fizeram a ele esta proposta: Se você mostrar a entrada (secreta) da cidade, você não morrerá. Ele mostrou a entrada. Então os yaoshorul’itas destruíram a cidade, mas deixaram que aquele homem partisse em paz com a família. Ele foi para a terra dos heteus (na Syria) e ali edificou uma cidade que recebeu também o nome de Luz; e Luz é o nome dela até o dia em que este livro é escrito.

2728. A tribo de Manassés/Menashe não pôde expulsar os habitantes das cidades de Beit-Seã, Taanaque, Dor, Ibleã, Megido, e suas respectivas aldeias; assim os kenanul’itas permaneceram nesses lugares. Mas depois que os yaoshorul’itas ficaram mais fortes, obrigaram os kenanul’itas a trabalhar como escravos. Entretanto, não expulsaram totalmente esse povo do território.

29. A mesma coisa aconteceu com os kenanul’itas de Gezer: continuaram vivendo ali, junto com os yaoshorul’itas da tribo de Efraim/Efrohim.

30. A tribo de Zabulon não expulsou os habitantes de Quitrom e Naalol; os kenanul’itas continuaram vivendo ali, mas fazendo trabalhos forçados.

3132. Asher/Oshor também não expulsou os habitantes de Aco, Sidon, Alabe, Aczibe, Helba, Afeque e Reobe; daí os yaoshorul’itas ficaram vivendo nesses lugares junto com os kenanul’itas antigos moradores dessas terras.

33. A mesma coisa aconteceu com a tribo de Neftali: não expulsou os habitantes de Beit-Semes e Beit-Anate; os kenanul’itas continuaram vivendo ali, junto com os yaoshorul’itas, mas como escravos.

34. Quanto à tribo de Dan/Dayan, foi forçada pelos amorreus a ficar nas montanhas; não conseguiu descer ao vale.

35. Mas, avançando os amorreus pelas montanhas de Heres, Ayalon e Saalabim, foram derrotados pela tribo de Yao’saf, e passaram a viver como escravos dos yaoshorul’itas.

36. A fronteira dos amorreus começava na ladeira de Acrabim ou do Escorpião, ia até um ponto chamado Sela, continuando dali para cima.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8

I SAMUEL [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Shamu’ul Alef 1

O nascimento de Shamu’ul

1Houve um homem chamado UL’kana, da tribo de Efroím, que vivia em Ramataim de Zofim, nos montes de Efroím. O nome de seu pai era Yeroão; o do seu avô Ulihu; do bisavô Toú; e do tetravô Zufe. 2Tinha duas mulheres: Hanná e Penina. Esta última tinha filhos, porém Hanná não tinha nenhum.

35Cada ano Ulkana ia com a sua família até ao Tabernáculo em Sheló para adorar a UL’TZAVULYAO (o Criador dos Exércitos) e sacrificar-lhe. (Nesse tempo os sacerdotes em funções eram os dois filhos de Uli – Hofni e Pinkhós). No dia em que apresentava o seu sacrifício, Ulkana assinalava o fato, dando presentes a Penina e aos seus filhos; mas, ainda que amasse muito Hanná, apenas lhe podia dar um só presente, porque o Criador lhe tinha fechado a madre; por essa razão não recebia presentes que pudesse ela própria passar também aos seus filhos. 6As coisas complicavam-se ainda mais porque Penina provocava Hanná e a humilhava pelo fato de ser estéril.

7Todos os anos era a mesma coisa – Penina caçoando e rindo da outra, quando iam a Sheló. Hanná chorando muito e deixando de comer. 8O que é que se passa Hanná, exclamava Ulkana. Porque é que não comes? Porque é toda essa agitação por não teres filhos? Não sou eu para ti melhor do que dez filhos?

911Uma noite depois de jantar, quando foram a Sheló, Hanná dirigiu-se ao Tabernáculo. Uli, o sacerdote, encontrava-se sentado no lugar habitual, ao lado da entrada. Hanná encontrava-se profundamente angustiada e chorava amargamente enquanto orava a YAOHUH. Fez então este voto. Óh UL’TZAVULYAO SHÂMAYM [CRIADOR DOS EXÉRCITOS CELESTIAIS[1], se te debruçares sobre a minha tristeza e responderes à minha oração, dando-me um filho, então eu to tornarei a dar; será teu por toda a sua vida e o cabelo nunca lhe será cortado. 1213Uli reparou que ela mexia os lábios, mas, sem se lhe ouvir a voz, visto que orava em silêncio; pensou que estaria toldada pelo vinho e dirigiu-se-lhe: 14Então tu vens para aqui embriagada? Vai curar a tua bebedeira para outro local. 1516Oh, não, meu maoro’hé, replicou ela. Eu não bebi! Encontro-me é muito triste e estava a abrir o coração ao Criador. Peço-te que não penses de mim tal coisa, que eu estivesse embriagada! 17Nesse caso, olha, anima-te! Que o Criador de Yaoshor’ul responda à tua oração, conforme o que lhe pediste! 18Fico-te muito grata. E regressou mais feliz, começando de novo a alimentar-se normalmente.1920Toda a família se levantou cedo na manhã seguinte, e foi ao Tabernáculo adorar a YAOHUH mais uma vez, regressando depois a Roéma. Ulkana e Hanná foram deitar-se e o Criador tomou em consideração o pedido dela. Ao cabo do tempo próprio nasceu-lhe um menino, a quem chamou Shamu’ul, porque o pedi a YAOHUH, disse ela. 2122No ano seguinte, Ulkana, Penina e os filhos foram, como todos os anos, ao Tabernáculo, mas, sem Hanná; esta dissera ao marido: Prefiro esperar até que o menino seja desmamado; depois então levá-lo-ei ao Tabernáculo, para deixá-lo lá. 23Está bem. Faz como melhor te parecer, concordou Ulkana. Faça-se a vontade de UL. Ela ficou, pois em casa, até que o menino fosse desmamado. 24Então, ainda que muito pequenino, levaram-no ao Tabernáculo em Sheló. E tomaram consigo um touro de três anos, para o sacrifício, trinta e cinco litros de farinha e algum vinho. 25Depois do sacrifício entregaram a criança a Uli. 2628Maoro’hé, disse Hanná, eu sou aquela mulher que aqui esteve certa vez orando a YAOHUH. Pedi-lhe que me desse um filho, e a minha petição foi ouvida. Venho agora oferecê-lo a YAOHUH por toda a sua vida. Deixou-o, pois desta forma no Tabernáculo para o serviço de UL.

 

[1] MIKHA’UL – É o Seu Nome, antes da Sua Vinda como o Filho do Homem, ou seja, Habor Adan…

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

SHAMU’UL ALEF 1

1. HAVIA UM HOMEM chamado Ul’cana, da tribo de Efraim/Efrohim; Ul’cana morava em Ramataim-Zofim, na região das montanhas de Efraim/Efrohim. Ul’cana era filho de Yeroão; Yeroão era filho de Ulihu, Ulihu era filho de Toú, Toú era filho do efraimita Zufe.

2. Ul’cana tinha duas mulheres: uma se chamava Hanná; o nome da outra era Penina; Penina tinha filhos, mas Hanná não tinha nenhum.

3. Todos os anos Ul’cana e suas famílias, faziam uma viagem até ao Tabernáculo, em Shelohh, a fim de adorar ao CRIADOR dos céus, e oferecer sacrifícios a Ele. (Os sacerdotes que estavam de serviço nesse tempo eram os dois filhos de Eli/Uli: Hofni e Finéias/Phink’yah).

45. No dia em que Ul’cana oferecia o seu sacrifício, ele comemorava o acontecimento feliz, dando presentes a Penina; além disso, dava presentes também aos filhos dela; embora ele amasse muito a Hanná, ele só podia dar a ela um presente, porque o CRIADOR fez com que Hanná não tivesse filhos.

6. Acontece que Penina piorava a situação, porque fazia muita coisa para deixar Hanná irritada pelo fato do ETERNO não lhe permitir ter filhos.

7. E todos os anos era a mesma coisa: Penina caçoava de Hanná, e a provocava quando iam a Shelohh; por isso Hanná chorava muito, e não tinha nem vontade de comer.

8. Que está acontecendo com você, Hanná, perguntou o marido. Por que não come? Por que você fica tão triste pelo fato de não ter filhos? Ter a mim como marido não é melhor do que ter dez filhos?

9. Certo dia, após a refeição da tarde, quando ainda estavam em Shelohh, Hanná foi ao Tabernáculo. O sacerdote Eli/Uli estava assentado no seu lugar de costume, ao lado da entrada.

10. Ela estava sentindo uma profunda angústia e chorava amargamente, enquanto fazia sua oração ao CRIADOR.

11. Hanná fez este voto: CRIADOR dos céus, se olhar para o meu sofrimento e responder à minha oração dando-me um filho, então eu darei esse filho de volta ao CRIADOR; ele será seu por todos os dias da sua vida, e os seus cabelos nunca serão cortados.

1213. Eli/Uli percebeu que a boca de Hanná se mexia enquanto ela orava em silêncio, do fundo do coração, porém não ouvia som algum; então ele pensou que Hanná estivesse embriagada.

14. Era preciso vir aqui embriagada, perguntou Eli/Uli. Afaste-se desse vício.

1516. Por favor, mestre [maoro’eh]! respondeu ela, não estou embriagada! Estou muito triste, isso sim, e estava abrindo meu coração diante do ETERNO. Por favor, não pense que sou apenas uma mulher embriagada! Oro assim por sofrer grande preocupação e aflição.

17. Nesse caso, disse Eli/Uli, tenha bom ânimo! Levante-se, vá em paz, e que o CRIADOR de Yaoshor’ul conceda o que você pede, seja lá o que for!

18. Oh, mestre [maoro’eh], muito obrigada! Hanná exclamou. Voltou feliz, e começou a se alimentar de novo. A tristeza desapareceu do seu rosto!

1920. A família inteira se levantou bem cedinho na manhã seguinte, e foi ao Tabernáculo adorar o CRIADOR uma vez mais. Depois voltaram para casa, em Ramá/Ro’emah. Quando Ul’cana deitou-se com Hanná, o CRIADOR se lembrou dela; e, passado o devido tempo, ela teve um filho, e deu a ele o nome de Shamu’ul (que significa pedido ao CRIADOR) porque, conforme ela disse: Eu o pedi ao CRIADOR.

2122. No ano seguinte, Ul’cana, Penina e os filhos dela fizeram a viagem anual ao Tabernáculo; desta vez, sem a companhia de Hanná, pois ela disse ao marido: Vamos esperar até que o menino esteja desmamado, e então eu o levarei ao Tabernáculo e o deixarei lá para sempre.

23. Está bem, faça como achar melhor, concordou Ul’cana. Seja feita a vontade do CRIADOR. E assim ela ficou em casa, até que o menino desmamou.

24. Então, apesar do menino ser ainda muito pequeno, ela o levou ao Tabernáculo em Shelohh; levou também um novilho de três anos para o sacrifício, uns trinta e poucos litros de farinha e um pouco de vinho.

25. Depois do sacrifício, levaram o menino a Eli/Uli.

26. CRIADOR; lembra-se de mim, perguntou Hanná ao sacerdote Eli/Uli. Sou aquela mulher que esteve aqui aquela vez, orando ao CRIADOR!

2728. Pedi ao CRIADOR que me desse este filho, e Ele atendeu ao meu pedido. Agora eu o trago, como se o estivesse devolvendo ao CRIADOR, por todos os dias em que ele viver. Assim ela deixou o menino ali no Tabernáculo, para servir ao CRIADOR.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9

II SAMUEL [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Shamu’ul Bet 1

Da’oud sabe da morte de Sha’ul

12Sha’ul morrera e Da’oud voltou para Ziklag após ter derrotado os amelequitas. Três dias mais tarde, apareceu-lhe um homem, vindo do exército yaoshorul’ita, com a roupa rasgada e com terra na cabeça, em sinal de consternação. Chegando-se junto de Da’oud inclinou-se até à terra em atitude de profundo respeito. 3Donde vens tu, perguntou Da’oud. Do exército de Yaoshor’ul, replicou o homem. 4Que foi que aconteceu? Como é que correu o combate? O homem respondeu: Todos fugiram em debandada. Milhares foram mortos e feridos no campo da batalha. Sha’ul e Yaonak’han também morreram. 5E como te sabes que eles foram mortos, exigiu Da’oud. 610Porque chegando por acaso ao monte de Gilboa, vi Sha’ul inclinado contra a sua lança e a cavalaria mais os carros de combate do inimigo apertando a luta contra a posição em que ele se encontrava. Sha’ul, olhando para trás, reparou em mim, gritou-me para que fosse ter com ele e perguntou-me: ‘Quem és tu?’ – ‘Sou amalequita’, respondi. ‘Mata-me’, pediu-me ele, ‘e tira-me desta angústia porque estou sofrendo muito e a vida está presa a mim’. Então o matei, pois sabia que ele não poderia continuar com vida. Depois peguei na sua coroa e numa pulseira que trazia no braço e trouxe-as para ti, meu maoro’eh. 1112Da’oud e os seus homens rasgaram a roupa que tinham vestidas, em manifestação de tristeza, ao ouvirem aquelas notícias. Choraram, lamentaram-se, jejuaram todo o dia por Sha’ul e pelo seu filho Yaonak’han, assim como pelo povo de UL e pelos homens de Yaoshor’ul que tinham morrido naquele dia. 13Da’oud disse àquele que lhe trouxera as notícias: Donde és tu? Eu sou amalequita. 1416E como te atreveste tu a matar o rei escolhido pelo Criador? E Da’oud, dirigindo-se a um dos seus mancebos: Mata-o! O rapaz atravessou-o com a sua espada e ele morreu. Fostes vítima da tua própria condenação, disse Da’oud, porque confessaste, tu mesmo, ter morto o rei ungido de UL.

Cântico de Da’oud sobre a morte de Sha’ul e de Yaonak’han

1718Da’oud compôs então um poema à memória de Sha’ul e de Yaonak’han, mandando que fosse cantada através de todo o Yaoshor’ul. É este o texto, tal como está no Livro do Tzaodok (justo):

19Óh Yaoshor’ul, aqueles que eram para ti o teu orgulho e a tua alegria jazem mortos sobre as colinas. Morreram poderosos heróis!

20-21Não contes isso aos filisteus, para que não rejubilem. Esconde-o das cidades de Gate e de Ashkelon, para que povos pagãos não venham a rir-se triunfantemente. Óh monte Gilboa, que não caia mais chuva, nem orvalho sequer, sobre ti; que não cresçam searas nas tuas vertentes. Porque foi aí que o escudo dos heróis foi tristemente arrojado ao chão; o escudo de Sha’ul, não mais ungido com óleo.

22-23Tanto Sha’ul como Yaonak’han eram capazes de liquidar os seus mais fortes inimigos; nunca regressavam da batalha de mãos vazias. Como eram amados! Eram pessoas admiráveis! Tanto Sha’ul como seu filho! Sempre estiveram juntos, tanto na vida como na morte! Eram mais velozes do que águias, mais fortes do que leões.

24-25Por isso agora, mulheres de Yaoshor’ul, chorem por Sha’ul. Ele enriqueceu-vos, vestiu-vos de finas roupas e deu-vos belos adornos. Foram valentes heróis que morreram no campo da batalha. Yaonak’han foi morto sobre a colina. 26-27Como eu choro por ti, meu irmão Yaonak’han; como eu te amava! O teu amor tinha mais profundidade para mim do que o amor de uma mulher. Foram valentes homens que blasfêmia. Despojados das suas armas, morreram!

 

LINGUAGEM MODERNA:

SHAMU’UL BET 1

12. SHA’UL ESTAVA MORTO e Da’oud tinha voltado a Ziclague depois de matar os amalequitas. Três dias mais tarde veio do exército yaoshorul’ita um homem com as roupas rasgadas e terra sobre a cabeça, como sinal de tristeza. Ele caiu ao chão diante de Da’oud como prova de muito respeito.

3. De onde vem você? Da’oud perguntou. Venho do exército yaoshorul’ita, o homem respondeu.

4. Que foi que aconteceu? Da’oud perguntou. Diga-me como foi a batalha. E o homem respondeu: Nosso exército inteiro fugiu. Milhares de homens estão mortos e feridos no campo, e Sha’ul e seu filho Jônatas/Yaonak’ham foram mortos.

5. Como é que você sabe que estão mortos?

6. Porque eu estava no monte Gilboa e vi que Sha’ul estava apoiado sobre sua lança com os carros inimigos cercando-o por todos os lados.

7. Quando ele me viu, chamou-me para junto dele, e fui atender.

8. Quem é você? ele perguntou. Um amalequita, respondi.

9. Venha cá e me livre desta miséria, pediu, pois estou num terrível sofrimento, mas a minha vida não termina.

10. Então eu o matei [disse isto para agradar Da’oud], porque sabia que ele não tinha condições de viver depois, tomei a sua coroa e uma das suas pulseiras para trazer aqui ao meu mestre [maoro’eh].

11. Da’oud e seus homens rasgaram suas vestes em sinal de tristeza quando ouviram a notícia.

12. Eles lamentaram, choraram e jejuaram o dia todo por Sha’ul e seu filho Jônatas/Yaonak’ham, pelo povo do CRIADOR, e pelos homens de Yaoshor’ul que morreram naquele dia.

13. Então Da’oud perguntou ao moço que havia trazido a notícia: De onde é você? E ele respondeu: Sou filho de um estrangeiro, um amalequita.

14. Por que você matou o rei escolhido do ETERNO, perguntou Da’oud.

15. Então Da’oud disse a um dos seus moços: Mate esse homem! E o moço se atirou com sua espada sobre o amalequita e o matou.

16. Você morre por sua própria condenação, disse Da’oud, pois você mesmo confessou que matou o rei escolhido do ETERNO.

1718. Da’oud chorou muito e mais tarde escreveu um hino triste para Sha’ul e Jônatas/Yaonak’ham, ordenando que o hino fosse cantado por todo o Yaoshor’ul. Ele é copiado aqui do livro Baladas Heróicas.

19. Ó Yaoshor’ul, teu orgulho e alegria estão mortos sobre os montes; Heróis poderosos caíram.

20. Não contes aos filisteus, para que eles não se alegrem. Esconde isso das cidades de Gate e de Ascalom, para que as nações que adoram ídolos falsos não se riam em triunfo.

21. Ó monte Gilboa, não caia orvalho nem chuva sobre ti, não haja plantação de cereais nas tuas encostas. Pois ali o poderoso Sha’ul morreu; Ele não é mais o rei escolhido do ETERNO.

22. Tanto Sha’ul como Jônatas/Yaonak’ham matavam a seus mais fortes inimigos, e nunca voltavam das batalhas com as mãos vazias.

23. Quanto eles eram amados, e quão maravilhosos eram. Tanto Sha’ul como Jônatas/Yaonak’ham! Eles estiveram juntos na vida e na morte. Eram mais velozes do que as águias, mais fortes do que os leões.

24. Mas agora, ó mulheres de Yaoshor’ul, chorem por Sha’ul; Ele enriqueceu vocês, com finas roupas e ornamentos dourados.

25. Esses poderosos heróis caíram no meio da batalha. Jônatas/Yaonak’ham foi morto lá nas montanhas.

26. Como eu choro por você, meu irmão Jônatas/Yaonak’ham; Quanto eu o amava! E o seu amor por mim era mais profundo do que o amor de mulheres!

27. Os poderosos caíram, despojados de suas armas, e morreram.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

10

I REIS

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Molk’him Alef 1

Adoni’yah pretende ser rei

1Sendo o rei Da’oud já muito idoso, tinha enorme dificuldade em se aquecer. Mas, por mais mantas com que o cobrissem, tinha sempre frio. 2O remédio para isso, disseram-lhe os criados, é procurar-se uma mulher jovem que cuide do rei e se reclina nos seus braços, mantendo-o assim quente. 34Então buscou em todo o país uma moça que fosse formosa; selecionaram Abisague, sunamita. Trouxeram-na para junto do rei; ela cuidava dele, mas, não tiveram relações sexuais. 58Por essa altura, o príncipe Adoni’yah, cuja mãe era Hagite, decidiu por si próprio ocupar o trono, em lugar do seu pai. Reuniu carros, cavaleiros, e recrutou cinquenta homens a pé. Ele era uma pessoa que o pai nunca tinha sabido disciplinar; nunca fora contrariado nem repreendido. Era um indivíduo extremamente belo. Abshalon fora seu irmão mais velho. Procurou, igualmente, ganhar a confiança do general Yao’ab e de Abyaoter, o sacerdote, os quais concordaram em colaborar nos seus intentos. Mas, houve alguns que permaneceram fiéis ao rei Da’oud e que recusaram apoiar Adoni’yah, como foi o caso dos sacerdotes Tzaodok e Bina’yah, o profeta Naok’han, e ainda Simei, Reeh e outras altas patentes do exército do monarca. 910Adoni’yah foi até En-Rog’ul e lá sacrificou ovelhas, vacas e bodes cevados, junto à pedra de Zolete. Então convidou todos os irmãos – os outros filhos do rei Da’oud – assim como figuras de relevo de Yaohu’ dah, pertencentes à casa real, pedindo-lhes que assistissem à sua coroação. Não convidou, contudo nem o profeta Naok’han, nem Bina’yah, nem os chefes do exército que tinham permanecido leais, nem o seu irmão Shua’olmoh. 1113Naok’han, o profeta, foi ter com Bath’sheva, mãe de Shua’olmoh, e perguntou-lhe: Estás sabendo o que esta acontecendo? Adoni’yah, o filho de Hagite, vai tornar-se rei sem que Da’oud, o nosso maoro’eh, saiba sequer! Se quereres conservar a tua vida e a do teu filho Shua’olmoh, faz exatamente o que te vou dizer: Vai já ter com Da’oud e põe-lhe esta questão, ‘Meu maoro’eh, não me prometeste tu que o meu filho Shua’olmoh te sucederia no trono? Por que razão está então Adoni’yah a reinar?’ 14Enquanto estiveres falando, chegarei eu e confirmarei o que tiveres dito. 1516Bath’ sheva assim fez e entrou nos aposentos do rei. Este estava mesmo muito velho e Abisague tratava dele. Bath’sheva inclinou-se perante ele. Que pretendes, perguntou-lhe o soberano. 1721Meu maoro’eh, tu pro-meteste-me, na presença de UL teu o Criador, que o meu filho Shua’olmoh seria rei a seguir a ti, e que se sentaria no trono. No entanto, é Adoni’yah que está reinando, e nem sequer estás informado disso. Até já celebrou a sua coroação, sacrificando vacas, bodes cevados e muitas ovelhas; convidou também todos os seus irmãos, mais o sacerdote Abyaoter e o general Yao’ab, com a exceção, contudo de Shua’olmoh. Agora, todo Yaoshor’ul está à espera da tua decisão, quanto sabendo se Adoni’yah é mesmo aquele que escolheste para te suceder. Se não fizeres alguma coisa, o meu filho Shua’olmoh e eu própria seremos presos e executados como qualquer criminoso, logo que venhas a falecer. 2223Enquanto ela falava, os criados do rei vieram dizer-lhe: Está ai o profeta Naok’han que te quer falar… Este entrou e fez uma profunda reverência na frente do soberano, perguntando-lhe: 2427Meu maoro’eh designou Adoni’yah para ser rei em teu lugar? É ele o príncipe que designaste para se sentar no teu trono? Hoje mesmo celebrou ele a sua coroação, sacrificando vacas, bodes gordos e um sem número de ovelhas, convidando, além disso, o general Yao’ab e o sacerdote Abyaoter para assistir a essas celebrações. Lá estão a festejar, a beber e a gritar – ‘Viva o rei Adoni’ yah!’ É bom saberes, contudo que nem Tzaodok o sacerdote, nem Bina’yah, nem Shua’olmoh, nem eu próprio fomos convidados. Terá isto sido feito com o teu conhecimento? Tu ainda não disseste uma palavra quanto a qual dos teus filhos escolheste para te suceder no trono.

Shua’olmoh é proclamado rei

2830Tornem a chamar Bath’sheva, disse Da’oud. Ela tornou a entrar nos aposentos e ali ficou na frente do monarca. Este lhe prometeu: Tão certo como esta vivo YAOHUH que me salvou de todos os perigos, assim eu decreto que o teu filho Shua’olmoh será o rei que me sucederá no trono, tal como o tinha garantido antes, na presença do UL de Yaoshor’ul. 31Bath’sheva tornou a curvar-se perante ele e exclamou: Estou-te muito grata, maoro’eh. Que o rei, meu maoro’eh, viva para sempre! 3235Agora chamem o sacerdote Tzaodok, ordenou o rei, mais Bina’yah. Que o profeta Naok’han volte aqui novamente. Quando eles chegaram, disse-lhes: Levem Shua’olmoh mais a minha guarda real a Giom. Shua’olmoh deverá ir montado no meu cavalo pessoal. Ali, Tzaodok o sacerdote e Naok’han o profeta deverão ungi-lo rei sobre Yaoshor’ul. Tocarão a trombeta e gritarão – ‘Viva o rei Shua’olmoh!’ Quando regressarem com ele aqui, deverá sentar-se no meu trono, como novo rei; porque foi ele quem eu ungi rei de Yaoshor’ul e de Yaohu’dah. 3637Que assim seja! Louvado seja YAOHUH, respondeu Bina’yaohuh; e acrescentou: Que YAOHUH seja com Shua’olmoh, como foi contigo, e que o seu reinado seja ainda maior que o teu! 3839O sacerdote Tzaodok, o profeta Naok’han, Bina’yah e o contingente da guarda pessoal do rei levaram então Shua’olmoh a Giom, montado no cavalo do soberano. Ali, Tzaodok pegou num recipiente contendo o óleo sagrado do Tabernáculo e derramou-o sobre Shua’olmoh. As trombetas tocaram e todo o povo gritou: Viva o rei Shua’olmoh! 4041Em seguida todos regressaram a Yah’shua-oleym, desfilando no meio de muita alegria e de muita música, tendo isso durado o dia inteiro. Adoni’yah e os seus hóspedes começaram a ouvir toda aquela euforia e aquele barulho, na altura em que finalizavam o banquete. Que é que se está a passar, perguntou Yao’ab. Que alvoroço todo é este? 42Estava ele ainda a pronunciar estas palavras quando aparece, de rompante, Yaonak’han, o filho do sacerdote Abyaoter. Podes entrar, disse-lhe Adoni’yah, porque és um homem bom. Deves ter boas notícias a dar. 43O rei Da’oud constituiu Shua’olmoh sobre o trono, exclamou Yaonak’han. 4445O monarca enviou-o a Giom na companhia de Tzaodok, o sacerdote, do profeta Naok’han e de Bina’yah, protegido pela guarda real. Ia montado no próprio cavalo do rei. Tzaodok e Naok’han ungiram-no como novo rei! Neste momento já regressaram, e toda a cidade está em celebração, celebrando o acontecimento. Por isso é que se ouve este barulho. 4647Shua’olmoh está já sentado no trono e o povo felicita o rei Da’oud dizendo: ‘Que YAOHUH te abençoe ainda mais através de Shua’olmoh do que te abençoou pessoalmente! Que YAOHUH torne o reinado de Shua’olmoh ainda maior do que o teu!’ O rei está deitado, nos seus aposentos, e aí recebe as felicitações das pessoas, dizendo também: 48‘Bendito seja o UL de Yaoshor’ul, que escolheu um dos meus filhos para se sentar sobre o meu trono, mantendo-me em vida ainda para ver isso’. 4952Então Adoni’yah e os seus hóspedes deixaram logo o banquete e fugiram com medo – receavam pela segurança das suas vida. Adoni’yah correu para o Tabernáculo e pegou nas pontas do altar sagrado. Quando chegou aos ouvidos de Shua’olmoh que Adoni’yah estava no Tabernáculo pedindo clemência, respondeu: Se, se conduzir retamente, não tem nada a temer; caso contrário morrerá. 53O rei Shua’olmoh mandou-o vir à sua presença, e fizeram-no descer do altar. Ele veio e prostou-se perante o soberano, que apenas lhe disse: Vai para casa.

 

LINGUAGEM MODERNA:

MOLK’HIM ALEF 1

1. QUANDO DA’OUD FICOU muito velho, quase não saía da cama; e por mais que pusessem cobertores sobre ele, ainda assim ele sentia muito frio.

2. Então os ajudantes do rei lhe disseram: O remédio para isso é encontrar uma moça virgem que sirva de companheira para o rei e cuide do mestre [maoro’eh]. Ela se deitará nos seus braços, e assim o mestre [maoro’eh] se aquecerá.

34. Por isso andaram pelo país, por todos os cantos, a fim de encontrarem a moça mais linda de toda a terra. Finalmente encontraram Abisague, uma moça de Sunã, e ela foi escolhida. Trouxeram a moça ao rei, e ela se deitava nos braços dele, para que ele se aquecesse (porém ele não teve relações com ela).

5. Por esse tempo Adoni’yah, filho de Da’oud (a mãe de Adoni’yah era Hagite), decidiu colocar a coroa real em sua própria cabeça e reinar em lugar de seu velho pai. De modo que ele alugou carros e homens que dirigissem tais carros, providenciou também cincoenta homens que corressem pelas ruas adiante dele como se fossem soldados da infantaria real.

6. Ora, seu pai, o rei Da’oud, jamais deu castigo ao filho: nem mesmo lhe passou uma simples repreensão! Ele era um homem muito bonito; era o irmão logo abaixo de Ab’shuaoleym.

7. Adoni’yah conquistou a confiança do general Yao’ab e do sacerdote Abyaoter, e eles concordaram em ajudar o moço a tornar-se rei.

8. Mas dentre os que permaneceram fiéis ao rei Da’oud e se recusaram a seguir a Adoni’yah, estavam os sacerdotes Tzaodóq e Benaia/Bina’yah, o profeta Natã/Naok’ham, Simei, Rée e os chefes do Exército de Da’oud.

9. Adoni’yah foi a En-Rogel, onde ofereceu sacrifícios de ovelhas, bois e cabritos gordos, na Pedra da Serpente. Então chamou todos os seus irmãos: Os outros filhos do rei Da’oud: e todos os oficiais do palácio real de Yaohu’dah, pedindo a eles que viessem para a sua festa de coroação.

10. Porém não convidou o profeta Natã/Naok’ham, nem Benaia/Bina’yah, nem os oficiais leais do exército, e nem mesmo seu irmão Salomão/Shua’olmoh.

11. Então o profeta Natã/Naok’ham foi procurar Bath’Sheba, mãe de Salomão/Shua’olmoh, e perguntou a ela: Você sabe que Adoni’yah, filho de Hagite, agora é o rei, e que nosso mestre [maoro’eh] Da’oud não sabe do que se passa?

12. Se você quiser salvar sua própria vida e a vida de seu filho Salomão/Shua’olmoh: faça exatamente como lhe digo!

13. Vá depressa ao rei Da’oud e pergunte a ele: ‘Meu mestre [maoro’eh], lembra-se da promessa que me fez de que meu filho Salomão/Shua’olmoh seria o próximo rei, e que ele se assentaria no seu trono? Então, como é que Adoni’yah já é rei?’

14. E enquanto você ainda estiver falando com ele, eu chegarei e direi que é verdade tudo quanto você disse.

15. Ela entrou então no quarto do rei. Ele já era um homem bem velho, e Abisague cuidava dele.

16. Bath’Sheba se inclinou diante dele. Que é que você quer, perguntou o rei.

17. Ela respondeu: Meu mestre [maoro’eh], o mestre [maoro’eh] me jurou, pelo CRIADOR, seu UL, que meu filho Salomão/Shua’olmoh seria o próximo rei, e que ele se assentaria no seu trono.

18. Mas em lugar disso, Adoni’yah é o novo rei, e o mestre [maoro’eh] nem mesmo sabe disso.

19. Ele comemorou a festa de sua coroação oferecendo sacrifícios de bois, cabritos gordos, e muitas ovelhas, e além disso convidou todos os irmãos, o sacerdote Abyaoter e o general Yao’ab. Porém não convidou a Salomão/Shua’olmoh.

20. E agora, ó rei meu mestre [maoro’eh], todo o Yaoshor’ul está esperando sua decisão para saber se Adoni’yah é o escolhido para ficar em seu lugar.

21. Se o rei não agir depressa, meu filho Salomão/Shua’olmoh e eu seremos presos e assassinados como criminosos, logo depois da sua morte.

2224. Enquanto ela falava, os ajudantes do rei disseram a ele: Está aí o profeta Natã/Naok’ham, que deseja ver o rei. Natã/Naok’ham entrou e se inclinou diante do rei, e perguntou: Meu mestre [maoro’eh], foi o mestre [maoro’eh] quem nomeou a Adoni’yah para ser o próximo rei? Foi ele que o rei escolheu para assentar-se no trono real?

25. Hoje ele comemorou sua coroação oferecendo sacrifícios de bois e cabritos gordos e muitas ovelhas, e convidou os filhos do rei para comparecerem às festas. Também convidou ao general Yao’ab e ao sacerdote Abyaoter. Eles estão comendo e bebendo com ele, e gritando: ‘Viva o rei Adoni’yah’!

26. Porém o sacerdote Tzaodóq, Benaia/Bina’yah, Salomão/Shua’olmoh e eu não fomos convidados.

27. Ele fez isso com a aprovação do rei? Pois o rei não disse nenhuma palavra com respeito a que filho seu foi escolhido para ser o próximo rei.

28. Chamem Bath’Sheba, disse Da’oud. Então ela voltou, e se pôs em pé diante dele.

2930. E o rei jurou: Assim como vive o CRIADOR que me livrou de todos os perigos, declaro que seu filho Salomão/Shua’olmoh será o próximo rei e se assentará no meu trono, exatamente como jurei a você perante o CRIADOR de Yaoshor’ul.

31. Então Bath’Sheba se inclinou novamente diante do rei e exclamou: Oh, muito obrigada, mestre [maoro’eh]. Que meu mestre [maoro’eh], o rei, viva para sempre!

32. O rei deu a seguinte ordem: Chamem a Tzaodóq, o sacerdote, a Natã/Naok’ham, o profeta, e a Benaia/Bina’yah. Quando chegaram,

3334. O rei disse a eles: Levem Salomão/Shua’olmoh e meus oficiais a Giom. Salomão/Shua’olmoh deve ir montado na minha mula, e o sacerdote Tzaodóq e o profeta Natã/Naok’ham devem derramar óleo sobre a cabeça dele, porque é o rei de Yaoshor’ul. Depois toquem as trombetas e gritem: ‘Viva o rei Salomão/Shua’olmoh’!

35. Quando vocês trouxerem Salomão/Shua’olmoh de volta para cá, façam com que ele se assente no meu trono como o novo rei; porque foi ele que eu indiquei para rei de Yaoshor’ul e de Yaohu’dah.

36. Amém/Amnao! Louvado seja o CRIADOR! respondeu Benaia/Bina’yah, e disse mais:

37. Que o CRIADOR esteja com Shua’olmoh como esteve com meu mestre [maoro’eh], o Rei Da’oud, e que o CRIADOR faça o reino de Shua’olmoh maior ainda do que o seu!

38. Então o sacerdote Tzaodóq, o profeta Natã/Naok’ham, Benaia/Bina’yah e o guarda pessoal de Da’oud levaram Shua’olmoh e Giom; Shua’olmoh ia montado na mula que pertencia ao rei Da’oud.

39. Em Giom, Tzaodóq pegou um vaso de óleo sagrado trazido do Tabernáculo e despejou o óleo sobre Salomão/Shua’olmoh; fizeram tocar as trombetas, e todo o povo gritou: ‘Viva o rei Salomão/Shua’olmoh!

40. Depois todos eles voltaram com Shua’olmoh para Jerusalém/Yah’shua-oleym, e por todo o caminho vieram fazendo uma festa alegre e barulhenta.

41. Adoni’yah e os seus convidados ouviram aquela agitação e gritaria, bem na hora em que terminavam o banquete. O que está acontecendo, perguntou Yao’ab. Por que a cidade está nessa agitação?

42. Enquanto ele ainda falava, Jônatas/Yaonak’ham, filho de Abyaoter, o sacerdote, chegou correndo. Entre,Adoni’yah disse a ele, pois você é um homem bom; você deve ter boas notícias.

43. Nosso mestre [maoro’eh], o rei Da’oud, declarou que Salomão/Shua’olmoh é o rei! Jônatas/Yaona-okhán gritou.

4445. O rei mandou que ele fosse a Giom com o sacerdote Tzaodóq, o profeta Natã/Naok’ham e Benaia/Bina’yah, protegido pela própria guarda pessoal do rei; e ele ia montado na mula que pertence ao rei. Tzaodóq e Natã/Naok’ham despejaram óleo sobre a cabeça dele, como o novo rei! Eles acabam de voltar, e toda a cidade está comemorando e festejando. Todo esse barulho é por isso.

4647. Salomão/Shua’olmoh está assentado no trono, e todo o povo está dando parabéns a Da’oud, dizendo: ‘Que o CRIADOR abençoe o rei Da’oud ainda mais por intermédio de Salomão/Shua’olmoh do que abençoou o rei Da’oud pessoalmente! Que o CRIADOR faça o reinado de Salomão/Shua’olmoh maior ainda do que o reinado do rei Da’oud’! E o rei continua na sua cama, agradecendo as bênçãos.

48. Ele diz: Bendito seja o CRIADOR de Yaoshor’ul, que escolheu um de meus filhos para sentar-se hoje no meu trono, enquanto ainda estou vivo e posso ver o que acontece.

4950. Então Adoni’yah e seus convidados saíram correndo da mesa do banquete e fugiram de medo; eles trataram de salvar as suas vidas. Adoni’yah correu para o Tabernáculo e se agarrou às pontas do altar.

51. Quando Shua’olmoh soube que Adoni’yah estava agarrado ao altar no Tabernáculo, pedindo que tivessem pena dele,

52. Salomão/Shua’olmoh respondeu: Se ele se comportar bem, não será ferido, mas se não se comportar bem, ele vai morrer.

53. Então Shua’olmoh mandou buscar a Adoni’yah, e os mensageiros fizeram com que ele descesse do altar. Ele veio e se inclinou diante do rei; Shua’olmoh simplesmente mandou Adoni’yah embora. Vá para a sua casa, disse ele.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

11

II REIS

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Molk’him Bet 1

O julgamento de UL sobre Ahoz’yah

1Após a morte de Acabe a nação de Moab declarou a sua independência e recusou continuar a pagar impostos a Yaoshor’ul. 2O novo rei de Yaoshor’ul, Ahoz’yah, caiu da varanda de um quarto, num andar alto do seu palácio em Shemor’yah, e ficou seriamente ferido. Na sequência disso enviou mensageiros ao templo do ídolo Baal-Zebube, em Ekron, para perguntarem se, se curaria. 34Contudo o MOLAOK (mensageiro) de YAOHUH disse a Uli’yah, o profeta: Vai ao encontro desses mensageiros e pergunta-lhes: ‘Será mesmo verdade que já não há um Criador em Yaoshor’ul? Será por essa razão que vocês vão ter com Baal-Zebube, o ídolo de Ekron, para lhe perguntarem se o rei há de curar? Sendo assim, visto que Ahoz’yah tomou uma decisão dessas, UL manda-lhe dizer que nunca mais deixará a cama em que está deitado; infalivelmente morrerá’. 5Depois de Uli’yah ter dito isto, os mensageiros regressaram apressadamente para falar com o rei. Porque é que regressaram assim tão depressa, perguntou-lhes o rei, mal os viu. 6É que veio ter conosco um indivíduo que nos mandou regressar para te dizer o seguinte: ‘Diz assim UL: Por que razão é que vão dirigir perguntas a Baal-Zebube, o ídolo de Ekron? Será porque não há um Criador em Yaoshor’ul? Então, visto que fizeste tal coisa, não deixarás mais a cama em que estás e com toda a certeza hás de morrer’. 7Mas, quem era essa pessoa, exigiu o rei. Que aspecto tinha? 8Tinha o cabelo comprido, vestia-se de peles e trazia um cinto de couro. É o profeta Uli’yah, exclamou o rei. 9Mandou logo um grupo de cinquenta soldados, sob o comando de um oficial, para prendê-lo. Acharam-no sentado no alto duma colina. Disse-lhe o oficial: Óh Homem de UL, o rei ordena-te que venhas conosco. 10Mas, Uli’yah respondeu: Se eu sou um Homem de UL, que desça fogo dos Shan’maym (céus) para vos destruir, a ti e aos teus cinquenta homens! Então veio um raio que matou a todos! 11O rei mandou outro oficial com mais um grupo de cinquenta homens: Óh Homem de UL, o rei manda-te que desças já daí. 12Uli’yah respondeu: Se sou um Homem de UL, que venha fogo do shan’ mayao (céu) e que vos destrua, a ti e aos teus cinquenta soldados. E novamente veio uma descarga de fogo, da parte de UL, que os queimou.  1314Uma vez mais o rei enviou cinquenta soldados; mas, desta vez o capitão caiu de joelhos perante Uli’yah e rogou-lhe: Óh Homem de UL peço-te que me poupes a vida e a destes teus cinquenta servos. Tem misericórdia de nós! Não nos destruas, como aconteceu com os outros. 15O MOLAOK (mensageiro) de YAOHUH disse a Uli’yah: Não tenhas receio. Podes ir com estes. Uli’yah foi então ter com o rei. 16Porque mandaste mensageiros a Baal-Zebube, o ídolo de Ekron, para te informares sobre a tua doença, perguntou-lhe Uli’yah. Será que não há um Criador em Yaoshor’ul a quem te dirigires? Visto que fizeste tal coisa, não deixarás mais essa cama; com toda a certeza, morrerás. 1718Assim morreu Ahoz’yah, tal como UL dissera por intermédio de Uli’yah. O seu irmão Yaoran tornou-se o novo rei, porque Ahoz’yah não teve filhos que lhe sucedessem. Isto ocorreu no segundo ano do reinado do rei Yeoran, filho de Yahshua’fat, de Yaohu’dah. O resto da história do reinado de Ahoz’yah está relatado nas Crônicas dos Reis de Yaoshor’ul.

 

LINGUAGEM MODERNA:

MOLK’HIM BET 1

1. DEPOIS DA MORTE do rei Acabe, os moabitas se revoltaram contra Yaoshor’ul e proclamaram a sua independência.

2. Acazias/Ahoz’yah, o novo rei de Yaoshor’ul, tinha caído do terraço do andar de cima do seu palácio em Samaria/Shemor’yah, e ficou muito machucado. Aflito, mandou mensageiros ao templo do ídolo Baal-Zebube, em Ecrom, para perguntar se ficaria bom depois da queda que tinha sofrido.

3. Ao mesmo tempo, um Anjo do CRIADOR apareceu diante do profeta Elias/Uli’yah e disse: Elias/Uli’yah, vá falar com os mensageiros do rei Acazias/Ahoz’yah que vieram ao templo do ídolo Baal-Zebube. Diga a eles que o CRIADOR quer saber se não há o CRIADOR em Yaoshor’ul; se ha, por que o rei mandou procurar Baal-Zebube, criador de Ecrom, para uma consulta sobre a sua saúde?

45. E diga também que, por causa dessa atitude, o CRIADOR disse que ele não vai sarar, nem se levantará mais daquela cama; ali mesmo vai morrer. Elias/Uli’yah obedeceu sem demora à ordem do Anjo do CRIADOR; procurou os mensageiros do rei, e repetiu a eles as palavras do Anjo. Os mensageiros voltaram depressa ao palácio. O rei, com a chegada deles, disse admirado: Que é isso? Vocês vieram tão depressa!

6. Um dos homens respondeu: Ó rei Ahoz’yah, aconteceu que um homem veio ao nosso encontro e nos mandou voltar imediatamente. Disse ele: ‘Voltem já e digam ao rei que ele não se levantará mais da cama; ele morrerá, porque deixou de consultar o UL de Yaoshor’ul, para consultar o criador Baal-Zebube de Ecrom’.

7. Quem foi esse homem? Como é ele, perguntou o rei.

8. Era um homem coberto de pelos e usava um cinto de couro bem largo na cintura, responderam. Ah, já sei quem é. Só pode ser o profeta Elias/Uli’yah, disse o rei.

9. Então o rei Acazias/Ahoz’yah mandou buscar cincoenta soldados, com seu capitão, e deu ordem a eles para trazerem Elias/Uli’yah até o palácio. Eles foram e encontraram Elias/Uli’yah calmamente sentado no alto de uma colina. O capitão dos soldados então disse a Elias/Uli’yah: Homem do ETERNO, por ordem do rei, desce e vamos ao palácio!

10. Porém Elias/Uli’yah respondeu: Se eu sou um homem do ETERNO, que desça fogo do céu e destrua você e todos os seus soldados! Na mesma hora desceu fogo do céu e destruiu os cincoenta soldados, e seu capitão.

11. O rei, vendo que os soldados não voltavam, chamou outro capitão com mais outros cincoenta soldados, e deu a mesma ordem: Vão depressa buscar Elias/Uli’yah para mim. E este capitão disse também a Elias/Uli’yah: Homem do ETERNO! desce e vamos depressa ao palácio, por ordem do rei!

12. Se eu sou um homem do ETERNO, respondeu Elias/Uli’yah, que desça fogo do céu para matar você e os seus soldados! Então, novamente desceu fogo do céu e matou o capitão e os cincoenta soldados.

13. Pela terceira vez o rei mandou outro capitão com outros cincoenta soldados a fim de buscar Elias/Uli’yah. O capitão, sabendo do que havia acontecido antes com os seus companheiros, ajoelhou-se aos pés de Elias/Uli’yah e, tremendo, disse: Homem do ETERNO, o rei mandou buscá-lo; mas, por favor tenha pena de nós!

14. Não peça fogo do céu para nos destruir! Tenha misericórdia de nós, e não nos destrua como destruiu aqueles outros. Venha, vamos até ao palácio do rei!

15. Então o Anjo do CRIADOR falou a Elias/Uli’yah: Não tenha medo; agora você pode ir com eles até ao palácio para falar com o rei. E Elias/Uli’yah foi.

16. Quando chegaram ao palácio, o profeta falou ao rei: áh rei Acazias/Ahoz’yah, vou repetir as palavras do CRIADOR: ‘Não havia um UL em Yaoshor’ul para ser consultado? Foi por isso que você mandou os mensageiros consultarem o criador Baal-Zebube, de Ecrom? Pois por causa dessa atitude, você não vai mais levantar-se dessa cama; ai mesmo vai morrer’.

17. Assim, conforme o CRIADOR havia falado pela boca do profeta, morreu o rei Acazias/Ahoz’yah. Como ele não tinha filho para reinar em seu lugar, subiu ao trono o seu irmão Yao’roam. Isto aconteceu no segundo ano do reinado de Yeoran (filho de Josafá/Yaohu’shuafat), rei de Yaohu’dah.

18. O restante da história do reinado de Acazias/Ahoz’yah está registrado na História dos Reis de Yaoshor’ul.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

12

ISAÍAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Yashua’yah 1

Uma nação rebelde

1Estas são as mensagens que foram comunicadas a Yashua’yah, filho de Am’oz, através das visões que teve durante os reinados de Uzi’yah, Yaotam, Ahoz e Kozoq’yah, reis de Yaohu’dah. Nestas mensagens UL mostrou-lhe o que iria acontecer a Yaohu’dah e a Yah’shua-oleym. 2Ouçam, ó Shan’maym (céus) e Eretz (terra), prestem ouvidos, porque é UL quem fala: Os filhos que eu criei, e dos quais tratei com tanto cuidado, voltaram-se contra mim. 3Até os animais, como o boi ou o jumento, conhecem o dono e apreciam os cuidados que têm com eles. Mas, tal não acontece com o meu povo de Yaoshor’ul: seja o que for que eu faça por eles, não compreendem, não se interessam. 4Que nação pecadora que eles são! Andam carregados sob o peso da maldade. E os seus pais também eram corruptos. Voltaram as costas a YAOHUH, blasfemaram do santo de Yaoshor’ul; foram eles próprios quem desprezou a minha ajuda. 5Ó, meu povo, não foram vocês já bastante castigados? Porque me forçam a castigar-vos sempre e sempre? Tornar-se-ão vocês rebeldes para sempre? 6Com efeito, da cabeça aos pés, tudo em vocês é doença, fraqueza, debilidade; estão cobertos de contusões, nódoas negras, feridas já infetadas, que nunca foram tratadas, nem ligadas com pensos. 7A vossa terra está em ruínas, as vossas cidades arrasadas pelo fogo; estrangeiros vão destruindo e saqueando tudo quanto encontram, 8enquanto vocês se limitam a olhar, deixando-se ficar abandonados, desamparados como a pobre cabana dum guarda no meio do campo, depois da seara ter acabado, ou quando a colheita foi roubada e pilhada. 9Dizem vocês: Se o Criador dos Tzavulyao celestiais não tivesse vindo para poupar ainda alguns de nós, teríamos sido açoitados como foram Sedoma e Amorah! 10Ouçam, chefes de Yaoshor’ul, e vocês, gente de Sedoma e de Amorah. Ouçam a palavra de UL. Escutem o que ele tem para vos dizer! 11Estou farto dos vossos sacrifícios. Não quero mais gordura de carneiros. Não quero ver mais o sangue dos vossos holocaustos. 12Quem é que vos pede sacrifícios quando vocês não se sentem abatidos pelos vossos pecados? 13O incenso que me trazem é como um cheiro mau que me sobe até ao nariz. 14As vossas celebrações sagradas quando das luas novas, assim como os Shabbos, e os vossos dias especiais de jejum, tudo isso para mim é uma fraude! Não quero mais saber dessas coisas. Repudio tudo isso. Estou cansado de ter que as suportar. 15Daqui em diante quando orarem de mãos estendidas para os Shan’maym (céus), não olharei nem escutarei nada. Ainda mesmo que multipliquem as orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos são as de assassinos; estão manchadas com o sangue de vítimas, inocentes. 16Oh! Lavem-se! Limpem-se! Que eu não vos veja mais a praticar toda essa maldade. Acabem com a vossa má conduta. 17Aprendam a prática do bem; aprendam sendo justos, a ajudar os oprimidos, os órfãos e as viúvas. 18Venham então ter comigo e conversemos! – diz o Criador. Por mais profundas que sejam as manchas do vosso pecado, eu poderei tirá-las, e tornar-vos tão limpos como a neve ao cair. Ainda que essas manchas sejam vermelhas como o carmezim, podereis tornar-vos branco como a mais branca lã! 19Se quiserem e se me ouvirem, se me obedecerem, terão tudo o que há de melhor! 20Mas, se continuarem a voltar as costas e a recusar ouvir-me, serão devorados pelos vossos inimigos. Eu, o Criador, é quem vos diz isto. 21Yah’shua-oleym já foi para mim como uma esposa fiel. Agora, tornou-se como uma prostituta! Anda atrás de os falsos criadores, os ídolos! Já foi, uma vez, a cidade da justiça, e agora fez-se uma cidade de assassinos. 22Foi em tempos como prata genuína; e tornou-se agora numa liga inferior, de metais sem valor! Antigamente tão pura, e presentemente sem qualidade nenhuma, tal como um vinho misturado de água. 23Os seus chefes são rebeldes, são companheiros de ladrões; todos eles se deixam subornar, e são incapazes de fazerem justiça aos órfãos; nem se interessam sequer pela causa das viúvas. 2425Por isso, eis o que tem para falar o Criador dos Tzavulyao celestiais, o poderoso de Yaoshor’ul: Trasbordarei a minha ira sobre vocês, que são inimigos! Eu próprio vos fundirei num cadinho e deitarei fora a escória. 26E depois, tornarei a dar-vos bons juízes e conselheiros sábios, semelhantes aos que costumavam ter. Então a tua cidade se chamará novamente a cidade da justiça, a cidade fiel. 27E os que se voltarem para UL’HIM, que praticarem a justiça e que forem bons, serão redimidos. 28Mas, todos os pecadores serão totalmente destruídos porque recusam vir até mim. 29Ficarão cheios de vergonha, e corarão só de pensar em todos esses sacrifícios que fizeram aos ídolos nos bosques de carvalhos sagrados. 30Hão de perecer como uma árvore que secou ou como um jardim que deixasse de ser regado. 31O mais forte desaparecerá como palha a arder; as vossas más ações são como as faíscas que pegarão fogo à palha, e que ninguém poderá apagar.

 

LINGUAGEM MODERNA:

Yashua’yah 1

1. ESTAS SÃO AS mensagens que Isaías/Yashua’yah, filho de Am’oz, recebeu do ETERNO nas visões que teve, durante os reinos de Uzi’yah, Yaotan, Acaz/Ahóz e Ezequias/Kozoq’yah, reis de Yaohu’dah. Nessas mensagens, o CRIADOR mostrou a ele o que iria acontecer a Yaohu’dah e Yah’shua-oleym.

2. Céus, terra, escutem! Escutem o que o CRIADOR diz: Os filhos que eu criei com tanto amor e cuidado, os filhos que Eu ajudei a crescer e ficar fortes, se revoltaram contra Mim.

3. Até os animais: O boi e o jumento conhecem e amam o dono, que cuida deles. Mas o meu povo, Yaoshor’ul, não Me conhece nem Me ama. Por mais que Eu faça, eles não se importam comigo.

4. Que povo cheio, carregado de pecado! A culpa do povo de Yaoshor’ul é tão grande que eles andam curvados com o peso! E isso é de família; são iguaizinhos aos pais! São ruins de nascimento e vivem para a maldade! Viraram as costas para o ETERNO e desprezaram o Santo de Yaoshor’ul. Escolheram viver sem a Minha ajuda.

56. Ah, meu povo, vocês ainda não se cansaram de ser castigados? Vão me obrigar a viver batendo em vocês? Vão continuar revoltados contra Mim? Vocês estão doentes da cabeça aos pés, cheios de feridas abertas, sujas, cheias de sangue e de pus, feridas que nunca foram tratadas!

7. O país está sendo destruído. As cidades estão queimadas. As plantações estão sendo roubadas pelos inimigos, enquanto vocês olham sem poder fazer nada.

8. Sua capital, Yah’shua-oleym, está caindo aos pedaços como a cabana do vigia, depois que a plantação foi colhida: Ou destruída pelos ladrões.

9. Se o CRIADOR do Universo não viesse salvar alguns, nós acabaríamos sendo completamente arrasados como Sedoma e Amorá.

10. Que boa comparação! Escutem o que o CRIADOR diz, líderes de Yaoshor’ul, vocês que são iguais aos homens de Sedoma! Escutem yaohu’dins, vocês que são iguais ao povo de Amorá, escutem o que o CRIADOR diz!

11. Já não suporto mais os seus sacrifícios. Chega! Não quero mais os seus gordos carneiros, nem o sangue dos animais que vocês Me oferecem.

1213 Para que servem os sacrifícios, se vocês nem sentem tristeza quando pecam? O incenso que vocês queimam para Mim, cheira mal. Suas festas religiosas: a lua nova e o Dia do Descanso [Shabbós], os seus jejuns: não passam de grossas mentiras! E não há nada que Eu odeie tanto quanto uma religião fingida!

14. Eu não aguento mais todas essas festas. Eu sofro com elas; já nem posso olhar para essas cerimônias!

15. De agora em diante, vocês podem orar com as mãos levantadas para o céu, mas Eu não vou atender! Podem fazer muitas orações, mas Eu não ouvirei nenhuma delas. E sabem por quê? Porque vocês são todos assassinos! As suas mãos estão sujas com o sangue das suas vítimas inocentes.

16. Vamos, limpem-se de seus pecados! Limpem-se! Não quero mais ver vocês fazendo todas essas maldades; parem de uma vez de fazer o mal!

17. Aprendam a fazer o bem, a ser honestos e a ajudar os pobres, os órfãos e as viúvas.

18. Venham, vamos discutir o assunto até o fim! Por mais fundas e feias que sejam as manchas dos pecados que vocês cometeram, Eu posso limpar essas manchas completamente! Vocês ficarão limpos e brancos como a neve que acabou de cair. Mesmo que os seus pecados sejam vermelhos como sangue, Eu os deixarei brancos como cal!

19. Se ao menos vocês Me deixassem ajudar, se ao menos vocês Me obedecessem, poderiam viver, ricos e felizes, na terra.

20. Mas, se continuarem rebeldes, sem querer ouvir o que Eu digo, serão mortos pelos seus inimigos. Fui Eu, o CRIADOR, quem disse isso!

21. Ah, Yah’shua-oleym! Antes você era a minha esposa fiel; agora não passa de uma prostituta, correndo atrás de os ídolos! Na que era antes a Cidade da Justiça habitam agora bandos de assassinos.

22. Antes você era bonita e valiosa como prata de lei, agora é um monte de metal sem valor! Antes você era pura, mas agora parece vinho aguado!

23. As suas autoridades se revoltaram contra o CRIADOR, e fizeram amizade com ladrões. Recebem parte do que os ladrões roubam, e não dão atenção aos problemas das viúvas e dos órfãos.

24. Por isso, o CRIADOR do Universo, o Poderoso de Yaoshor’ul, avisa: Vou ajustar as contas, vou castigar duramente os meus inimigos!

25. Vou limpar Yaoshor’ul de toda a sua sujeira; o fogo vai queimar o metal sem valor, o lixo.

26. E quando acabar essa limpeza, darei bons juízes e conselheiros sábios, como Yah’shua-oleym tinha no princípio. Então ela voltará a ser chamada A Cidade de Justiça e A Cidade Fiel.

27. Os yaohu’dins que se arrependerem e voltarem a obedecer ao CRIADOR, sendo justos e bondosos, serão salvos por Ele.

28. Mas os teimosos, que insistem em viver pecando, e abandonam ao CRIADOR serão completamente destruídos.

29. Vocês, que adoravam falsos ídolos das árvores e dos bosques, ficarão cobertos de vergonha.

30. Vocês murcharão como uma árvore velha, secarão como um jardim que não é regado.

31. O homem mais forte e poderoso em Yaoshor’ul será como a palha; as grandes maldades que os yaohu’dins fizeram serão a chama que queima toda a palha e ninguém conseguirá apagar esse incêndio.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

13

JEREMIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Yarmi’yah 1

1Estas são as mensagens de UL a Yarmi’yah o sacerdote (filho de Hilki’yah) que viveu na cidade de Anatote, na terra de Benyamim. 2A primeira destas mensagens foi-lhe transmitida no décimo terceiro ano do reinado de Yaosa’yah, filho a Amom, rei de Yaohu’dah. 3As outras foram no reinado de Yao’akim (filho de Yaosa’yah), rei de Yaohu’dah, e em várias outras vezes até agosto do ano décimo primeiro do reinado de Tzaodoq’yah (filho de Yaosa’yah), rei de Yaohu’dah, em que Yah’shua-oleym foi tomada e o seu povo levado cativo como escravos.

A chamada de Yarmi’yah

4UL disse-me: 5Conheci-te antes que fosses formado dentro do ventre de tua mãe; antes de teres nascido te santifiquei e te nomeei como meu porta-voz para o mundo. 6Óh, UL, disse eu, não posso fazer isso! Sou ainda tão novo! Sou apenas um moço! 7Não digas isso, replicou-me ele, porque irás onde eu te mandar e dirás tudo o que te indicar. 8E não tenhas medo do povo, porque eu, UL, serei contigo para te livrar. 910Então tocou-me na boca e disse: Vê, pus as minhas palavras na tua boca! Hoje começa o teu serviço de advertir as nações e os governos do mundo. De acordo com as minhas palavras, ditas através da tua boca, derribarei alguns deles para os liquidar, e estabelecerei outros e os alimentarei, tornando-os fortes e grandes. 11Então UL disse-me: Repara Yarmi’yah! O que vês tu? E respondi: Vejo uma vara feita de um ramo de amendoeira. 12É verdade, e significa isso que eu estou certamente atento a que a minha palavra se cumpra. 13Depois YAOHUH tornou a perguntar-me: E agora, que vês tu? Eu respondi: Vejo um recipiente com água a ferver, virado para o sul e derramando-se sobre Yaohu’dah. 14Sim, é isso mesmo. Porque terror vindo do norte ferverá sobre todo o povo desta terra. 1516Estou a convocar os exércitos nas nações do norte para que venham a Yah’shua-oleym e ponham os seus tronos nas entradas da cidade e ao longo das suas muralhas, assim como em todas as outras cidades de Yaohu’dah. Esta é a forma como hei de castigar o meu povo por ter-me abandonado, e por ter ido queimar incenso aos falsos criadores, os ídolos, – ídolos feitos por eles próprios!  17Levanta-te então, veste-te, e vai dizer-lhes tudo o que eu te disser. Não tenhas receio deles, pois doutra forma não terás a força necessária para te confrontares com eles 1819Porque farei que te tornes inabalável perante os seus ataques. Eles não poderão ferir-te. Serás tão forte como uma cidade fortificada, que seja impossível capturar, como uma coluna de ferro, como pesados portões de bronze. Nenhum rei de Yaohu’dah, nem os seus nobres ou sacerdotes, nem o povo, poderão prevalecer contra ti. Eles tentarão, sim, mas, não conseguirão, pois que estou contigo, diz o Criador; eu te livrarei.

 

LINGUAGEM MODERNA:

Yarmi’yah 1

12. ESTAS SÃO AS mensagens que o CRIADOR deu a Jeremias/Yarmi’yah, filho de Hilki’yah. Ele era um sacerdote e morava na cidade de Anatote, na terra de Benyamín. Jeremias/Yarmi’yah recebeu a primeira mensagem no décimo terceiro ano do reinado de Josias/Yaosa’yah, filho de Amom, rei de Yaohu’dah.

3. O CRIADOR lhe deu outras mensagens durante o reinado de Jeoaquim/Yaohu’akin, filho de Josias/Yaosa’yah, rei de Yaohu’dah, e em várias outras ocasiões, até o mês de julho do décimo primeiro ano do reinado de Tzaodoq’yah, filho de Josias/Yaosa’yah, rei de Yaohu’dah. Foi então que Yah’shua-oleym foi destruída e os moradores da cidade foram levados para longe como escravos.

4. O CRIADOR me disse:

5. Eu já o conhecia antes de você ter sido formado no ventre de sua mãe. Antes do seu nascimento, Eu já havia separado e escolhido você para ser o meu profeta e mensageiro às nações.

6. Então eu respondi: Ah, UL (CRIADOR)! Eu não sou capaz disso; sou novo demais, não passo de uma criança!

7. Não fale assim, respondeu Ele, porque você irá aonde Eu mandar e falará tudo o que Eu disser.

8. Você não precisa ter medo de pessoa alguma porque Eu, o CRIADOR, estarei ao seu lado e o livrarei do mal.

9. Depois disso, o CRIADOR tocou minha boca com a Sua mão e disse: Veja, Eu coloquei as minhas palavras na sua boca!

10. Hoje começa sua tarefa de avisar as nações e os reinos do mundo. De acordo com as minhas palavras, que você vai falar, Eu derrubarei reinos, arrancarei nações e destruirei povos. Também plantarei e farei crescer outros povos e nações!

11. Mais uma vez o CRIADOR falou comigo e perguntou: Olhe, Jeremias/Yarmi’yah! O que você está vendo? Eu respondi: Estou vendo um chicote feito com um ramo de amendoeira.

12. O CRIADOR me respondeu: Exatamente. Isso significa que Eu vou cumprir, sem falta, as promessas de castigo que fiz.

13. De novo, o CRIADOR me perguntou: E agora, Jeremias/Yarmi’yah, o que você está vendo? E eu respondi: Vejo um caldeirão com água fervendo. A boca desse caldeirão está virada para o sul, em direção a Yaohu’dah.

14. Isso mesmo, disse Ele, porque é do norte que virá o terrível castigo sobre o povo desta terra.

15. Eu estou convocando os exércitos dos reinos do Norte. Eles virão a Yah’shua-oleym, colocarão os seus tronos em frente às portas e ao longo dos muros da cidade. Farão isso em todas as cidades de Yaohu’dah.

16. Assim Eu vou dar ao meu povo o castigo que havia prometido por ter Me abandonado, adorando os ídolos: adorando ídolos que eles mesmos fizeram!

17. Vamos Jeremias/Yarmi’yah! Levante-se, vista-se e saia para anunciar ao povo tudo que Eu revelar a você. Não tenha vergonha da minha Palavra, senão Eu mesmo farei você passar vergonha diante de todo o povo.

18. Eu hoje tornei você invencível, não será destruído pelos ataques deles. Você será forte como uma fortaleza que não pode ser tomada. Será como uma coluna de ferro e como um muro de bronze.

19. Eles vão tentar acabar com você, mas não conseguirão. Estou ao seu lado, diz o CRIADOR, e o livrarei.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

14

EZEQUIEL [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Kozoq’ul 1

As criaturas estranhas e a Glória de UL

13Kozoq’ul (filho de Buzi) era um sacerdote que vivia no meio dos yaohu’dins exilados nas proximidades do rio de Kebar em Bavel. Em cinco de julho do meu trigésimo ano, abriram-se os Shan’maym (céus) de repente perante mim, e tive visões de UL. Era o quinto ano do cativeiro do rei Yaocan’ahin; a palavra de UL foi-me dirigida pessoalmente e a sua mão esteve sobre mim. 4Houve um forte vento tempestuoso vindo do norte, empurrando uma nuvem enorme que ardia em fogo e que espalhava à sua volta uma luminosidade intensa; no meio havia algo que brilhava como cobre polido. 56Então, do centro da nuvem saíram quatro estranhas criaturas que se parecia com seres humanos, mas, que tinham quatro rostos cada um e ainda dois pares de asas! 78Tinham pernas direitas, mas, pés com cascos de bezerro e brilhavam como cobre polido. Debaixo das asas pude ver-lhes mãos humanas. Os quatro tinham rostos e asas assim dispostos: 912Estavam juntos, asas com asas, e voavam em frente, em linha reta, sem desvios. Na frente do corpo tinham um rosto humano; para o lado direito da cabeça, um rosto de leão; no lado esquerdo, um rosto de boi e atrás, de águia. Os dois pares de asas saíam-lhes do meio das costas. Um par estendia-se até às asas da criatura que estava a seu lado, e o outro par cobria-lhes o corpo. Iam para onde quer que desejassem ir, sem se virar. 1314Entre eles havia outras formas, que se deslocavam para cima e para baixo e que pareciam como brasas de carvão, ou como algo que ardesse intensamente. Fogo se movia entre esses seres, e brilhava intensamente, expelindo relâmpagos. 1518Enquanto olhava para isto tudo, vi ainda quatro rodas no chão, debaixo das criaturas; uma roda sob cada uma. As rodas tinham a cor de uma pedra preciosa, todas iguais, e cada uma delas tinha outra, na parte interior, atravessada. Podiam assim rodar para frente e para os lados sem se virarem. As quatro rodas tinham aros e raios; os aros estavam cheios de olhos em toda a volta. 1921Quando os quatro seres viventes se deslocavam para frente, as rodas seguiam-nos; se, se elevavam, as rodas também se levantavam; se paravam, também as rodas. Porque o espírito das criaturas estava também nas rodas; por isso, para onde quer que o seu espírito fosse, tanto as rodas como os seres seguiam-no. 22Os Shan’maym (céus) em cima pareciam feitos de cristal; eram duma beleza indescritível. 2325As asas de cada um dos seres estendiam-se direitas até tocaram nas do outro ao lado; e com o outro par de asas cobriam o corpo. Quando se deslocavam, as asas, ao baterem, faziam um ruído semelhante ao das vagas rebentando na praia, ou semelhante à voz de UL, ou ainda parecido com o tumulto de um grande exército. Quando paravam, baixavam as asas. E ouvia-se uma voz do firmamento de cristal por cima deles. 26Por cima desse firmamento estava algo semelhante a um trono, feito de belas pedras de safira azuis, e nele estava sentado alguém que parecia ser um homem. 2728Da cintura para cima, parecia ser de bronze brilhante, luzindo como fogo; para baixo, dava a impressão de ser todo ele uma chama; havia um resplendor em volta dele como o Arco do CRIADOR nas nuvens, num dia de aguaceiros. Foi assim que me apareceu a Glória de UL. Quando vi aquilo, caí com o rosto em terra e ouvi a voz de alguém que me falava:

  

LINGUAGEM MODERNA:

KOZOQ’UL 1

13. KOZOQ’UL FOI UM sacerdote (filho de Buzi) que viveu entre os yaohu’dins levados como escravos para Bavel, às margens do Canal de Kebar. Certo dia, no fim de junho, cinco anos depois do rei Joaquim/Yaocan’ahin ter sido levado preso para Bavel, quando eu tinha trinta anos de idade, o céu se abriu de repente e o CRIADOR me mostrou muitas visões; o CRIADOR me mostrou claramente o seu poder.

4. Nessa visão, uma grande ventania vinha em minha direção, do norte. A ventania empurrava uma grande nuvem, muito brilhante, carregada de fogo. Dentro da nuvem, no meio do fogo, havia algo que brilhava como bronze bem polido.

5. Do centro dessa nuvem surgiram quatro criaturas semelhantes a um homem, mas muito estranhas.

6. Cada criatura tinha quatro rostos e quatro asas!

7. As suas pernas pareciam pernas de homem, mas em vez de pés, tinham cascos de boi que brilhavam como se fossem de metal.

8. Além disso, debaixo das suas asas eu pude ver mãos humanas. As quatro criaturas eram todas iguais, com rostos e asas.

9. As asas esticadas de cada Ser tocavam nas pontas das asas de outro Ser; moviam-se sempre para a frente, sem qualquer desvio.

10. O primeiro rosto dessas criaturas era de homem; o rosto da direita era de leão, o da esquerda era de boi, e o de trás era rosto de águia.

11. Cada criatura tinha dois pares de asas, que saíam do meio de suas costas. As asas do primeiro par tocavam nas asas de duas outras criaturas; as asas do segundo par cobriam o corpo de cada criatura.

12. Elas se moviam na direção em que o Espírito queria; sempre em frente, e sem se virar para os lados.

13. As quatro criaturas eram brilhantes como brasas de uma fogueira, como uma tocha. Entre elas corria um fogo muito brilhante, do qual saíam relâmpagos.

14. As criaturas voavam em todas as direções rápidas como relâmpagos.

15. Depois de ter visto tudo isso, vi quatro rodas no chão, uma ao lado de cada criatura.

16. As rodas pareciam feitas de um metal dourado e brilhante. Eram todas iguais, e parecia haver uma outra roda dentro de cada uma delas.

17. As rodas podiam andar em qualquer direção, sem precisar fazer curvas ou voltas.

18. Os aros das rodas me deixaram assustado porque eram altos, e estavam cheios de olhos ao seu redor.

1921. Quando as criaturas se moviam para a frente, as rodas se moviam para a frente. Quando as criaturas subiam, as rodas também subiam. Bastava as criaturas pararem, para as rodas pararem também. As criaturas e as rodas iam sempre na direção em que o Espírito queria. O mesmo Espírito que dirigia as criaturas, dirigia as rodas.

22. Acima das criaturas, havia uma superfície brilhante como cristal, parecida com o céu, que me deixou muito impressionado.

23. As asas das criaturas estavam estendidas por debaixo daquela superfície e tocando umas nas outras. As outras duas asas de cada criatura cobriam seus corpos.

2425. Quando elas voavam, o barulho de suas asas parecia o som das ondas do mar quebrando na praia; parecia a própria voz do ETERNO, parecia o tropel de um grande exército em marcha. Quando as criaturas paravam, abaixavam suas asas. E, a cada vez que paravam, eu ouvia uma voz que vinha daquela superfície brilhante acima das criaturas.

26. E, sobre essa superfície brilhante, havia alguma coisa parecida com um trono azul, feito de safira. Assentado no trono estava Alguém que parecia ser um homem!

2728. Da cintura para cima era brilhante como metal no meio do fogo; da cintura para baixo parecia feito de fogo puro, muito brilhante. Tudo em volta daquele Alguém brilhava com muitas cores, como o Arco do CRIADOR. Foi assim que eu vi a glória do CRIADOR. Ao ver tudo isso, caí por terra e escondi o meu rosto. Então aquele Alguém falou!

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

15

DANIEL [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Dayan’ul 1

A preparação de Dayan’ul na Bavel

12Três anos depois do rei Yao’akim ter começado a reinar em Yaohu’dah, o rei de Bavel, Nebuchadnezar, atacou Yah’shua-oleym com os seus exércitos, e o Criador deu-lhe a vitória sobre Yao’akim. Antes de regressar a Bavel, tiraram algumas, das taças sagradas do Templo de UL’HIM, e pô-las depois no tesouro do seu ídolo. 34Então mandou a Aspenaz, que era o maoro’eh do pessoal de serviço no palácio real, que selecionasse alguns dos jovens yaohu’dins trazidos como cativos – jovens de linhagem real, pertencentes à nobreza de Yaohu’dah – para lhes ensinar a língua dos caldeus e a sua cultura. Escolham-me uns moços fortes, saudáveis, de bela aparência, disse ele, que sejam instruídos em todos os domínios do saber, com uma boa cultura geral; e que dessa forma possam estar preparados para viver no palácio. 5O rei ordenou que lhes dessem do melhor alimento a comer e do melhor vinho a beber, de tudo aquilo que lhe era servido a ele próprio; e isso durante três anos, para que no final desse período de preparação viessem sendo seus conselheiros. 67Dayan’ul, Khanan’yah, Mishua’ul e Ozor’yah foram quatro dos jovens escolhidos de todas as tribos de Yaohu’dah. O responsável pela sua formação pôs-lhes outros nomes, nomes de divindades babilônicas: A Dayan’ul chamou Beltessazar; a Khanan’yah, Sadraque; a Mishua’ul, Mesaque e a Ozor’yah, Abednego. 8Mas, Dayan’ul assentou no seu coração não se contaminar com o alimento e o vinho que o monarca lhes dava. Pediu então a esse responsável que lhes permitisse alimentarem-se antes de outras coisas. 9Aconteceu até que UL fez que esse homem tivesse certa simpatia especial para com Dayan’ul e usasse de certa tolerância. 10No entanto ficou alarmado com a sugestão de Dayan’ul: Tenho receio que vocês fiquem com um aspecto mais débil quando comparados com os outros da vossa idade, e que o rei me mande decapitar por ter negligenciado as minhas responsabilidades. 1113Dayan’ul foi ter com o mordomo, a quem o responsável tinha encarregado de cuidar de Dayan’ul, de Khanan’yah, de Mishua’ul e de Ozor’yah, sugerindo-lhe que durante dez dias os deixasse submeterem-se a um regime de apenas vegetais e água[1]; no final desse período o mordomo poderia comparar a aparência deles com a dos outros que comiam da comida do rei e logo veria se sim ou não continuaria com esse regime alimentar. 1416O mordomo acabou por concordar. No fim dos dez dias, Dayan’ul e os seus três amigos pareciam mais saudáveis e mais bem alimentados do que os jovens que tinham comido a comida real. O mordomo passou assim a dar-lhes unicamente vegetais e água, retirando-lhes da alimentação os outros ricos pratos e os vinhos. 17YAOHUH concedeu a estes quatro moços uma grande capacidade de aprendizagem, de tal forma que em breve dominavam já os conhecimentos e a cultura daquele tempo. O Criador deu mesmo a Dayan’ul uma especial competência para compreender o significado de sonhos e de visões. 1819Quando aquele período de três anos de preparação e estudo se completou, o responsável nomeado pelo soberano trouxe todos os jovens à presença deste, para serem examinados. O rei Nebuchadnezar conversou longamente com cada um deles; mas, aqueles que mais o impressionaram foram sem dúvida Dayan’ul, Khanan’yah, Mishua’ul e Ozor’yah. E passaram a ocupar o seu lugar na equipe de conselheiros reais. 20E em todos os assuntos em que se requeria uma informação exata e a emissão de pareceres inteligentes, o monarca achava os juízos destes jovens sempre dez vezes melhores do que todos os outros sábios e cientistas do seu reino. 21Dayan’ul manteve-se nesse lugar de conselheiro do rei até ao primeiro ano do reinado de Kerosh [Ciro].


 


[1] Alguns, aproveitando-se desta passagem, alegam que Dayan’ul era vegetariano… No entanto, a sua recusa era por razões doutrinárias e não por sua orientação de vida. Veja Dn 10:3.

 

LINGUAGEM MODERNA:

DAYAN’UL 1

12. TRÊS ANOS DEPOIS do começo do reinado do rei Jeoaquim/Yaohu’akin em Yaohu’dah, Nebushadnezar, rei de Bavel, atacou Yah’shua-oleym com o seu grande exército. O CRIADOR deu a Nebushadnezar uma grande vitória sobre o rei Jeoaquim/Yaohu’akin, e quando voltou para Bavel, ele levou alguns dos vasos sagrados que havia no Templo do Criador e os colocou na casa do seu criador, na terra de Sinear.

34. Lá, ele mandou Aspenaz, chefe do palácio real, a escolher alguns rapazes entre os yaohu’dins que haviam sido presos em Yah’shua-oleym: rapazes de família real e das famílias ricas e importantes de Yaohu’dah. Eles deveriam aprender a língua, os costumes e a ciência dos caldeus. Escolha rapazes fortes, com boa saúde e de boa aparência disse o rei; eles devem ter boa instrução, boa cultura geral e distinção suficiente para viverem no palácio real.

5. O próprio rei escolheu a comida que devia ser dada aos jovens. Tudo do bom e do melhor, da própria despensa do rei, vinhos e carnes. Eles deveriam se alimentar dessa comida por três anos. Quando terminasse o treinamento, passariam a ser auxiliares do rei.

6. Entre os rapazes escolhidos, estavam Dayan’ul, Hananias/Khanam’yaohuh, Mizael/Mishua’ul e Azarias/Ozor’yah, todos eles da tribo de Yaohu’dah.

7. Mas Aspenaz, chefe do pessoal do palácio, deu aos quatro rapazes outros nomes: O nome de Dayan’ul passou a ser Beltessazar; o de Khanam’yaohuh, Sadraque; o de Mishua’ul, Mesaque; o de Ozor’yah, Abednego.

8. Daniel/Dayan’ul decidiu que nunca iria comer a comida ou beber os vinhos que o rei havia dado aos rapazes, porque eram coisas imundas para os yaohu’dins. Ele pediu ao chefe dos empregados para comer outras coisas.

9. Sem Daniel/Dayan’ul saber, o CRIADOR tinha colocado no coração do supervisor uma admiração e interesse especiais por ele.

10. Apesar disso, Aspenaz ficou alarmado com a sugestão de Daniel/Dayan’ul. Eu tenho medo! O rei já determinou o que vocês devem comer. Se ele os vir magros e fracos em comparação com os outros rapazes da sua idade, vai mandar cortar a minha cabeça porque não obedeci as ordens que ele me deu!

1112. Daniel/Dayan’ul procurou o mordomo que o chefe tinha indicado para cuidar dele, de Hananias/Khanam’yaohuh, de Mishua’ul e Azarias/Ozor’yah, e sugeriu que durante dez dias eles comessem apenas legumes e só bebessem água.

13. Quando terminassem os dez dias, o mordomo poderia comparar os quatro com os outros rapazes que comiam a comida fina dada pelo rei, e decidir se deveria ou não deixar que os quatro continuassem em sua dieta especial.

14. O mordomo acabou concordando com a sugestão.

15. Dez dias depois, Daniel/Dayan’ul e seus três amigos estavam com melhor aparência, mais fortes e saudáveis que os rapazes que haviam comido das comidas finas dadas pelo rei!

16. Depois disso, o mordomo só lhes deu os legumes e água, deixando de lado as comidas pesadas e os vinhos dados pelo rei.

17. O CRIADOR deu aos quatro rapazes uma capacidade de aprender fora do comum, e logo eles conheciam muito bem toda a literatura e a ciência de sua época. Além disso, o CRIADOR deu a Daniel/Dayan’ul uma capacidade especial para compreender os significados dos sonhos e visões.

1819. Quando os três anos de treinamento terminaram, o chefe dos empregados levou todos os rapazes diante do rei, conforme as ordens que tinha recebido. O rei Nebushadnezar conversou longamente com cada um deles, mas nenhum dos rapazes o impressionou tanto quanto Daniel/Dayan’ul, Hananias/Khanam’yaohuh, Mishua’ul e Azarias/Ozor’yah. Por isso, eles passaram a fazer parte do grupo de conselheiros do rei.

20. Em todos os assuntos que exigiam conhecimento e capacidade de julgar, o rei descobriu que os conselhos daqueles quatro rapazes eram melhores que dos outros mágicos e astrólogos do seu reino.

21. Daniel/Dayan’ul continuou no cargo de conselheiro do rei até o primeiro ano do reinado de Ciro/Kerósh.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

16

JOEL [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Yao’ul 1

A invasão de gafanhotos

1Esta mensagem veio da parte de UL para Yao’ul, filho de Petu’ul: 2Ouçam, vocês, anciãos de Yaoshor’ul! Que todos escutem! Em todo o tempo da vossa vida, sim, em todo o tempo da história do vosso país, jamais se ouviu coisa semelhante àquilo que vou dizer-vos? 3Nos anos vindouros contem isso aos vossos filhos; que esta terrível narração passe de geração em geração. 4Depois da lagarta [cortador] ter comido as vossas searas, veio o gafanhoto [migrador] e comeu parte do que ficou; depois veio o saltão [devorador] e por fim outros gafanhotos [destruidor], que comeram o resto que ficou dos anteriores. 57Despertem e chorem vocês, ébrios, porque as vinhas estão destruídas e perdeu-se todo o vinho! Um vasto exército de gafanhotos cobre a terra; é demasiado numeroso para se poder contar; têm dentes tão pontiagudos como os do leão! Arruinaram as minhas vinhas e descascaram as figueiras, deixando os troncos e os ramos nus e brancos. 8Chorem de tristeza, como uma noiva que perdeu o seu jovem marido. 9Foram-se as oferendas de comida que deviam ser trazidos ao Templo de UL; os sacerdotes perecem com fome. Ouçam os clamores destes líderes espirituais [roshs] do Criador. 10Os campos não têm sementeiras. Por toda a parte apenas se vê tristeza e desolação. Perderam-se os cereais, o vinho e o azeite. 11É natural que os agricultores andem por aí desorientados e abatidos; é natural que os vinhateiros chorem de desespero. Chorem os que contavam com o trigo e a cevada, porque também se perderam. 12As vides secaram; as figueiras morreram; o mesmo aconteceu com as romeiras, as macieiras, todas as árvores dos pomares; se foi toda a alegria que se punha nelas ma chamada ao arrependimento. 13Óh sacerdotes, vistam-se de saco. Óh serventes espirituais do meu UL inclinem-se durante toda a noite perante o altar, chorando, porque não haverá mais ofertas de cereais para vocês. 14Anunciem um jejum; convoquem uma solene assembléia. Reúnam os anciãos e todo o povo no Templo de UL’HIM, vosso Criador, e chorem perante ele. 15In-felizmente, este terrível dia de julgamento está já a caminho. Está quase chegando a destruição do Todo Poderoso! 16O nosso alimento desaparecerá perante os nossos olhos; toda a alegria e contentamento no Templo do nosso UL terminarão. 17As sementes apodrecem debaixo do chão; os celeiros e os armazéns estão vazios; o trigo secou nos campos. 18As ovelhas clamam com fome; os anciãos estão desorientados, porque não há pastagens para os animais; os rebanhos de ovelhas vão desaparecendo de miséria. 19UL, socorre-nos! Porque o calor queimou as pastagens e todas as árvores. 20Até os animais selvagens clamam por socorro, porque não acham água. Secaram os rios e as pastagens estão queimadas.

 

LINGUAGEM MODERNA:

YAO’UL 1

1. O CRIADOR ENVIOU esta mensagem a Joel/Yao’ul, filho de Petu’ul:

2. Escutem bem, velhos de Yaoshor’ul! Ouçam todos! Vocês já ouviram, em toda a sua vida, em toda a história de seu povo, alguma coisa igual à que vou lhes contar?

3. No futuro, contem isso a seus filhos; essa história terrível deve ser transmitida de geração a geração.

4. Depois que o gafanhoto cortador deixar de devorar suas plantações, os gafanhotos migradores comerão o que sobrou. Depois deles virão os gafanhotos saltadores e finalmente os gafanhotos devoradores.

5. Bêbados, acordem e chorem! Pois todas as uvas foram destruídas e o vinho acabou completamente.

6. Um grande exército de gafanhotos cobriu a terra. É um exército tão grande que não se pode contar e seus dentes são tão afiados como os dos leões!

7. Eles acabaram com as minhas vinhas e arrancaram a casca das figueiras, deixando à vista o tronco e os galhos.

8. Chorem de tristeza, e fiquem de luto como a jovem que perde o noivo antes do casamento.

9. As ofertas de cereais de vinho que antes eram levadas ao templo foram cortadas; os sacerdotes estão quase morrendo de fome. Ouçam o choro dos ministros do ETERNO.

10. Os campos estão vazios de colheitas. Em toda parte o que há é tristeza e pranto. O cereal, as uvas e o azeite acabaram.

11. Vocês, fazendeiros, têm toda a razão para estarem abalados e abatidos; e vocês, que plantam uvas, têm toda razão para chorar. Chorem pelo trigo e pela cevada também, porque toda a colheita morreu.

12. Os pés de uvas estão mortos; as figueiras estão morrendo; as tâmaras e as romeiras estão murchando; as maçãs secam nas árvores, e por isso toda a alegria murchou no coração dos homens.

13. Sacerdotes vistam-se de pano de saco! Ministros do meu UL ajoelhem-se, chorando por toda a noite, em frente do altar! Pois não haverá mais ofertas de cereais e vinho para vocês.

14. Convoquem um jejum; anunciem que vai haver uma reunião solene. Reúnam os mais velhos, todo o povo no Templo do ETERNO seu UL e ali, chorem diante dEle.

15. Ah, esse terrível dia de julgamento e castigo está chegando. A destruição que vem do ETERNO Todo-poderoso está bem próxima!

16. Nossa comida vai desaparecer da nossa frente: toda alegria e felicidade acabarão no templo de nosso UL.

17. As sementes apodrecem no solo; os armazéns e depósitos estão vazios; os cereais secaram nos campos.

18. O gado muge de fome; os rebanhos andam inquietos, pois não há pasto para eles; as ovelhas berram tristemente.

19. CRIADOR, ajude-nos! O calor destruiu os pastos e queimou todas as árvores.

20. Até mesmo os animais selvagens gritam pedindo a sua ajuda porque para eles também não há água. Os córregos secaram e os pastos estão completamente queimados e secos.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

17

JONAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Yao’nah 1

Yao’nah foge de UL

1UL enviou uma mensagem a Yao’nah, filho de Amitai: 2Vai à grande cidade de Nineveh e prega contra ela o seguinte, da parte de UL: ‘Vou destruir-vos, tenho visto toda a vossa maldade!’ 3Mas, Yao’nah resolveu ausentar-se para longe de UL. Desceu até à costa, até ao porto de Yaffoh, onde achou um navio que partia para Tarshish. Comprou uma passagem, entrou no barco seguindo para Tarshish e fugindo do Criador. 4Enquanto o barco navegava, UL fez levantar-se uma terrível ventania e desencadear-se uma tempestade tal que o navio estava a ponto de se despedaçar. 5Temendo pelas suas vidas, os marinheiros desesperados gritavam cada um pelo seu ídolo, e atiravam pela borda fora carregamento, para tornar mais leve a embarcação. Enquanto isto se passava, Yao’nah dormia profundamente, lá no fundo do barco. 6O capitão mandou chamá-lo. O que é que se passa contigo? Estás dormindo numa situação destas? Clama também ao teu UL, para ver se tem misericórdia de nós e nos salva! 7A tripulação resolveu tirar a sorte a fim de verificar quem é que de entre eles ofendera aos ídolos, e provocara tamanho temporal. E a sorte caiu sobre Yao’nah. 8Que foi que fizeste, perguntaram-lhe, para que este furacão tremendo caísse sobre as pessoas? Quem és tu? Que tu fazes? Donde é que vens? De que nacionalidade é que és? 9Sou hebreu. Adoro UL, o Criador dos Shan’maym (céus), que fez a terra e os mares. 1011Depois, contou-lhes que estava fugindo de UL e os homens ficaram aterrorizados: Óh, e porque é que fizeste uma coisa destas? O que é que havemos de fazer, para acabar com esta tremenda borrasca? E o tempo piorava assustadoramente. 12Deitem-me ao mar, e tudo ficará calmo outra vez. Porque sei que esta tempestade veio por causa de mim. 13Entretanto os remadores tentavam em vão levar o barco para a costa; a tormenta era tal que se tornava impossível lutar contra ela. 14Então bradaram um rogo ao UL, o Criador de Yao’nah: Óh UL, não nos tires a nós a vida por causa do pecado deste homem; não nos tornes responsáveis pela sua morte. A culpa não é nossa. Enviaste esta tempestade sobre ele, tu sabes por que razão. 15Pegaram depois em Yao’nah, lançaram-no pela borda afora e tudo se acalmou! 16Aquelas pessoas ficaram cheias de um imenso respeito pelo Criador; ofereceram-lhe sacrifícios e fizeram votos de o servir. 17No entanto, o Criador preparou um grande peixe para que engolisse Yao’nah. Este ficou vivo no interior do peixe três dias e três noites.

 

LINGUAGEM MODERNA:

YAO’NAH 1

1. O CRIADOR ENVIOU esta mensagem a Jonas/Yao’nah, filho de um homem chamado Amitai:

2. Vá à grande cidade de Nineveh e anuncie a seus habitantes esta mensagem do CRIADOR: Vou destruir vocês por causa de sua grande maldade: seus pecados são tão horríveis que chegam até a cheirar mal. Daqui do céu eu vejo tudo o que acontece!

3. Jonas/Yao’nah, porém, ficou com medo e preferiu fugir do CRIADOR. Foi até ao mar, ao porto de Jope/Yaffó, onde descobriu um navio que ia para Társis/Tarshish. Comprou sua passagem, embarcou e desceu para o escuro porão do navio, para se esconder do CRIADOR.

4. Mas, durante a viagem, de repente, o CRIADOR mandou um vento terrível que agitou o mar e formou uma grande tempestade. Tão grande que o navio estava quase se partindo ao meio.

5. Com muito medo de morrer, os marinheiros, desesperados, gritavam pedindo ajuda aos ídolos deles. Para o navio ficar mais leve, começaram a jogar a carga ao mar. Enquanto tudo isso acontecia, Jonas/Yao’nah dormia tranquilamente no porão.

6. O capitão do navio desceu para falar com ele e disse: O que há com você, gritou com raiva, Como é que você fica dormindo numa hora dessas? Levante-se e fale com o seu UL, para ver se ele tem pena de nós e nos salva!

7. Enquanto isso, os marinheiros decidiram tirar a sorte para ver quem havia ofendido os ídolos e provocado aquela tremenda tempestade. Jonas/Yao’nah foi o homem indicado!

8. O que foi que você fez, pergunta­ram, para provocar essa tempestade que está quase nos destruindo? Quem é você? Qual é o seu trabalho? De onde é que você vem? Qual é sua terra e sua raça?

9. Jonas/Yao’nah respondeu: Eu sou judaico; adoro ao CRIADOR, o UL do céu, que fez a terra e o mar. Então Jonas/Yao’nah contou aos marinheiros que estava fugindo do CRIADOR.

10. Quando os marinheiros ouviram isso, ficaram apavorados. Mas por que você fez uma coisa dessas? gritaram.

11. O que vamos fazer com você para a tempestade parar? E o mar estava ficando cada vez mais bravo.

12. Joguem-me ao mar, disse Jonas/Yao’nah, e ele ficará calmo de novo. Eu sei que sou o culpado dessa horrível tempestade.

13. Enquanto isso, os marinheiros remavam com todas as suas forças, tentando alcançar a terra, mas nada conseguiam. Era impossível lutar contra a tempestade!

14. Então fizeram uma oração ao CRIADOR, o UL de Jonas/Yao’nah.Ó CRIADOR, pediram, não nos mate por causa do pecado deste homem, não nos condene pela morte dele, pois disso nós não temos culpa: porque essa tempestade caiu sobre ele por razões que o CRIADOR mesmo sabe.

15. Depois disso agarraram Jonas/Yao’nah e o lançaram ao mar, que estava muito bravo: e a tempestade parou!

16. Os marinheiros ficaram espantados, sentindo ao mesmo tempo medo e respeito pelo CRIADOR. Adoraram a Ele e juraram servi-LO.

17. Mas, o CRIADOR tinha levado até aquele lugar um grande peixe para engolir Jonas/Yao’nah. E durante três dias e três noites, Jonas/Yao’nah ficou dentro do peixe.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

18

OSÉIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Hosh’yah 1

1Estas são as mensagens que o Criador dirigiu a Hosh’yah (filho de Beeri) durante os reinados dos seguintes quatro reis de Yaohu’dah: Uzi’yah, Yaotam, Ahoz e Kozoq’yah; e também no tempo do reinado de Yaoro’eboan (filho de Yao’osh), rei de Yaoshor’ul.

A esposa e os filhos de Hosh’yah

2Foi esta a primeira mensagem: Disse o Criador a Hosh’yah: Casa-te com uma moça que seja uma prostituta, de forma que alguns dos filhos que ela tiver sejam de outros homens. Isto ilustrará a forma infiel como o meu povo se tem conduzido para comigo, cometendo abertamente adultério contra mim ao adorarem os falsos criadores, os ídolos. 3Então Hosh’yah casou com Gomer (filha de Diblaim), e ela concebeu e deu à luz um filho. 45UL falou-lhe assim: Põe-lhe o nome de Yezor’ul, porque no vale de Yezor’ul em breve castigarei a dinastia do rei Yehuh, por causa dos assassínios que cometeu; na verdade, em breve porei fim a Yaoshor’ul como reino independente, quebrando o poder da nação, nesse vale de Ye-zor’ul. 6Gomer tornou a conceber e teve outro filho – uma moça. UL disse a Hosh’yah: Põe-lhe o nome de Lo-Rukhama (que quer dizer: sem misericórdia), porque não terei mais misericórdia de Yaoshor’ul para lhe perdoar outra vez. 7Contudo, da tribo de Yaohu’dah, sim, terei misericórdia. Eu próprio a libertarei dos seus inimigos, sem intervenção nem de exército nem de armas. 89Depois de ter desmamado Lo-Rukhama, Gomer teve outro filho – um rapaz, de novo. E UL mandou: Chama-lhe Lo-Ammih (que quer dizer: não meu povo), porque Yaoshor’ul não me pertence e eu não sou o seu UL. 10Todavia há de vir o tempo em que Yaoshor’ul se tornará uma grande e próspera nação. Nessa altura o seu povo será demasiado numeroso para se poder contar – será como a areia do mar! E então, em vez de lhes dizer: ‘Não são meu povo’, dir-lhes-ei: ‘Vocês são meus filhos, filhos de UL, vivo’. 11O povo de Yaoshor’ul e o de Yaohu’dah unir-se-ão sob um único líder. Regressarão juntos do exílio. Que grande dia será esse, em que YAOHUH plantará novamente o seu povo no fértil solo da sua própria terra.

 

LINGUAGEM MODERNA:

HO’SHUA 1

1. AQUI ESTÃO AS mensagens que o CRIADOR deu a Oséias/Ho’shua, filho de Beeri durante os reinados de Uzi’yah, Yaotan, Ahóz e Kozoq’yah, reis de Yaohu’dah: e de Yaoro’eboan, rei de Yaoshor’ul, filho de Yao’osh.

2. Esta é a primeira mensagem: O CRIADOR disse a Oséias/Ho’shua: Vá, Oséias/Ho’shua, e case-se com uma jovem que seja prostituta, uma mulher que dará a você filhos de outros homens. Isso servirá para mostrar como o meu povo tem sido infiel a mim, cometendo adultério abertamente, adorando os ídolos.

3. Assim, Oséias/Ho’shua se casou com Gomer, filha de Diblaim. Gomer ficou grávida e deu um filho a Oséias/Ho’shua.

45. O CRIADOR ordenou a Ho’shua: Dê a esse menino o nome de Jezreel/Yezor’el porque no Vale de Yezor’el Eu vou castigar a família do Rei Yehú. Eu vou vingar os crimes de morte que ele cometeu. De fato, vou destruir Yaoshor’ul como nação independente e acabar com os exércitos de Yaoshor’ul no Vale de Yezor’el.

6. Algum tempo depois, Gomer teve outro filho, desta vez uma menina. E o CRIADOR disse a Oséias/Ho’shua: Essa menina vai se chamar Lo-ruhamah: que na língua de Oséias/Ho’shua quer dizer ‘Não-Compadecida’ ­ porque não vou mais ter compaixão de Yaoshor’ul, para perdoar sua desobediência outra vez.

7. Mas da tribo de Yaohu’dah terei compaixão e, a libertarei pessoalmente de seus inimigos, sem a ajuda dos exércitos e das armas do povo judaico.

8. Depois que Não-Compadecida parou de mamar, Gomer ficou grávida mais uma vez e deu à luz um filho.

9. O CRIADOR ordenou: Chame esse menino de Lo-Ami que na língua de Oséias/Ho’shua quer dizer ‘Não­Meu-Povo’ porque Yaoshor’ul não é meu povo e Eu não sou o UL de Yaoshor’ul.

10. Apesar disso, virá o tempo em que Yaoshor’ul crescerá e se tornará uma grande nação. Haverá tantos yaoshorul’itas que será impossível contar, como grãos de areia numa praia! Quando isso acontecer, em lugar de dizer a eles’, Vocês não são meu povo’, direi’, Vocês são meus filhos, filhos do UL Vivo’.

11. Nesse tempo, os povos de Yaohu’dah e Yaoshor’ul se unirão e terão um só líder; os dois povos voltarão juntos do exílio. E que dia lindo será aquele: O dia em que o CRIADOR plantar o seu povo no solo fértil de sua terra mais uma vez.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

19

AMÓS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Am’oz 1

1Estas são as mensagens de Am’oz, apascentador de ovelhas, a viver na povoação de Tekoa. Um dia, numa visão, UL contou-lhe algumas, das coisas que haviam de acontecer à nação de Yaoshor’ul. Sucedeu isto no tempo de Uzi’yah, rei de Yaohu’dah, e ao tempo em que Yaoro’eboan (o filho de Yao’osh) era rei em Yaoshor’ul; foram dois anos antes do terremoto.

Julgamento sobre os vizinhos de Yaoshor’ul

2Eis o relato daquilo que ele viu e ouviu: A voz de UL fez-se ouvir, como um bramido de um leão feroz; desde o seu Templo, desde Tzayan, clamou. E repentinamente as luxuriantes pastagens do monte Carmi’ul secaram e morreram; todos os anciãos se lamentaram. 3Diz o Criador: O povo de Damasco pecou repetidamente, e não poderei perdoar tal coisa. Não deixarei mais tempo por castigar. Trilharam o meu povo em Ga’ul-iod como se fosse numa eira, e fizeram-no com varas de ferro. 4Por isso porei fogo ao palácio do rei Haza’ul, e destruirei as fortificações de Ben-Hadad. 5Quebrarei os ferrolhos que trancam as entradas de Damasco; matarei o seu povo, mesmo os que estão lá para Aven, e o povo da Syria voltarão para Quir como escravos. Assim falou UL. 6Diz o Criador: Gaza (Azah) pecou continuamente, e não poderei perdoar-lhe. Não deixarei mais tempo sem castigo, porque enviou o meu povo para o exílio, vendendo-os como escravos para Edon. 7Por isso porei fogo às muralhas de Gaza (Azah), e todos os seus fortins serão destruídos. 8Matarei o povo de Ashdod; destruirei Ekron e o rei de Ashkelon; todos os filisteus que tiverem ficado, perecerão. Isto disse o UL. 9Diz o Criador: O povo de Tiro pecou repetidamente, e não lhes perdoarei. Não os deixarei por mais tempo sem castigo, porque quebraram a sua aliança de fraternidade com Yaoshor’ul; atacaram-no e conquistaram-no; levaram-no para a escravidão em Edon. 10Por isso porei fogo às muralhas de Tiro, e todas as suas fortalezas e os palácios arderão. 11Diz o Criador: Edon pecou sem cessar; não lhes perdoarei. Não os deixarei continuar sem castigo. Perseguiram o seu irmão Yaoshor’ul com a espada; a sua ira foi sem descanso: não conheceu a piedade. 12Por isso porei fogo a Teman, que consumirá todos os lugares fortificados de Bozra. 13Diz o Criador: O povo de Amom não tem parado de pecar e não lhes perdoarei. Não ficarão mais tempo sem castigo. Porque nas suas guerras em Ga’ul-iod, para alargar as suas fronteiras, cometeram crimes cruéis, dilacerando mulheres grávidas à espada. 14Por isso porei fogo aos muros de Rabah, que consumirá as fortalezas e os palácios; ouvir-se-ão os brados de combate, como um redemoinho numa grande tempestade. 15O seu rei e os seus governantes irão juntamente para o exílio. Isto disse o UL.

 

LINGUAGEM MODERNA:

AM’OZ 1

1. AM’OZ ERA UM apascentador que vivia na vila de Tecoa. Diariamente ele se sentava pelas colinas vigiando seus animais, para não perderem.

2. Certo dia, numa visão, o CRIADOR contou a ele algumas das coisas que iriam acontecer à sua nação, Yaoshor’ul. Isso aconteceu quando Uzi’yah era rei de Yaohu’dah e Yaoro’eboan (filho de Joás/Yao’osh) era rei de Yaoshor’ul, dois anos antes de acontecer o terremoto. Aqui está o registro do que Am’oz viu e ouviu: O CRIADOR rugiu, como um leão feroz ruge em sua cova, do seu templo no Monte Sião/Tzayan. E, de repente, os pastos verdes do Monte Carmelo/Carmi’ul ficaram murchos e secos e todos os apascentadores choraram.

3. O CRIADOR diz: O povo de Damasco peca sem parar e Eu não vou esquecer isso. Não deixarei que fiquem sem castigo por mais tempo. Eles feriram o meu povo em Ga’ul-iod, como se mói o cereal, com barras de ferro.

4. Por isso, Eu porei fogo no palácio do rei Haza’ul e destruirei a poderosa fortaleza de Ben-Hadade.

5. Arrancarei as barras de ferro que trancavam os portões de Damasco e matarei seus habitantes até as planícies de Aven. O povo da Syria voltará a Quira como escravo. O CRIADOR falou.

6. O CRIADOR diz: Gaza (Azah) peca sem parar e Eu não vou esquecer isso. Eu não a deixarei sem castigo por mais tempo. Ela enviou meu povo para longe, vendendo-o como escravo a Edom.

7. Por isso, incendiarei os muros de Gaza (Azah) e todas as suas fortalezas serão destruídas.

8. Matarei os habitantes de Asdode, destruirei Ecrom e o rei de Ascalom; não vai sobrar nenhum filisteu. O CRIADOR falou.

9. O CRIADOR diz: O povo de Tiro peca sem parar e Eu não vou esquecer isso. Não deixarei que fiquem sem castigo por mais tempo. Eles violaram o tratado com seu irmão, Yaoshor’ul; atacaram e conquistaram terras dos yaohu’dins, que venderam como escravos a Edom.

10. Por isso, queimarei as muralhas de Tiro e incendiarei completamente todas as suas fortalezas e todos os seus palácios.

11 O CRIADOR diz: O povo de Edom peca sem parar e Eu não esquecerei isso. Eu não o deixarei sem castigo por mais tempo. Ele perseguiu a seu irmão, Yaoshor’ul, com a espada na mão; e não teve misericórdia, cheio de uma raiva que jamais diminuía.

12. Por isso, porei fogo em Temã e esse fogo se estenderá até queimar as fortalezas de Bozra.

13. O CRIADOR diz: Os moradores de Amom pecam sem parar e eu não esquecerei isso. Não os deixarei sem castigo por mais tempo porque em suas guerras feitas em Ga’ul-iod, para aumentar seu território, eles fizeram muitas crueldades, matando à espada mulheres grávidas e seus futuros filhos.

14. Por causa disso incendiarei as muralhas de Rabah e queimarei até os alicerces as suas fortalezas e os seus palácios. Haverá gritos furiosos de combate, como o barulho do vento da tempestade.

15. O rei e os príncipes de Amom irão juntos para longe. O CRIADOR falou.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

20

MIQUÉIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Mik’yah 1

1Estas são as mensagens que, da parte de UL, foram comunicadas a Mik’yah. Mik’yah vivia na cidade de Moresete, durante os reinados de Yaotam, Ahoz e Kozoq’yah, todos, reis de Yaohu’dah. Estas palavras de UL dirigem-se a Shemor’yah e a Yaohu’dah; Mik’yah recebeu-as sob forma de visões.

Julgamento contra Shemor’yah e Yaohu’dah

2Prestem atenção! Que todos os povos do mundo ouçam. UL no seu santo Templo tem acusações contra vocês! 34UL está chegando! Está deixando o seu trono nos Shan’maym (céus) e vem até a terra, andando sobre o cimo dos montes; estes se derretem sob os seus pés, e escorrem em direção dos vales como cera, sobre fogo, como água jorrando de uma encosta. 5Por que razão isto está acontecendo? Por causa dos pecados de Yaoshor’ul e de Yaohu’dah. Quais pecados? A idolatria e a transgressão que se intensificam nas capitais: em Shemor’yah e em Yah’ shua-oleym. 6Por isso toda a cidade de Shemor’yah se desmoronará. Será transformada num campo aberto, as suas ruas serão lavradas para se plantarem vinhas! O Criador deitará abaixo as muralhas, deixando-lhe os alicerces a descoberto; os blocos de pedra dessas construções rolarão até aos vales em baixo. 7Todas as imagens esculpidas que lá havia serão feitas em mil pedaços; os templos da idolatria, belamente decorados, erguidos com o dinheiro de pagas de prostitutas, também em templos de prostituição se tornarão.

O lamento de Mik’yah

8Por isso levanto este lamento, que é semelhante ao uivo de um chacal, ao grito de uma avestruz, atravessando as areias de um deserto, de noite. Andarei despido e descalço, na tristeza e na vergonha. 9Por-que a ferida do meu povo é demasiado profunda para se curar; estendeu-se por todo Yaohu’dah; chegou até à porta de Yah’shua-oleym. 1011Não o declarem em Gate. Não chorem! Em Beit-le-Afra revolve-te no pó, com angústia e vergonha. Ali vão os moradores de Safir, levados como escravos – desamparados, nus, vexados. O povo de Zaanan nem ousa sequer mostrar-se fora das suas muralhas. Os alicerces de Beit-Ez’ul foram descobertos e desapareceram – eram os únicos fundamentos sobre os quais se mantinha. 12O povo de Marote em vão esperou por melhores dias; mas, é só amargura que espera por eles, enquanto UL se mantiver contra Yah’shua-oleym. 13Depressa! Preparem já os vossos mais rápidos carros e fujam neles, ó povo de Laquis, porque vocês foram os primeiros, de todas as cidades de Yaohu’dah, a seguir Yaoshor’ul no seu pecado de idolatria. Foi depois de vocês que todas as outras cidades do sul foram atrás do vosso exemplo. 14Por isso darás presentes de despedida a Moresete de Gate; não há esperança de salvação para eles. A cidade de Aczibe enganou os reis de Yaoshor’ul, pois prometeu uma ajuda que não pode dar. 15Vocês, gente de Maressa, tornar-se-ão um prêmio para os que vos tomarem. Aquele que é a glória de Yaoshor’ul virá até Adulon. 16Chorem, chorem pelas vossas criancinhas. Rapa o cabelo até ficares calvo como o abutre. Os seus moradores partirão como escravos. Rapem vossas cabeças em sinal de pesar!

 

LINGUAGEM MODERNA:

MIK’YAH 1

1. ESTAS SÃO AS mensagens que o CRIADOR transmitiu a Miquéias/Mikha’yah [Mik’ha], que vivia na cidade de Moresete, durante os reinados de Yaotan, Acaz/Ahóz e Ezequias/Kozoq’yah, reis de Yaohu’dah. As mensagens eram endereçadas tanto a Samaria/Shemor’yah quanto a Yaohu’dah, e foram entregues a Miquéias/Mikha’yah sob a forma de visões.

2. Atenção! Ouçam todos os povos da terra, pois o CRIADOR, em seu santo templo, fez acusações contra vocês!

3. Vejam! Ele se aproxima! Deixa o seu trono no céu e vem à terra, andando sobre as montanhas.

4. Elas se dissolvem sob seus pés e escorrem para os vales como cera derretida, como a água da chuva desce pela encosta de um morro.

5 E por que tudo isso acontece? Por causa dos pecados de Yaoshor’ul e Yaohu’dah. Que pecados? A idolatria e a opressão, que têm seu centro nas capitais, Samaria/Shemor’yah e Yah’shua-oleym!

6. Por isso, o CRIADOR fará toda a cidade de Samaria/Shemor’yah como um monte de entulho, um campo aberto. Suas ruas serão transformadas em terra de plantar videiras! O CRIADOR derrubará as muralhas e torres, fará seus alicerces aparecerem, e rolará suas pedras morro abaixo.

7. Todas as imagens talhadas serão esmigalhadas. Seus templos de ídolos, bem enfeitados, construídos com as ofertas dos adoradores, serão todos queimados.

8. Por isso eu vou chorar e lamentar, uivando como um chacal e chorando como uma avestruz andando à noite nas areias do deserto. Vou andar nu e descalço em sinal de sofrimento e vergonha!

9. Porque a ferida do meu povo é profunda demais para ser curada. O CRIADOR está às portas de Yah’shua-oleym, pronto para puni-Ia.

10. Pobre cidade de Gate! Chorem, homens de Baca. Moradores de Beit-Le-Afra, arrastem-se na poeira por causa de sua angústia e vergonha.

11. Lá vão os habitantes de Safir, levados como escravos, nus, descalços e envergonhados. Os moradores de Zaanã não têm coragem de sair fora dos muros da cidade. Os alicerces de Beit-Ezel são arrancados, sim, a própria terra onde ficava a cidade!

12. O povo de Marote espera em vão por dias melhores, mas o que o espera é só amargura, pois o CRIADOR está em posição de combate contra Yah’shua-oleym.

13. Depressa! Usem seus carros mais rápidos e fujam, habitantes de Laquis! Porque vocês foram à primeira cidade de Yaohu’dah a seguir Yaoshor’ul no pecado de adorar ídolos. Depois disso, todas as cidades do sul começaram a seguir seu exemplo.

14. Risquem Moresete de Gate do mapa, pois não há esperança de salvação para ela. A cidade de Aczibe enganou os reis de Yaoshor’ul, prometendo ajuda que não podia dar.

15. Vocês, moradores de Maressa, serão um prêmio dado a seus inimigos. Eles chegarão até Adulão, o Orgulho de Yaoshor’ul.

16. Chorem, chorem por causa de seus filhinhos. Eles serão tirados à força de suas mãos e vocês jamais os verão. Eles serão escravos em países distantes. Raspem a cabeça de tristeza.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

21

SOFONIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Zafna’yah 1

Aviso de destruição

1Estas são as palavras de UL que foram transmitidas a Zafna’yah (filho de Cusi, neto de Gaoldul’yah, bisneto de Amor’yah e trineto de Kozoq’yah) durante o reinado de Yaosa’yah (filho de Amom), rei de Yaohu’dah. 2Consumirei tudo na vossa terra, diz o Criador. Arrasarei tudo completamente. 3Tanto homens como animais serão liquidados até ao último. Os seres vivos, mais os ídolos que eles adoram, tudo será varrido. Até os pássaros nos ares, os peixes nas águas, tudo perecerá.

Ameaça contra Yaohu’dah

4Esmagarei Yaohu’dah e Yah’shua-oleym sob o meu punho fechado; destruirei todo o resto das gentes que adoram Baal. Porei um fim às suas idolatrias e aos sacerdotes idólatras, de forma a que até a lembrança deles desapareça. 56Sobem aos telhados e inclinam-se perante o sol, a lua, as ‘cocaavhim’ (estrelas). Dizem que seguem YAOHUH, mas, prestam culto a Moloque ao mesmo tempo! Destruí-los-ei. Liquidarei os que começaram por adorar a YAOHUH e agora o abandonaram; aqueles que nunca o amaram, nunca quiseram saber dele. 7Fiquem em silêncio perante o Criador. Porque o terrível dia do seu julgamento está chegando. Preparou uma grande matança entre o seu povo, e já nomeou os executores. 810Nesse dia de juízo castigarei os governantes e os nobres de Yaohu’dah e todos os outros que se vestem à maneira pagã. Sim, castigarei os que seguem os costumes pagãos, os que roubam e matam para encherem as casas dos seus chefes com lucros fraudulentos e obtidos pela violência. Começará a ouvir-se um grito de alarme desde a porta mais afastada de Yah’shua-oleym, e que ir-se-á aproximando cada vez mais; o ruído do exército invasor será tal que chegará ao cimo do monte onde a cidade está construída. 11Uivem de tristeza, vocês os que vivem no bairro do comércio. Todos os vossos vorazes comerciantes serão arruinados, e os cambistas desaparecerão. 12Procurarei minuciosamente em todos os recantos mais escuros de Yah’shua-oleym, com vistas a puni-los, aqueles que se sentam contentes com os seus pecados, indiferentes à vontade de UL, pensando ficar impunes. 13Todos esses terão as suas riquezas postas a saque pelo inimigo, as suas casas devassadas. Não terão nunca ocasião de morar nas novas casas que sonhavam construir; nunca beberão vinho das vinhas que plantaram.

O dia do juízo de UL

1416Esse terrível dia está próximo, vem chegando rapidamente. Será um dia em que os mais valentes chorarão amargamente. É o dia em que se derrama a ira de UL – ocasião de terrível pesar e angústia, de ruína e desolação, de escuridão, de nuvens negras; a trombeta soará, a batalha rugirá. Cairão as muralhas mais fortes e as construções mais bem edificadas. 17Farei de vocês gente tão abandonada como cegos sem auxílio, procurando o caminho certo, porque vocês pecaram contra YAOHUH. É por isso que o vosso sangue será derramado sobre o pó da terra e os vossos corpos jazerão no chão, apodrecendo. 18A vossa prata e o vosso ouro não servirão de nada nesse dia do julgamento de UL. Não poderão resgatar-te com isso. Toda a terra será devorada pelo fogo e pelo furor. Em breve todo o povo de Yaohu’dah passará por isso.

 

LINGUAGEM MODERNA:

ZAFNA’YAH 1

1. ASSUNTO: UMA MENSAGEM do CRIADOR, entregue a Zafna’yah, filho de Cusi, neto de Ga’oldul’yaohuh, bisneto de Amar’yah, trineto de Ezequias/Kozoq’yah, durante o reinado de Josias/Yaosa’yah, filho de Amom, rei de Yaohu’dah.

2. Eu vou arrasar tudo o que existe em sua terra, diz o CRIADOR. Vou destruí-la completamente.

3. Vou acabar com os homens e os animais. Todos os homens e todos os ídolos que eles adoram serão destruídos. Até mesmo as aves nos ares e os peixes nas águas serão mortos.

4. Eu, com meu próprio punho, esmagarei Yaohu’dah e Yah’shua-oleym e destruirei todas as pessoas que adoram a Baal. Vou dar fim aos sacerdotes idólatras ao ponto de ninguém jamais se lembrar deles.

5. Os yaohu’dins sobem aos seus terraços e se inclinam diante do sol, da lua e das estrelas. Eles seguem ao CRIADOR, mas também adoram a Milcom! Eu vou destruir essas pessoas!

6. Eu vou destruir também aqueles que antes adoravam ao CRIADOR, mas já se esqueceram disso. Junto com eles, vou destruir aqueles que nunca O amaram e nunca quiseram amar.

7. Fiquem calados na presença do ETERNO porque o terrível dia de seu julgamento chegou. Ele preparou a derrota de seu povo e escolheu os carrascos de sua gente.

8. Nesse dia de julgamento, castigarei os líderes e os príncipes de Yaohu’dah e todos os que usam roupas estrangeiras.

9. Sim, castigarei os que adotam costumes estrangeiros, que roubam e enchem as casas de seus patrões com lucros desonestos, conseguidos com violência e engano.

10. Naquele dia, dia do CRIADOR, um grito de alarme vai se ouvir no portão mais distante de Yah’shua-oleym. Chegará cada vez mais perto, até que o barulho do exército que se aproxima chegue ao alto do morro sobre o qual a cidade foi construída.

11. Chorem e uivem de tristeza, moradores de Yah’shua-oleym. Todos os seus comerciantes gananciosos, os que emprestam dinheiro a juros altíssimos, todos morrerão.

1213. Eu irei procurar, com lanternas, nos becos mais escuros de Yah’shua-oleym, os que vivem acomodados em seus pecados, indiferentes ao ETERNO, pensando que Ele não os incomodará. Quando achar esses homens, vou castigá-los terrivelmente. As propriedades que eles compraram serão roubadas e suas casas reviradas em busca de riquezas. Eles nem chagarão a morar nas novas mansões que construíram. Jamais beberão vinho das vinhas que plantaram.

14. Esse dia terrível está muito perto. Vai chegar muito depressa. No Dia do CRIADOR os homens fortes e valentes chorarão amargamente!

15. É um dia em que a ira do ETERNO vai ser derramada. Um dia terrível de angústia e sofrimento, um dia de ruína e desolação, de escuridão e de nuvens sombrias.

16. É um dia de trombetas de guerra soando e gritos de batalha. Caem as cidades cercadas de muros e fortalezas mais poderosas!

17. Eu farei com que vocês fiquem indefesos como um cego que procura achar seu caminho, porque vocês pecaram contra o CRIADOR. Por causa disso, o sangue de vocês será derramado no pó, e seus corpos apodrecerão no solo.

18. A sua prata e o seu ouro não terão nenhum valor no dia da ira do CRIADOR, para vocês comprarem a liberdade ou a vida. Toda a terra será devorada pelo fogo do ciúme do CRIADOR. Ele acabará rapidamente com todo o povo de Yaohu’dah.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

22

NAHUM [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Naok’hem 1

O furor de UL contra Nineveh

1Esta é a visão que o Criador deu a Naok’hem, que vivia em Elcos, e em relação à próxima condenação de Nineveh: 2UL é muito zeloso em relação àqueles que ama. Por isso recompensa severamente todos os que os ferem, e destrói com firmeza os seus inimigos. 3É lento em irar-se:, mas, quando se acende, o seu poder é enorme, e não perdoa ao culpado. Revela o seu poder nos terrores de um ciclone, na fúria duma tempestade. As nuvens são o pós que os seus pés pisam! 4A uma ordem sua, os mares e os rios ficam secos, as luxuriantes pastagens de Basan e de Carmi’ul ficam amarelentas, sem viço, e as verdes florestas do Lebanon murcham. 5Na sua presença as montanhas tremem e as colinas derretem-se; a terra é abalada e são destruídos os que nela habitam. 6Quem poderá manter-se perante a ira de UL? A sua zanga é semelhante ao fogo; as cordilheiras desfazem-se perante o seu poder. 7O Criador é bom. Quando vem a angústia, é ele o lugar seguro! Conhece bem todos os que nele confiam. 8No entanto varre para longe os seus inimigos, com uma enxurrada; persegue-os durante toda a noite. 9Que idéia é a tua, ó Nineveh, de desafiares YAOHUH? Só com o seu sopro poderá deter-vos; não se levantarão uma segunda vez! 10Sacode os seus inimigos para dentro da fornalha, como se fosse um monte de espinheiros. Ardem nas chamas, como palha. 11Quem é esse vosso rei que ousa conspirar contra YAOHUH? 12Ainda que levante um exército de milhões – declara o Criador – acabará por desaparecer meu povo, já te castiguei suficientemente! 13Agora quebrarei as tuas cadeias e libertar-te-ei do jugo da escravidão a que te sujeitou esse rei assyrio. E ao rei diz ele: 14Já ordenei o fim da tua dinastia. Os teus filhos não se sentarão mais no teu trono. Destruirei os teus falsos criadores, os ídolos, e os teus templos, e farei com que desças ao túmulo. Porque o teu pecado é dos mais vis que há! 15Vejam, os mensageiros estão chegando, descendo das montanhas, com alegres notícias: Os invasores foram escorraçados; já podemos estar seguros! Óh Yaohu’dah, proclama um dia de ação de graças, e adora só YAOHUH, tal como prometeste solenemente. Porque este inimigo, vindo de Nineveh, nunca mais voltará. É banido para sempre. Nunca mais será visto.

 

LINGUAGEM MODERNA:

NAOK’HEM 1

1. ESTA É A VISÃO que o CRIADOR deu a Naok’hem, que vivia em Elcos. Ela trata do julgamento prestes a acontecer contra Nineveh:

2. O CRIADOR tem ciúmes daqueles a quem Ele ama. É por isso que Se vinga dos que os maltratam. Ele destrói furiosamente os inimigos do seu povo.

3. O CRIADOR demora a perder a paciência, mas quando se irrita, o seu poder é inacreditável e não perdoa facilmente o culpado. Ele mostra seu poder nas grandes tempestades e nos furiosos temporais. As nuvens imensas são como poeira debaixo de seus pés!

4. À sua ordem os oceanos e rios se transformam em terra seca. Os pastos verdejantes de Basã e Carmelo/Carmi’ul secam e as florestas do Lebanon murcham completamente.

5. Em sua presença as montanhas estremecem e os morros se derretem; a terra se desfaz e seus habitantes são destruídos.

6. Quem pode suportar um CRIADOR enfurecido? Quem fica firme quando Ele está zangado? A sua fúria é como o fogo. As montanhas desmoronam por causa da sua ira.

7. O CRIADOR é bom. Quando chega a aflição, Ele é o lugar em que nós podemos nos esconder! Ele conhece todos os que nEle confiam.

8. Mas arrasa seus inimigos com uma tremenda inundação. Ele os persegue através da noite. E assim será com Nineveh.

9. Em que você pensa, Nineveh, para desafiar o CRIADOR? Com um só golpe Ele a deterá. Nem vai ser preciso um segundo golpe!

10. Ele lança seus inimigos ao fogo como um monte de ramos de espinheiro. Eles queimarão como palha. E quanto mais duros são, pior para eles.

11. Quem é esse seu rei que tem a audácia de fazer planos contra o CRIADOR?

12. O CRIADOR não tem medo dele! Mesmo que arme um exército de milhões de soldados, diz o CRIADOR, este vai desaparecer. Ó meu povo, eu já os castiguei bastante!

13. Agora vou quebrar suas cadeias e libertá-los da escravidão ao rei da Assíria.

14. E ao rei da Assyria Ele diz: Já decretei o fim de sua família real. Seus filhos não se sentarão no trono, nunca! Destruirei seus ídolos de pedra e metal, e seus templos. Eu mesmo cavarei a sua sepultura! Você cometeu pecados tão horríveis que chegam até a cheirar mal!

15. Olhem! Os mensageiros vêm correndo montanha abaixo, trazendo as boas notícias: Os invasores foram completamente destruídos! Estamos salvos! salvos! Ó Yaohu’dah, anunciem um dia de agradecimento ao CRIADOR. Adorem somente a Ele, como prometeram. Nineveh, sua inimiga, nunca mais marchará contra vocês. Foi destruída para sempre, nunca mais será vista.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

23

HABACUC [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Hab’koak 1

A queixa de Hab’koak

1Esta é a mensagem que foi dirigida ao profeta Hab’koak, numa visão da parte de UL: 2Óh UL, quanto tempo terei eu ainda de esperar até que ouças? Clamo-te em vão; não tenho resposta. Violência, grito eu. Mas, não vem livrar-me. 3Como podes ficar vendo a destruição e a violência? Só há lutas e desordens. Para onde quer que me volte, apenas vejo destruição e violência, gente que só está satisfeita em contender, em contestar o que é justo. 4A lei não é acatada; não se respeita a justiça nos tribunais. Os maus prevalecem claramente sobre os retos. Predomina a venalidade e a corrupção.

A resposta de UL

5Responde UL: Vejam e espantem-se! Ficarão estarrecidos perante aquilo que vou fazer em breve! Será qualquer coisa, a realizar ainda durante a vossa vida, que só vendo acreditarão. 6Suscitarei os caldeus, uma nação cruel, violenta, que atravessará o mundo, apoderando-se de tudo aquilo que não é seu. 7São um povo terrível e espantoso. Fazem o que imaginam, sem ninguém que os impeça. 8Têm cavalos; são mais rápidos do que leopardos, mais ferozes do que lobos ao anoitecer. Avançam com a sua cavalaria vindo de terras afastadas. Como aves de rapina, em vôo picado e vertiginoso, caem sobre a presa. 9Todos os que se lhes opõem, só com o terror, derretem-se diante deles. Amontoam cativos como se fosse areia. 10Riem-se dos reis e dos governantes; troçam dos lugares fortificados. Amontoam simplesmente terra em rampas junto às muralhas e pronto, já estão capturadas! 11Contudo passarão rapidamente como o vento, mas, a sua culpa é enorme, visto atribuírem o poder que têm aos seus falsos criadores, os ídolos, segunda queixa de Hab’koak 12Óh UL meu Criador, meu santo, tu que és eterno – será que o teu plano a nosso respeito é varrer-nos para longe? Com certeza que não! Óh UL, nossa rocha, foste tu mesmo quem decretou o levantamento destes caldeus para nos ferirem e castigarem por causa dos nossos terríveis pecados. 13Nós somos maus, mas, eles são-no muito mais! Será que tu, que não suportas o pecado sob forma alguma, vais ficar indiferente enquanto eles nos engolem vivos? Ficarás silencioso enquanto uns malvados destroem aqueles que são melhores do que eles? 14Seremos nós como uns peixes, que servem para ser apanhados e comidos, que não tem quem os governe? Ou como répteis que são apanhados e esmagados? 15Prendem-nos no anzol deles; somos apanhados nos seus ardis, ficando depois a rirem-se de nós. 16Acabam por adorar as suas próprias redes e por lhes queimar incenso! São estes os nossos ídolos, que nos tornaram poderosos, dizem eles. 17Vais permitir que continuem com isso para sempre? Vão prosperar nessa guerra cruel?

 

LINGUAGEM MODERNA:

HAB’KOAK 1

1. ESTA É A MENSAGEM que veio ao profeta Habacuque/Hab’koak, numa visão: que ele recebeu do ETERNO:

2. O CRIADOR, quanto tempo ainda vou ter de pedir ajuda antes do CRIADOR me escutar? Eu grito ao CRIADOR, mas grito em vão. Não recebo resposta. Socorro! Assassinato! é o meu grito, mas ninguém aparece para socorrer!

3. Será que eu te­nho de assistir todo esse pecado e toda essa tristeza à minha volta para sempre? Para qualquer lugar que eu olhe, existe violência e chantagem. Homens que dão a vida por uma discussão e uma briga.

4. A lei não é cumprida, e nem nos tribunais se faz justiça, pois os perversos são muito mais numerosos que os justos. O que manda é o dinheiro dado por fora e a desonestidade.

5. O CRIADOR respondeu: Prestem atenção e ficarão de boca aberta! Vocês ficarão espantados com o que eu vou fazer muito em breve! Ainda enquanto estiverem vivos, eu farei uma coisa que vocês terão de ver para crer.

6. Eu estou preparando uma nova potência mundial, os caldeus, uma nação cruel e violenta que marchará pelo mundo e o conquistará.

7. Eles serão famosos por sua maldade. Fazem o que bem entendem e ninguém pode com eles.

8. Seus cavalos são mais ligeiros que os leopardos. Eles é um povo feroz. São mais ferozes que os lobos quando anoitece. As suas tropas de cavalaria marcham orgulhosamente, vindas de uma terra distante. Caem de repente sobre suas vítimas, como fazem as águias.

9. Quando eles surgem para atacar, todos ficam tão apavorados que não é possível organizar a reação. Fazem tantos prisioneiros que é impossível contar!

10. Zombam de reis, de príncipes, e das fortalezas de seus inimigos. Amontoam terra contra os muros das fortalezas e as conquistam.

11. Atacam e se retiram com a rapidez do vento. Mas, a sua culpa é grande, pois dizem que o poder que têm foi dado pelos seus ídolos.

12. Ó CRIADOR meu UL, meu Santo, o CRIADOR é eterno. Será que o Seu plano em tudo isso é nos destruir? É claro que não! Ó UL, nossa Rocha, o CRIADOR resolveu dar poder aos caldeus para nos castigar e corrigir, por causa de nossos horríveis pecados.

13. Nós somos perversos, mas eles são piores que nós! Será que o CRIADOR, que não tolera o pecado de maneira alguma, vai ficar assistindo calmamente enquanto eles nos devoram? O CRIADOR poderia ficar quieto enquanto os perversos destroem os que são melhores do que eles?

14. Será que não passamos de peixes, feitos para serem pescados e mortos? Ou de cardumes que não têm um líder para defendê-lo de seus inimigos?

15. Será que acabaremos fisgados pelos anzóis e apanhados pelas redes dos caldeus, enquanto eles festejam?

16. Então eles adorarão seus equipamentos de guerra e queimarão incenso a eles! E dirão: Estes são os ídolos que nos deram toda essa riqueza!

17. O CRIADOR vai permitir que eles façam isso para sempre? Será que sempre sairão vitoriosos de suas guerras tão cruéis?

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

24

OBADIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Awod’yah 1

A visão de Awod’yah

1Numa visão, YAOHUH revelou a Awod’yah o futuro da terra de Edon. Chegou a notícia da parte de UL, disse ele, que YAOHUH enviou um embaixador às nações com a seguinte mensagem: Atenção! Deverão mandar os vossos exércitos contra a terra de Edon para a destruir! 2Vou fazer-te pequeno entre as nações, Edon, tornando-te desprezível. 3És orgulhoso porque vives nas alturas, no cimo de falésias inacessíveis. Quem é que pode chegar até aqui, gabaste tu. 4Não se enganem a si próprios! Ainda que se elevem como águias, e construam os ninhos nas ‘cocaavhim’ (estrelas), derrubar-vos-ei daí abaixo, diz o Criador. 5Muito melhor teria sido para vocês que ladrões tivessem vindo de noite assaltar-vos – porque nunca chegariam a levar tudo o que vocês possuem! Ou, no caso das vossas vinhas serem roubadas, pelo menos deixaria ficar uns cachos mais desprezíveis! 6Mas, o que há de acontecer na verdade é que cada recanto, cada lugar, por mais escondido que esteja será vasculhado e roubado, e tudo o que valer alguma coisa será levado. 7Todos os teus aliados se voltarão contra ti e colaborarão na tua expulsão da terra. Prometer-te-ão paz, ao mesmo tempo em que conspiram contra ti, para te destruir. Os teus amigos de confiança lançar-te-ão armadilhas e todas as tuas anti-estratégias falharão. 8Nesse dia, nem um só sábio será deixado em todo Edon! diz o Criador. Antes encherei aqueles que eram considerados como tal, com estupidez. 9Os mais valentes soldados de Teman ficarão atrapalhados e paralisados, perante o exterminador. 10E isto por quê? Por causa do que fizeram ao vosso irmão Yaoshor’ul. Assim, os vossos pecados serão expostos perante todos, para que os vejam. Envergonhado e sem defesa alguma, serás exterminado para sempre. 11Abandonaste Yaoshor’ul, quando ele mais precisava de auxílio. Mantiveste-te à distância, recusando levantar um dedo que fosse para ajudar, contra os invasores que vieram tirar-lhe o que possuía e repartir Yah’shua-oleym como despojo de guerra; portaste-te como um dos seus inimigos. 12Não devias ter feito isso. Não devias ter ficado satisfeito quando o vieram buscar para levá-lo para longe, para terras estranhas; não devias ter-te alegrado com o seu infortúnio; não devias ter-te rido dele, nesse tempo de desgraça para ele. 13Tu próprio entraste na terra de Yaoshor’ul, nesses dias de calamidade, e o pilhaste. Tornaste-te rico à custa dele …

 

LINGUAGEM MODERNA:

AWOD’YAH 1

1. NUMA VISÃO UL’HIM mostrou a Obadias/Awod’yah o futuro da terra de Edom. Chegou uma notícia da parte do CRIADOR, contou Obadias/Awod’yah, dizendo que Ele mandou um embaixador às nações com a seguinte mensagem: ‘Atenção! Todas as nações devem mandar seus exércitos contra Edom e destruir esse povo’!

2. Eu vou fazer com que as outras nações a desprezem, Edom. Vou torná-la um povinho insignificante.

3. Os seus habitantes são muito orgulhosos porque vivem nessas rochas tão altas que ninguém mais pode alcançar. Quem poderá nos derrubar daqui? dizem com arrogância. Não se enganem!

4. Mesmo que vocês subam tão alto como as águias e construam seus ninhos entre as estrelas, eu os derrubarei de lá, diz o CRIADOR.

56. Seria melhor para vocês que, durante a noite, ladrões tivessem assaltado suas casas, pois eles não roubariam tudo! Ou que as uvas de suas plantações fossem roubadas: porque pelo menos sobraria um ou outro cacho! Mas agora, todos os cantinhos e brechas de suas casas serão vasculhados e todos os tesouros que forem encontrados serão roubados.

7. Todos os seus aliados se tornarão seus inimigos e ajudarão a arrancar vocês de sua terra. Eles vão prometer paz enquanto planejam sua destruição. Os amigos em quem vocês confiam vão preparar ciladas, e toda a sabedoria de Edom de nada adiantará.

8. Naquele dia não sobrará um homem sábio sequer em toda a terra de Edom! diz o CRIADOR. Isso porque eu vou transformar os sábios em tolos!

9. Os soldados mais valentes de Temã tremerão de medo e não haverá quem possa impedir o massacre.

10. E por que? Por causa do que vocês fizeram a seus irmãos, o povo de Yaoshor’ul. Vou mostrar para todo o mundo os seus pecados. Envergonhados e sem defesa, vocês serão completamente destruídos.

1112. Vocês abandonaram Yaoshor’ul quando ele estava em apuros. Ficaram de lado e se recusaram a levantar um dedo para ajudar seus irmãos quando os invasores carregaram todas as riquezas de Yaoshor’ul e, fazendo sorteios, dividiram entre si a cidade de Yah’shua-oleym. Vocês foram iguais aos inimigos de Yaoshor’ul. Vocês não deviam ter feito isso. Não deviam ter ficado satisfeitos quando os inimigos de Yaoshor’ul o levaram para terras distantes. Não deviam ter-se alegrado no dia da infelicidade de Yaoshor’ul. Não deviam ter zombado no dia da desgraça alheia.

13. Vocês chegaram a invadir Yaoshor’ul em época de calamidade pública para matar e roubar. Ficaram satisfeitos com o sofrimento do meu povo. Vocês enriqueceram …

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

25

AGEU [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Khag’gai 1

Chamada para construir o Templo

1No segundo ano do reinado de Dario I, no 1º dia de agosto, a palavra de UL veio através do profeta Khag’gai a Zerubab’ul (filho de Shealti’ul), governador de Yaohu’dah, e também a Yao’sh (filho de Yeozadaque), sumo sacerdote. 2UL, Todo Poderoso diz: O povo está dizendo: Esta não é a melhor época para reconstruir o Templo. 3Por isso UL mandou esta mensagem através do profeta Khag’gai: 4Será, no entanto esta a melhor época para vocês se porem a viver como vivem, em vivendas luxuosas, deixando o Templo continuar em ruínas? E afinal que ganham com isso? 56Reflitam cuidadosamente no vosso comportamento: O que acontece é afinal que semeiam muito para colher pouco. Comem, mas, não se fartam; bebem, mas, não se saciam. A roupa que vestem não chega para vos aquecer. O vosso salário desaparece como se fosse colocado em bolsos sem fundo! 7Pensem bem na vossa conduta, diz o Criador dos Tzavulyao celestiais. Pensem em como agiram e o que resultou disso! 8Subam às montanhas e tragam madeira para reconstruir o Templo, e agradar-me-ei dele, fazendo nele aparecer a minha glória – diz o Criador. 9Espe-ram obter muito, mas, alcançam muito pouco; e mes-mo esse pouco, quando o trazem para casa, eu faço desaparecer pelo meu sopro. Tudo isso por quê? Porque o meu Templo permanece em ruínas e vocês não lhe ligam. A vossa única preocupação são as vossas belas vivendas. 10Por isso reterei as chuvas do shan’mayao (céu), e a eretz (terra) vos dará pobres frutos 11Com efeito, fiz vir a seca sobre a terra, e até sobre as montanhas, uma seca que fará mirrar o trigo, as uvas, o azeite – tudo o que a terra produz – uma seca que vos matará à fome, vocês e os animais, que arruinará tudo o que vocês tanto se esforçaram para obter. 12Então Zerubab’ul (filho de Shealti’ul), governador de Yaohu’dah, mais Yao’sh (filho de Yeozadaque), sumo sacerdote, e ainda o resto do povo que ficou na terra obedeceu à mensagem de Khag’gai, vinda da parte de UL, seu Criador; e começaram a adorá-lo zelosamente …

 

LINGUAGEM MODERNA:

KHAG’GAI 1

1. CONTEÚDO: UMA MENSAGEM do CRIADOR. A mensagem foi enviada ao profeta Ageu/Khag’gai, que a entregou a Zerubab’ul filho de Sealti’ul, governador de Yaohu’dah e a Yao’sh, filho de Yozadaque, o sumo sacerdote, pois ela era endereçada a esses dois homens. A mensagem foi entregue no final do mês de agosto, no segundo ano do reinado de Dario/Dariávesh I.

2. Por que todos andam dizendo que ainda não chegou a hora da reconstrução do meu templo, pergunta o CRIADOR.

34. A sua resposta ao povo é esta: Já chegou a hora de vocês morarem em casas luxuosas e confortáveis, enquanto o templo continua em ruínas?

5. Vejam qual é o resultado:

6. Vocês plantam muito, mas colhem pouco. Têm muito pouco para comer e beber, e não têm roupas para se esquentarem no frio. Seus salários desaparecem como se vocês pusessem o dinheiro em bolsos furados!

7. Pensem bem nisto! diz o CRIADOR do Universo. Pensem em como vocês têm agido, e vejam qual foi o resultado!

8. Então, subam às montanhas e de lá tragam madeira para reconstruir o meu templo. Eu me alegrarei nele e aparecerei ali em toda a minha glória, diz o CRIADOR.

9. Vocês alimentam grandes esperanças, mas conseguem muito pouco. Quando trazem esse pouco para casa, eu o faço desaparecer com um leve sopro. O pouco que vocês ajuntam não dura quase nada. Por que? Porque meu templo continua em ruínas e vocês nem ligam. Só se preocupam com suas belas casas.

10. É por isso que Eu não deixo os céus darem chuva e as suas colheitas são tão fracas.

11. Na verdade, eu já ordenei que venha uma seca sobre a terra, até mesmo sobre as montanhas tão férteis. Uma seca que vai fazer murchar os cereais, as uvas e azeitonas e todas as outras plantações. Uma seca que vai deixar morrendo de fome vocês e o gado, que vai destruir tudo aquilo que vocês trabalharam tanto para conseguir.

12. Então Zerubab’ul, filho de Sealti’ul, o governador de Yaohu’dah e Yao’sh filho de Yeozadaque, o sumo sacerdote e o povo (muito poucos) que havia ficado na terra, obedeceram à mensagem que o CRIADOR mandara por Ageu/Khag’gai. Começaram a adorar ao CRIADOR de todo o coração …

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

26

ZACARIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Zochar’yah 1

Uma chamada ao arrependimento

1Estas mensagens, da parte de UL, foram comunicadas ao profeta Zochar’yah (filho de Boruhayao e neto de Ido), nos primeiros dias de novembro, do segundo ano de reinado de Dario. 2YAOHUH dos Tzavulyao dos Shan’maym (exércitos dos céus) zangou-se em extremo com vossos pais. 3Mas, agora voltar-se-á a vosso favor novamente se, se voltarem para ele. 4Não sejam como os vossos pais! Os primeiros profetas em vão insistiram com eles para que se arrependessem dos seus maus caminhos. Venham, tornem-se para mim, dizia o Criador. Mas, não, não quiseram ouvir; não deram ouvidos. 56Os vossos antepassados e os profetas, há muito que já faleceram; mas, lembrem-se da lição que eles tiveram que aprender – é que a palavra de UL é persistente! Apanhou-os e castigou-os. Por fim arrependeram-se. Tivemos o que merecíamos, reconheceram eles. UL fez-nos aquilo que nos avisou que faria. 7No dia quinze de fevereiro – era ainda o segundo ano do reinado de Dario, UL comunicou outra mensagem ao profeta Zochar’yah (filho de Boruhayao e neto de Ido), numa visão dada durante a noite: 8Vi um Homem sentado num cavalo vermelho, que estava parado entre murtas, num vale. Atrás dele estavam outros cavalos, vermelhos, castanhos e brancos, cada um com o seu condutor. 9Um Molaok (mensageiro) pôs-se ao meu lado e perguntei-lhe: Para que servem todos esses cavalos? Vai ser-te dito. 10Então o condutor do cavalo vermelho respondeu-me: o Criador enviou-os para patrulharem a terra. 11Nessa altura os outros cavaleiros dirigiram-se ao Molaok (mensageiro): Acabamos de percorrer a terra inteira; por toda a parte há prosperidade e paz. 12Após ter ouvido isto, o Molaok (mensageiro) fez esta oração: Óh UL dos Tzavulyao celestiais, durante setenta anos a tua ira se derramou sobre Yah’shua-oleym e sobre as cidades de Yaohu’dah. Quando mostrarás enfim a tua misericórdia sobre elas? 13UL respondeu ao Molaok (mensageiro) que estava de pé ao meu lado, falando-lhe palavras de conforto e confiança. 14Então o Molaok (mensageiro) disse: Clama esta mensagem da parte do UL dos Tzavulyao celestiais: Pensas que não me preocupo com o que aconteceu em Yaohu’dah e em Yah’shua-oleym? Sinto um grande zelo por elas. 15É grande a Minha ira contra os povos pagãos que as rodeiam e que vivem desafogadamente. Foi apenas durante certo tempo que estive voltado contra o meu povo, mas, outros os afligiram mais do que deviam. 16Por isso UL declara: Voltei-me para Yah’shua-oleym cheio de bondade. O meu Templo será reconstruído, diz o Criador dos Tzavulyao celestiais, e o mesmo acontecerá com Yah’shua-oleym. 17Repete o que disseste: O Criador dos Tzavulyao celestiais declara que as povoações de Yaoshor’ul tornarão a transbordar de prosperidade. UL confortará novamente Yah’shua-oleym, abençoá-la-á, e viverá nela.

Quatro chifres e quatro ferreiros

18Então reparei em quatro chifres 19Que são estes, perguntei ao Molaok (mensageiro). Respondeu-me: Representam quatro poderes mundiais que dispersaram Yaohu’dah, Yaoshor’ul e Yah’shua-oleym. 20De-pois UL mostrou-me quatro ferreiros. 21Que vieram estes homens fazer, perguntei. O Molaok (mensageiro) respondeu: Vieram para derrubar as quatro forças que dispersaram Yaohu’dah, tão terrivelmente; vieram para triturá-los na bigorna e os lançar para longe.

 

LINGUAGEM MODERNA:

ZOCHAR’YAH 1

1. ASSUNTO DO LIVRO: Mensagens do CRIADOR. Estas mensagens do CRIADOR foram transmitidas a Zacarias/Zochar’yah, filho de Baraq’yah, neto de Ido, o profeta, no começo do mês de novembro, no segundo ano do reinado de Dario.

2. O CRIADOR do Universo ficou terrivelmente zangado com os pais de vocês.

3. Mas Ele ainda Se voltará e mostrará o seu amor por vocês, se voltarem para Ele.

4. Não sejam como seus pais! Os primeiros profetas insistiram com eles para voltarem ao CRIADOR e deixarem os seus maus caminhos, mas foi tudo em vão. Venham, voltem para Mim pediu o CRIADOR. Mas não adiantou, eles não quiseram ouvir; não deram a mínima atenção.

56. Seus pais e os profetas daquela época já morreram há muito tempo, mas vocês devem lembrar a lição que eles aprenderam; a palavra do ETERNO permanece! O que o CRIADOR disse a seus pais aconteceu palavra por palavra e eles foram severamente castigados. Depois de tudo aquilo, finalmente eles se arrependeram. O CRIADOR nos deu aquilo que merecíamos, disseram. Ele fez exatamente o que havia prometido fazer.

7. Três meses depois, em fevereiro, ainda no segundo ano do reinado de Dario, outra mensagem do CRIADOR foi entregue a Zacarias/Zochar’yah, filho de Baraq’yah, neto de Ido, o profeta, numa visão, durante a noite:

8. Eu vi um Homem montado num cavalo vermelho, parado ao lado de uns pés de árvore de murta, junto a um rio. Atrás dele havia outros cavalos, vermelhos, baios e brancos, cada um com seu cavaleiro.

9. Ao meu lado havia um Anjo e eu perguntei a ele: Para que servem estes cavalos, mestre [maoro’eh]? Vou lhe contar ele me disse.

10. Então o Cavaleiro do cavalo vermelho me respondeu: O CRIADOR os mandou para observarem a terra.

11. Aí os outros cavaleiros apresentaram seu relatório ao Anjo: Nós acabamos de observar a terra e em toda parte há riqueza e paz.

12. Ao ouvir os relatórios, o Anjo orou: Ó CRIADOR do Universo, durante setenta anos a sua ira ferveu contra Yah’shua-oleym e as cidades de Yaohu’dah. Quanto tempo ainda vai demorar a sua misericórdia?

13. E o CRIADOR respondeu ao Anjo que estava ao meu lado, com palavras de consolo e segurança.

14. Então o Anjo me disse: Grite para todos ouvirem esta mensagem do CRIADOR: Vocês pensam que Eu não me importo com o que aconteceu a Yaohu’dah e Yah’shua-oleym? Eu tenho ciúmes delas, como um marido de sua esposa.

15. Estou furioso com as nações pagãs que vivem ricas e tranquilas porque Eu estava apenas um pouco zangado com o meu povo, mas essas nações os maltrataram muito mais do que Eu havia planejado.

16. Por isso UL declara: Eu Me voltei para Yah’shua-oleym cheio de misericórdia; o meu templo será reconstruído, diz o CRIADOR do Universo, e toda a cidade de Yah’shua-oleym junto com ele.

17. Repita a mensagem: O CRIADOR do Universo afirma que as cidades de Yaoshor’ul voltarão a se encher de riquezas e o próprio CRIADOR voltará a consolar Yah’shua-oleym. Ele fará de Yah’shua-oleym a sua cidade e morará nela.

18. Olhei em outra direção e vi quatro chifres de animais.

19. Que significam estes quatro chifres? perguntei ao Anjo. Ele me respondeu: Representam as quatro grandes nações que espalharam Yaohu’dah, Yaoshor’ul e Yah’shua-oleym.

20. Depois disso UL me mostrou quatro ferreiros.

21. O que esses quatro vieram fazer? perguntei. O Anjo respondeu: Eles vieram atacar as quatro nações que espalharam o povo judaico pelo mundo. Vão colocar essas nações na bigorna, vão malhá-las e jogá-las fora.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

27

MALAQUIAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Molaok’yah 1

O amor de UL pelo seu povo

1Esta é a mensagem de UL a Yaoshor’ul, comunicada pela boca do profeta Molaok’yah: 23Eu amei-vos, diz o Criador. Responderam vocês: Como e quando é que nos amaste? Mostrei-vos o meu amor amando o vosso pai Yah’kof. Rejeitei o seu próprio irmão Essav, e destruí a montanha e a herança de Essav para dá-la aos chacais no deserto. 4Ainda que os seus descendentes digam: ‘Tornaremos a reconstruir sobre ruínas’, o Cri-ador dos Tzavulyao celestiais retorquir-lhes-á: Tentem se assim quiserem, mas, tornarei a destruí-la. Porque a sua terra foi chamada pelo Criador terra da maldade, e o povo chama-se povo sob a cólera de UL. 5Óh Yaoshor’ul, levanta os olhos e vê o que YAOHUH está fazendo em todo o mundo. Então dirão vocês: ‘Verdadeiramente o grande poder de UL manifestou-se para além das nossas fronteiras!’

Sacrifícios imundos

6Um filho honra o seu pai; um servo honra o seu maoro’eh. Eu sou vosso pai e vosso Criador e, contudo os sacerdotes não me prestam honra nenhuma; antes desprezam o meu Shuam (Nome). Dizem vocês: ‘Quando é que desprezamos o teu Shuam (Nome)?’ 7Quando oferecem sacrifícios imundos no meu altar’. Sacrifícios imundos? Alguma vez fizemos uma coisa dessas? ‘Sim, sempre que dizem: ‘Não se incomodem em trazer qualquer coisa de muito valiosa para oferecer a YAOHUH!’ 8Vocês aconselham ao povo: ‘Um animal coxo chega bem para oferecer no altar de UL mesmo que seja doente ou cego’. E ousam ainda afirmar que isto não é mal? Façam o mesmo com o vosso governador – tentem dar-lhe de presente um animal assim – e verifiquem se fica satisfeito! 9’yah tenha piedade de nós’, suplicam vocês. ‘Seja a sua misericórdia sobre nós!’ Mas, quando trazem ofertas desse tipo, como vos poderá ele mostrar algum favor? 10Oh, quem me dera encontrar no vosso meio um sacerdote que feche as portas e recuse aceitar esse tipo de sacrifício. Não tenho prazer em vocês, diz o Criador dos Tzavulyao celestiais, e não aceitarei as vossas ofertas. 11Mas, o meu Shuam (Nome) será honrado pelas nações, do Oriente ao Ocidente. Em todo o mundo oferecerão sacrifícios agradáveis de incenso e ofertas puras em honra do meu Shuam (Nome), o qual se tornará grande entre nações, diz o Criador dos Tzavulyao celestiais. 12Mas, vocês desonram-no dizendo que o meu altar não é digno de muita importância, e encorajam o meu povo a trazer-me animais aleijados, doentes, para mos oferecer nele. 13Dizem vocês: ‘Óh, é tão difícil servir YAOHUH e fazer o que ele pede’. E vira o rosto aos mandamentos que vos deu para cumprirem. Ponderem! Animais roubados, coxos e doentes, oferecidos a YAOHUH! Poderia eu aceitar tais ofertas, pergunta o Criador. 14Maldito o homem que promete um belo animal do seu rebanho e acaba por substituí-lo por outro, doente, para sacrificá-lo a YAOHUH. Eu sou um grande rei, diz o Criador dos Tzavulyao celestiais. O meu Shuam é para ser profundamente reverenciado entre os gentiles.

 

LINGUAGEM MODERNA:

MOLAOKYAH 1

1. ESTA É A MENSAGEM do CRIADOR ao povo de Yaoshor’ul, enviada pelo profeta Malaquias:

23. Eu os amei profundamente, diz o CRIADOR. Mas vocês respondem: É mesmo? Quando foi? E o CRIADOR replica: Eu mostrei meu amor por vocês amando seu pai, Yah’kof. Eu não precisava amá-lo. Cheguei até a rejeitar o irmão de Yah’kof, Essav; destruí as montanhas de seu reino e dei aquelas terras aos chacais do deserto.

4. Se os descendentes de Essav disserem: ‘Vamos reconstruir as ruínas’, o CRIADOR do Universo dirá: ‘Podem tentar, mas Eu destruirei tudo outra vez’, porque o país de Essav será chamado ‘A Terra da Maldade’, e o povo será chamado: ‘Aqueles a Quem o CRIADOR Nunca Perdoa’.

5. Ó povo de Yaoshor’ul, levantem os olhos e vejam o que o CRIADOR está fazendo em todo o mundo. Assim, todos dirão: É verdade! O grande poder do CRIADOR vai muito além das nossas fronteiras!

6. O filho respeita seu pai; o escravo respeita seu mestre [maoro’eh]. Sacerdotes, Eu sou o, seu Pai e CRIADOR, mas apesar disso vocês não me respeitam. Pelo contrário, desprezam o meu nome. Quem? Nós? vocês perguntam. Quando foi que desprezamos o seu nome?

7. Quando vocês oferecem sacrifícios impuros sobre o meu altar. Sacrifícios impuros? Quando fizemos uma coisa dessas? Sempre que dizem: ‘Não é necessário trazer ofertas valiosas para oferecer ao ETERNO’.

8. Vocês dizem ao povo: ‘Não faz mal oferecer animais defeituosos sobre o altar do ETERNO; é, mesmo que sejam doentes ou cegos’. E ainda dizem que isso não é mau? Experimentem fazer isso com o governador um dia! Dêem a ele um animal assim como presente e vejam se vai ficar satisfeito!

9. ‘Ó CRIADOR, tenha piedade de nós’, vocês repetem em seus pedidos. ‘o CRIADOR, seja bondoso conosco’! Mas, trazendo tais ofertas, por que Eu deveria conceder alguma graça a vocês?

10. Quem me dera achar, no meio de todos vocês, um sacerdote que fechasse as portas do templo e recusasse esse tipo de sacrifícios, Eu não tenho prazer em vocês, diz o CRIADOR do Universo, e não aceitarei as suas ofertas.

11. O meu nome, porém, será respeitado pelas outras nações, desde a manhã até à noite. Em todo o mundo os homens oferecerão incenso e sacrifícios puros para Me honrar. Isso porque o meu nome será respeitado entre as nações, diz o CRIADOR do Universo.

12. Mas vocês desonram o meu nome, dizendo que o meu altar não é importante, e ainda animam o povo a trazer animais doentes e sem valor para oferecerem sobre ele!

13. Vocês dizem: ‘Ah, é tão difícil servir ao CRIADOR e fazer o que Ele pede’. Não dão a mínima importância às Lei que Eu dei para vocês obedecerem. Pensem nisso! Animais roubados, aleijados ou doentes como ofertas ao ETERNO! Será que Eu posso aceitar ofertas dessa espécie? Pergunta o CRIADOR.

14. Maldito o homem que promete um carneiro forte de seu rebanho e oferece, como oferta ao ETERNO um animal doente. Eu sou o Grande Rei, diz o CRIADOR do Universo, e meu nome deve ser profundamente respeitado entre as nações.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

28

JÓ [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Yah’ov 1

O caráter e a riqueza de Yah’ov

1Havia um homem chamado Yah’ov que vivia na terra de Uz. Era uma pessoa reta que temia YAOHUH, e que se afastava do mal. 23Tinha muitos filhos – sete rapazes e três moças – e era muito rico: possuía 7000 ovelhas, 3000 camelos, 500 juntas de bois e 500 jumentas; tendo ao seu serviço um número considerável de pessoas. Era, sem dúvida, o mais rico comerciante de ovelhas em toda aquela região. 45Os seus filhos costumavam juntar-se para comerem e beberem juntos na casa de um deles de cada vez, convidando também as três irmãs. Nessas ocasiões comiam e bebiam abundantemente. Quando aquelas festanças acabavam, e por vezes prolongavam-se por vários dias, Yah’ov mandava chamar os filhos e santificava-os, levantando-se de manhã cedo e oferecendo um sacrifício por cada um deles. Porque Yah’ov pensava desta forma: Talvez os meus filhos tenham pecado e tenham ofendido a UL nos seus corações. Essa a razão porque fazia isso diariamente.

Yah’ov é sujeito à primeira prova

6Um dia os Molaokhim (mensageiros) vieram apre-sentar-se perante UL, e ha’satan veio com eles. 7Don-de vens, perguntou UL a ha’satan. De rondar a terra. 8Reparaste no meu servo Yah’ov? E em como não há na terra ninguém semelhante a ele? É um homem reto, que teme YAOHUH e que se afasta do mal. 910Sim, mas, não é para admirar – ele é assim porque tu o recompensas bem, respondeu ha’satan. Ele tem da tua parte proteção garantida para a sua casa e para os seus bens. Fizeste-o prosperar em tudo o que faz – por isso é tão rico! Não admira, pois que te adore! 11Contudo, basta que lhe tires a riqueza, e verás como te amaldiçoa na sua frente! 12E o Criador replicou-lhe: Podes fazer o que quiseres com os seus bens, mas, não lhe toques fisicamente. Ha’satan retirou-se da presença de UL. 1315Sucedeu então que, estando os filhos e filhas de Yah’ov comendo em casa do irmão mais velho, um mensageiro veio correndo à casa de Yah’ov com esta notícia: Os teus bois estavam a lavrar, e as jumentas a pastar ao lado, quando se chegaram os sabeus que caíram sobre os animais e mataram os guardadores; só eu escapei. 16Ainda este não tinha acabado de falar quando se chega outro: Veio fogo dos Shan’maym (céus) sobre as ovelhas e os anciãos todos; só eu consegui escapar, e vim logo trazer-te a notícia. 17Mal este tinha acabado de falar, eis que um terceiro chega: Apareceram três bandos de caldeus que deram sobre os camelos e mataram os teus criados; só eu escapei e consegui vir até aqui para te dar a notícia. 1819Imediatamente após este, apareceu ainda outro dizendo: Teus filhos e filhas estavam fazendo uma celebração na casa do mais velho quando, subitamente, se levantou um forte vento do deserto que fez ruir a casa sobre os que estavam lá, morrendo todos; só eu escapei. 20Então Yah’ov levantou-se, rasgou a roupa que trazia e raspou o cabelo, ficou profundamente abatido, e lançou-se por terra na presença de UL: 21Saí nu do ventre de minha mãe; nada levarei quando morrer. Foi UL quem me deu tudo quanto possuía; por isso ele tinha o direito de tornar a levar aquilo que afinal lhe pertencia. Que YAOHUH seja louvado. 22Em tudo isto Yah’ov não pecou nem atribuiu a YAOHUH culpa alguma do sucedido.

 

LINGUAGEM MODERNA:

YAH’OV 1

1. TERRA DE UZ viveu um homem chamado Jó/Yah’ov. Ele era justo, pois obedecia ao CRIADOR e se esforçava para nunca praticar o mal.

2. Jó/Yah’ov tinha uma família bem grande, sete filhos e três filhas.

3. Além disso, era muito rico! Era o homem mais rico e poderoso daquela terra, pois tinha sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois, quinhentas mulas e um grande número de empregados e escravos.

4. Quando um dos filhos de Jó/Yah’ov fazia aniversário, todos os irmãos e irmãs se reuniam para uma grande festa, com bastante comida e bebida.

5. Às vezes essas festas duravam vários dias. Quando terminavam, Jó/Yah’ov reunia todos os seus filhos e oferecia sacrifícios para cada um, cedo de manhã, pedindo o perdão do ETERNO para eles. A razão que Jó/Yah’ov tinha para fazer isso era a seguinte: É possível que meus filhos tenham pecado e ofendido ao CRIADOR em seus pensamentos. Por isso, Jó/Yah’ov repetia esses sacrifícios depois de cada festa.

6. Numa certa ocasião, quando os Anjos se reuniram na presença do ETERNO, satan, o Acusador, estava entre eles.

7. E o CRIADOR perguntou a ele: De onde você vem? satan respondeu: Estive rodeando a terra, observando os homens.

8. Você observou bem a meu servo Jó/Yah’ov, perguntou o CRIADOR. Não há homem igual a ele em toda a terra, tão sincero e justo, obediente ao CRIADOR e cuidadoso para não cometer pecado!

9. Jó/Yah’ov tem razão para isso, respondeu satan.

10. Ó CRIADOR deu a ele do bom e do melhor, protegendo Jó/Yah’ov e sua família de todos os males e tristezas e fazendo dele um homem riquíssimo! Não é sem razão que Jó/Yah’ov obedece!

11. Experimente, porém, tirar todas as riquezas e os bens que o CRIADOR deu a Jó/Yah’ov; ele vai se revoltar e dizer coisas horríveis contra o CRIADOR!

12. E o CRIADOR respondeu a satan: Você pode destruir tudo o que Eu dei a Jó/Yah’ov, mas não toque no corpo e na saúde dele. Assim, satan partiu e entrou em ação.

13. Pouco tempo depois, quando os irmãos e irmãs estavam todos reunidos, comemorando na casa do filho mais velho, começou a desgraça de Jó/Yah’ov.

1415. Um empregado chegou correndo à casa de Jó/Yah’ov e disse: Estávamos na fazenda, arando a terra com os bois, enquanto as mulas pastavam no campo. De repente, um bando de ladrões sabeus atacou e matou os empregados e roubou o seu gado. Só eu escapei e vim correndo trazer a notícia.

16. O primeiro empregado ainda não tinha terminado de falar quando chegou outro, trazendo más notícias. Estávamos tomando conta das ovelhas e, de repente, um fogo, vindo do céu, caiu em cima de nós e das ovelhas! Todos morreram! Sô eu consegui escapar e vim correndo trazer a notícia.

17. Enquanto o segundo ainda estava falando, chegou correndo um terceiro empregado e anunciou: Três grupos de bandidos caldeus atacaram os empregados que tomavam conta dos camelos! Roubaram os animais e mataram todos, menos eu, que consegui escapar para trazer as notícias!

18. Mal esse homem tinha terminado de falar, chegou outro e disse: Seus filhos e filhas estavam festejando na casa do irmão mais velho.

19. De repente, surgiu uma terrível ventania vinda do deserto; a ventania derrubou o telhado e assim todos morreram: só eu escapei com vida e vim correndo para dar a notícia!

20. Então Jó/Yah’ov se levantou, cheio de tristeza, rasgou suas roupas e raspou a cabeça, em sinal de profundo sofrimento. Depois, ajoelhou-se, colocou o rosto junto ao chão e adorou ao CRIADOR, dizendo:

21. Quando cheguei a este mundo estava nu e nada possuía. É assim que vou partir. O CRIADOR me deu tudo quanto eu tinha e agora tomou de volta. Glória ao CRIADOR! Bendito seja Ele!

22. Mesmo no meio de tanta desgraça, Jó/Yah’ov não pecou nem disse que o CRIADOR era culpado do seu sofrimento.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

29

RUTE [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Ruth 1

Noemi e Ruth

12No tempo em que eram ainda os juízes quem dirigia o povo de Yaoshor’ul, houve um homem de Beit’lekhem em Yaohu’dah chamado Elimeleque, que deixou a sua terra onde havia muita fome e emigrou para a terra de Moab. Acompanharam-no a sua mulher, Noemi, e os dois filhos do casal, Malom e Quiliom. 3Enquanto lá estavam Elimeleque faleceu e Noemi achou-se sozinha com os seus dois rapazes. 45Mas, estes, entretanto casaram com duas moças de Moab, Orfa e Ruth. Passados tempos, acontece que os dois homens também morreram; e Noemi vê-se de novo desamparada, sem o marido e os filhos. 67Por isso decide regressar a Yaoshor’ul, na companhia das noras, pois tinha ouvido que YAOHUH abençoara o seu povo, dando-lhe novamente boas colheitas. 89Mas, já de caminho resolveu falar às noras: Vocês não preferem antes voltar para as vossas famílias em vez de me acompanharem? Se assim fizerem, que YAOHUH vos recompense pela vossa fidelidade para com a memória dos vossos maridos e para comigo. Que ele vos abençoe, preparando-vos outro casamento feliz. E abraçou-as, beijando-as. Todas choravam com emoção. 10Não, diziam as moças. Nós vamos contigo viver junto do teu povo. 1113Mas, Noemi insistiu: Fariam melhor em voltar para o vosso povo. Bem vêem que já não se põe a hipótese de eu vir a ter filhos que crescessem e casassem convosco! Não, minhas filhas, voltem para as vossas casas, porque eu já não tenho idade para tornar a casar. E mesmo que tal fosse possível, e que esta mesma noite eu concebesse filhos, havia vocês de esperar tanto tempo até que eles fossem grandes? Não, com certeza que não. Óh, como eu lamento que o Criador me tenha castigado assim; a minha amargura é maior do que a vossa. 14E estiveram a chorar mais um tempo, até que Orfa, abraçando-se à sogra, decidiu dizer-lhes paz, e regressou à casa paterna. No entanto Ruth foi inflexível em querer ficar com Noemi. 15Vê, disse-lhe Noemi, a tua cunhada já se foi embora para junto dos seus familiares e dos seus ídolos. Faz tu também o mesmo. 1617Mas, Ruth respondeu-lhe: Não me forces deixando-te. Porque onde quer que fores irei eu; onde quer que passares a viver, aí viverei eu. O teu povo é o meu também, e o teu UL é o meu UL; quero vir a morrer onde tu morreres e ficarei aí sepultada. Que o Criador me castigue tanto quanto quiser se houver alguma coisa mais do que a morte que nos separe. 18Quando Noemi viu que Ruth tinha tomado uma decisão firme e que nada a podia demover, não insistiu mais. 19Então ambas vieram para Beit’lekhem. A povoação inteira se comoveu à sua chegada. Mas, é esta mesmo Noemi, perguntavam as mulheres. 2021Ela respondia: Não me chamem mais Noemi, mas, sim Mara, porque UL Poderoso me tem afligido muito. Parti cheia e regresso vazia. Porque é que haviam de me chamar Noemi quando UL parece ter-se desviado de mim e me trouxe tamanha calamidade? 22O regresso delas a Beit’lekhem, vindas de Moab, deu-se no princípio da colheita da cevada.

 

LINGUAGEM MODERNA:

RUTH 1

12. HÁ MUITO TEMPO, quando Yaoshor’ul era dirigido pelos juízes, um homem chamado Elimeleque, que morava em Belém/Beit’lekhem, em Yaohu’dah, abandonou o pais por causa da fome, indo morar na terra de Moabe. Levou consigo a esposa, Noemi, e seus dois filhos, Malom e Quiliom.

3. Enquanto moravam em Moabe, Elimeleque morreu e Noemi ficou sozinha com seus dois filhos.

45. Os dois rapazes, Malom e Quiliom, casaram-se com moças de Moabe, chamadas Ruth e Orfa e ficaram juntos por mais ou menos dez anos. Depois disto, os dois rapazes também morreram e Noemi ficou completamente só, sem o marido e sem os filhos.

67. Ela decidiu voltar para Yaoshor’ul, deixando o território de Moabe, pois tinha ouvido que o CRIADOR havia abençoado o povo judaico com boas colheitas! As noras foram junto com ela.

89. Porém, quando já estavam caminhando de volta a Yaoshor’ul, Noemi disse às suas noras: Por que vocês não voltam para as casas de seus pais, em vez de irem embora comigo? Eu desejo sinceramente que o CRIADOR recompense vocês duas por terem sido fiéis a seus maridos e a mim, e também dê a vocês outro casamento muito feliz. Noemi beijou suas noras e as três começaram a chorar, cheias de tristeza.

10. Mas as duas jovens disseram: Não! Queremos ir com a ama, viver junto com o seu povo.

1113. Noemi respondeu: Para vocês vale mais a pena voltar para seu povo. Eu não tenho filhos mais novos, que poderiam vir a ser seus maridos no futuro. Não, minhas filhas; voltem para suas casas, pois eu já sou velha demais para ter marido. E mesmo se eu tivesse marido, e estivesse esperando filhos, vocês iriam esperar até que eles crescessem? Não, é claro que não, minhas filhas; ah, como o meu coração dói porque o CRIADOR me castigou de tal maneira que também feriu vocês!

14. Choraram juntas mais uma vez e Orfa se despediu da sogra com um beijo, voltando para a casa de sua família; Ruth, porém, insistiu em ficar junto com Noemi.

15. Pense bem, disse Noemi a ela, sua cunhada voltou ao seu povo e aos seus ídolos; você devia fazer a mesma coisa.

16. Mas Ruth respondeu: Não insista para que eu a abandone, pois quero ir aonde a ama for, e viver onde a ama viver. Seu povo será o meu povo e o seu UL será o meu UL.

17. Eu quero morrer onde a ama morrer e aí desejo ser enterrada. O CRIADOR pode fazer o que quiser comigo se eu deixar que alguma coisa menor que a morte me separe da ama.

18. Quando Noemi viu que Ruth estava decidida e que não havia jeito de convencê-la a não ir para Yaoshor’ul, deixou de insistir.

19. E partiram. Quando chegaram a Belém/Beit’lekhem, toda a vila ficou agitada. Será que é Noemi mesmo, perguntavam as mulheres.

20. Noemi, porém, lhes dizia: Não me chamem Noemi. Chamem-me Mara, (Noemi significa agradável; Mara significa amarga) porque o UL, o Todo-Poderoso me trouxe amargura.

21. Eu parti cheia de alegria, mas o CRIADOR me trouxe de volta completamente vazia; por que então vocês me chamam Noemi, quando UL me voltou as costas e causou tanta desgraça?

22. Quando Noemi e Ruth voltaram de Moabe e chegaram a Belém/Beit’lekhem, a colheita de cevada estava começando.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

30

SALMOS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Tehillim 1

1Feliz aquele que não se deixa ir atrás de gente má, que não vai pelo caminho dos pecadores, nem se senta na companhia dos escarnecedores.

2Mas, tem prazer em fazer o que o Criador manda, meditando dia e noite nas suas leis.

3Porque será como as árvores plantadas junto aos cursos de água, que dão fruto na época própria, e cujas folhas não murcham. Todo o seu fruto é bom. 

4Mas, não são assim os que vivem ímpios! São antes como a palha que o vento leva.

5Por isso não resistirão quando vier o julgamento de UL, não poderão ficar no ajuntamento dos justos.

6Pois YAOHUH conhece a conduta dos justos; mas, o caminho dos ímpios conduz à perdição.

 

LINGUAGEM MODERNA:

TEHILLIM 1

1. COMO É FELIZ o homem que não vai atrás da opinião das pessoas desligadas do ETERNO, que não fica à toa na companhia dos pecadores, nem participa de rodinhas onde fazem pouco caso do ETERNO.

2. Mas ele faz da Lei do CRIADOR a fonte da sua alegria. A todo instante, de dia e de noite, ele pensa nessa Lei; fica imaginando como pode obedecer ao CRIADOR mais de perto.

3. Ele é como uma árvore plantada junto à margem de um rio. Nunca deixa de dar fruto na estação própria. As suas folhas nunca murcham e ele sempre terá sucesso em todas as suas atividades.

4. Mas os homens que vivem desligados do ETERNO, que grande diferença! Eles vivem sem direção e sem segurança, como um pedaço de palha soprado pelo vento.

5. Por isso, no dia do julgamento preparado pelo CRIADOR, eles serão condenados. Os pecadores não terão lugar entre os que obedecem ao CRIADOR.

6. O CRIADOR conhece e aprova a vida de quem obedece suas leis, mas a vida dos homens que desprezam ao CRIADOR acabará em castigo e sofrimento.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

31

PROVÉRBIOS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Maush’lei 1

Propósito e tema

13Maush’léi de Shua’olmoh, filho de Da’oud, rei de Yaoshor’ul, destinados a dar a conhecer a sabedoria, a dar educação; e a ensinar também a compreender palavras cheias de profundo sentido; para que se tenha um entendimento esclarecido; e para que se seja justo, reto, íntegro na vida. 46Destinam-se ainda a formar e a enriquecer a mente das pessoas simples; a dar capacidade de compreensão aos jovens. E quanto aos que têm instrução, que aprofundem a sua sabedoria e se tornem hábeis na exploração do significado destas frases e pensamentos.

Exortações para abraçar a sabedoria

79O temor de UL é o princípio de toda a sabedoria. Só os loucos recusam ser ensinados. Ouve o teu pai e a tua mãe e não desprezes o que te ensinarem, porque o que aprenderes deles dar-te-á segurança e proporcionar-te-á dignidade e honra. 1014Meu filho, se pecadores quiserem aliciar-te, nunca lhes cedas! Se te disserem: Vem conosco! – volta-lhes as costas! Dir-te-ão: Vamos lá! A gente, sem ninguém saber, rouba este aqui, mata aquele inocente além. Apanhamo-los vivos, e mandamo-los inteirinhos para a cova! E ficará para as pessoas o belo quinhão que eles cá deixarem! E assim enchemos os bolsos! Tiramos à sorte e tu terás a tua parte conosco. 1516Não, meu filho! Não vás com eles! Desvia-te de gente semelhante! Porque o seu modo de vida é o crime. São especialistas no assassínio. 1718Contudo, apesar de até uma ave saber desviar-se quando lhe preparam uma armadilha, estas pessoas deixam-se apanhar mesmo pelas suas próprias ciladas! 19Este é o destino de todo àquele que vive de furto; isto levá-lo-á à violência e à morte.

O perigo de rejeitar a sabedoria

2021A sabedoria clama, em voz bem alta, pelas ruas da cidade, nos cruzamentos, nas grandes avenidas, perante os juízes, na frente de todos: 22 Óh gente tola! Até quando continuarão vivendo contentes com a loucura? Até quando continuarão a desprezar a sabedoria e a contestar a evidência dos fatos? 23Venham ouvir e convençam-se com os meus argumentos. Derramarei em vocês um espírito de sabedoria, e dar-vos-ei a conhecer a minha mensagem. 2425Tantas vezes vos chamei, e não quiseram vir. Insisti convosco e ninguém me deu atenção. Rejeitaram os meus conselhos; não fizeram caso da minha repreensão. 26Por isso também, quando vierem a encontrar-se em dificuldades será então a minha vez de me rir, e de me divertir com os vossos medos. 2728Quando esses medos vos sobrevierem como uma tenebrosa tempestade, quando estiverem submergidos pela angústia e pelo pânico, então ao gritarem-me por ajuda não responderei; embora me procurem ansiosamente, não me acharão. 2930Porque preferiram desprezar a sabedoria, e não quiseram confiar em YAOHUH. Voltaram-me as costas, desprezaram o meu juízo. 31Essa é a razão porque terão de vir a comer o fruto amargo da sua própria conduta, terão de fartar-se das consequências desastrosas das suas opções. 32Porque é pela sua desobediência que as pessoas sem inteligência morrerá; e a segurança dos doidos matá-los-á. 33Mas, todos os que me derem ouvidos viverão em paz e segurança, e sem medo.

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

MAUSH’LEI 1

1. ESTES SÃO os provérbios e ditados de Shua’olmoh, rei de Yaoshor’ul, filho de Da’oud.

2. Ele escreveu estas palavras para ensinar seu povo a viver com sabedoria, enfrentando cada situação da maneira certa.

3. Quis comunicar ao seu povo a forma de viver justa, correta e inteligentemente.

4. Quero transformar as pessoas de coração aberto em verdadeiros sábios, disse ele, e mostrar aos jovens como enfrentar e vencer os problemas da vida.

56. O homem sábio que ouvir com atenção estas palavras se tornará ainda mais sábio; o homem experiente será capaz de entender e resolver problemas complicados.

7. Mas como é que um homem se torna sábio? Em primeiro lugar, respeitando e obedecendo ao CRIADOR. Somente os tolos se recusam a ser ensinados e desprezam a sabedoria.

8. Por isso, jovem, ouça e obedeça os conselhos de seu pai; nunca deixe de lado, o que aprendeu com sua mãe.

9. Essas coisas darão a você grande valor e importância.

10. Meu filho, quando os pecadores quiserem enganá-lo com mentiras não permita que isso aconteça.

11. Se fizerem este convite: Venha fazer parte de nosso bando! Atacamos os inocentes de surpresa, roubamos e matamos, diga Não!

12. Eles dizem: Vamos acabar com a vida do inocente; destruiremos todos eles como a sepultura que engole os homens de uma vez para sempre.

13. Conseguiremos riquezas de toda espécie e ficaremos ricos de verdade!

14. Venha fazer parte de nosso bando; tudo que ganharmos será dividido igualmente.

15. Não faça isso, meu filho! Fique longe de gente desse tipo; não entre no caminho por onde eles andam.

16. A inclinação natural dessa gente é para a maldade; pensam somente em matar e destruir.

17. Quando o pássaro vê o caçador montar a armadilha, foge imediatamente.

18. Mas com essas pessoas ocorre justamente o contrário! Eles mesmos montam armadilhas contra suas vidas; eles planejam a própria destruição!

19. Esse é o destino de todos os que são dominados pelo desejo de possuir riquezas. Essa ambição sem limites acaba destruindo quem a possui.

20. A Sabedoria anda pelas ruas e praças, gritando e querendo ser ouvida:

21. Fala para o povo nas ruas, para os juízes nos tribunais, por toda a cidade enfim.

22. Gente vazia e indecisa, até quando vocês vão viver como tolos? E vocês, que zombam e fazem pouco caso de Mim, até quando continuarão fazendo isso, até quando vão preferir a ilusão à verdade?

23. Ouçam o que digo, pois quero corrigir seus erros! Derramarei o Meu espírito sobre vocês e lhes mostrarei Meu plano para suas vidas.

24. Eu já chamei tantas vezes e vocês recusaram! Estendi a mão, convidando, mas ninguém Me deu importância.

25. Vocês não deram valor aos Meus conselhos e não aceitaram a Minha repreensão.

26. Por isso, quando chegarem os dias do seu sofrimento, os dias do medo e da tristeza, Eu vou rir e zombar de vocês.

2728. Quando a desgraça cair sobre vocês como uma tempestade, quando seu triste fim chegar violento como um furacão, quando vocês estiverem sufocados pelas angústias, então vocês vão procurar desesperados a Minha ajuda, mas Eu não responderei. Tentarão Me encontrar, mas será tudo em vão.

29. Sabem por que isso vai acontecer? Porque vocês desprezaram a verdade e se recusaram a honrar e obedecer o CRIADOR.

30. Vocês não deram valor aos Meus conselhos e acharam que Minha repreensão era inútil.

31. Por isso, vocês comerão os frutos amargos de sua desobediência. Já que seus planos foram semear ventos, vocês colherão tempestades.

32. Gente vazia! Vocês morrerão porque se afastaram de Mim. Loucos, pensando que tudo estava bem enquanto caminhavam passo a passo para a destruição. Loucos!

33. Vejam que diferença! Quem Me ouve e obedece vive em paz e segurança, sem ter medo do mal.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

32

Cântico dos Cânticos [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Shir’Hashrin 1

1Este cântico foi composto pelo rei Shua’olmoh.

2[Ela]: Que ele me beije com a sua boca, porque o seu amor me é melhor do que o vinho.

3Como o teu perfume é agradável! Como o teu Shuam (Nome) é doce! Não admira que todas as moças gostem de ti!

4Leva-me contigo; anda, corramos! O rei levou-me para o seu palácio. [Coro] Como seremos felizes! O seu amor é melhor para mim do que o vinho. Não admira que todas as moças te apreciem!

5[Ela]: Eu sou morena, mas, bela, ó filhas de Yah’shua-oleym, queimada como as tendas curtidas de Quedar; e no entanto formosa como as tendas de seda de Shua’olmoh!

6Não olhem sobranceiramente para mim, por eu ser assim escura, porque foi o sol que me queimou. Meus irmãos tinham-me má vontade e mandaram-me para fora trabalhando nas vinhas sob os raios do sol; e foi assim que a minha pele se queimou!

7Diz-me, tu, a quem eu amo, para onde vais levar o teu rebanho a pastar? Onde é que o farás descansar ao meio-dia? Porque irei lá ter contigo, e assim não andarei no meio dos rebanhos dos teus companheiros, dando impressão duma moça de cabeça leve.

8[Coro]: Se ainda não o sabes, ó mulher mais bela de todas, segue as pisadas do meu rebanho, e apascenta as tuas cabras lá, junto às tendas dos anciãos.

9[Ele]: Eu comparo-te com uma linda égua, meu amor!

10Como são bonitas as tuas faces, com o cabelo caindo-lhe aos lados! Como fica soberbo o teu pescoço, com esse magnífico colar de pedras preciosas.

11Havemos de te mandar fazer brincos de ouro e outras jóias de prata.

12[Dueto]: O rei está no seu jardim, encantado com o meu perfume.

13O seu amor, para mim, é como um ramalhete de mirra, que guardo entre os meus seios.

14[Ele]: A minha amada é um ramo de flores nos jardins de En-gedi.

15Como és bela, meu amor, como és linda! Teus olhos são suaves, como pombas.

1617[Ela]: És gentil, meu querido; a tua presença, assim sobre a relva, à sombra dos cedros, debaixo dos ciprestes, é tão agradável!

 

LINGUAGEM MODERNA:

SHIR’HASHRIN 1

1. ESTA CANÇÃO, mais bonita que qualquer outra, foi escrita pelo rei Salomão/Shua’olmoh:

A Moça: 2. Beije-me mais uma vez porque o seu amor é mais doce que o vinho.

3. O seu perfume é delicioso; o seu nome vale mais que o perfume mais caro. Não é sem motivo que todas as moças gostam de você!

4. Leve-me com você; venha, vamos correndo! O rei me trouxe para o seu palácio. Nós seremos muito felizes! O seu amor é melhor que o vinho. Não é de admirar que todas as moças gostam de você!

A Moça: 5. Eu sou morena, mas sou bonita; ouviram, moças de Yah’shua-oleym? A minha pele queimada é da cor das cabanas escuras de Quedar. O Rei Shua’olmoh: Mas sua pele é macia como as cortinas de seda do rei Shua’olmoh!

A Moça: 6. Moças da cidade, não façam pouco caso de mim só porque a minha pele é morena; estou queimada de sol. Meus irmãos se zangaram e me mandaram tomar conta das plantações de uvas. O sol me queimou, veja o que me aconte­ceu!

A Moça: 7. Meu querido, diga-me onde você vai levar o seu rebanho hoje? E quando o sol esquentar, ao meio dia, onde você vai parar para as ovelhas descansarem? Eu quero ficar junto com você, em vez de andar à toa entre os rebanhos dos seus amigos.

O Rei Shua’olmoh: 8. Se você, a mulher mais bonita do mundo, não sabe, basta seguir as marcas do meu rebanho até as cabanas dos apascentadores; lá você pode dar comida às suas ovelhas e seus cabritos.

9. Você é muito linda, meu amor! E vale mais que qualquer outra coisa no mundo!

10. E como são bonitas as suas faces, com os seus cabelos caindo sobre elas! Você fica com um ar de rainha, com seu pescoço enfeitado por longos colares de jóias.

11. Vamos fazer brincos de ouro e enfeites de prata para você.

A Moça: 12. O rei está deitado em sua cama, encantado com o meu delicioso perfume.

13. O meu amado é como um saquinho de pó perfumado, colocado entre os meus seios.

O Rei Shua’olmoh: 14. A minha amada é um ramo de flores nos jardins de En-Gedi.

15. Como você é linda, meu amor! Os seus olhos são tão suaves e meigos como os das pombas.

16 Você é tão bela, tão encantadora, deitada na grama, à sombra dos cedros e dos ciprestes.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

33

LAMENTAÇÕES [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Echah 1

1As ruas de Yah’shua-oleym, outrora tão movimentadas e cheias de gente, estão agora desertas, silenciosas. A cidade, como uma viúva abatida pelo peso do desgosto, senta-se, desolada, no meio da sua amargura. Ela, que já foi antes a rainha das nações, é agora uma escrava. 2Soluça a noite inteira; correm-lhe grossas lágrimas, pelas faces. De entre os seus antigos aliados que a amaram, não há um só que esteja disposto a ajudá-la. Todos os seus amigos são agora seus inimigos. 3Yaohu’dah foi levada em cativeiro no meio de aflições e de pesados trabalhos. E agora ali está ela no exílio, lá bem longe. Não consegue encontrar descanso, porque todos os que a perseguiram apanharam-na no meio dos seus apertos. 4Os caminhos que conduzem a Tzayan estão tristes, abandonados; já não se encontram cheios de alegres multidões que vinham participar nas celebrações festivas do Templo; os portais da cidade estão silenciosos; os sacerdotes suspiram; as virgens foram arrastadas à força. Agora chora amargamente. 5Os seus inimigos agora a dominam, porque UL castigou Yah’shua-oleym por todos os seus muitos pecados, os seus filhos foram capturados e carregados como escravos, para longe. 6Toda a sua beleza, a sua majestade se foi; os seus nobres são como cervos cheios de fome à procura de pastagens – como veados desamparados, demasiado fracos para poderem fugir do caçador. 7E agora no meio da aflição, lembra-se dos dias felizes, já passados. Recorda-se daqueles belos momentos de alegria que teve, antes que os inimigos escarnecedores a tivessem ferido – e ninguém houve que lhe desse uma ajuda. 8Porque Yah’shua-oleym pecou horrivelmente; por isso, agora é posta de lado como um trapo sujo. Todos os que a honraram, agora a desprezam, pois que a vêem despida, humilhada. E ela lamenta-se e esconde o rosto. 9Cedeu à imoralidade e recusou encarar o fato de que o castigo não havia de falhar. E agora jaz na valeta, sem que haja alguém para lhe estender a mão e a levantar. Óh YAOHUH, grita ela, vê a minha aflição. O inimigo triunfou. 10Os seus adversários saquearam-na completamente, levando-lhe tudo o que de precioso tinha. Teve de ver nações estrangeiras violando-lhe o Templo sagrado – estrangeiros que tu tinhas proibido até de lá entrar. 11O seu povo geme e clama por pão; venderam tudo quanto tinham para obter alimento que lhes desse um pouco de forças. Vê, UL, roga ela, repara como estou abandonada. 12Não vos comove isto, vocês que passam perto? Olhem e vejam se há aflição semelhante à minha, por causa de tudo o que YAOHUH tem feito no dia da sua terrível cólera. 13Enviou fogo do céu, que me arde ainda dentro dos ossos; estendeu uma rede no meu caminho e fez-me voltar para trás. Deixou-me doente e desolada, todos os dias da minha vida. 14Ligou-me com cordas aos meus pecados, e pôs-me ao pescoço como que um jugo de escravidão. Abateu a minha força e entregou-me aos inimigos. Estou sem ajuda em suas mãos.15YAOHUH calcou aos pés todos os meus homens fortes. Um grande exército veio, ao seu chamamento, para esmagar os mais nobres dos jovens. UL pisou a sua cidade querida como cachos de uvas num lagar. 16É por isso tudo que choro; lágrimas, quentes rolam-me nas faces. O meu consolador está bem longe – só ele poderia ajudar-me. Os meus filhos não têm futuro; estamos numa terra conquistada. 17Yah’shua-oleym roga por socorro, e ninguém lhe acode. Porque UL falou assim: Que os seus vizinhos sejam os seus adversários! Que ela seja atirada fora, por eles, como trapos imundos! 18UL é justo, pois eu rebelei-me. Por isso, ó gentes de toda a parte, vejam a minha angústia e desespero, porque os meus filhos e filhas foram transportados para muito longe como escravos.19Roguei aos meus aliados que me trouxessem auxílio. Esperança vã! Eles não estão de forma alguma dispostos a dar ajuda. Nem tão pouco o poderiam os meus sacerdotes e anciãos – estes estão deitados nas ruas, morrendo de fome, e vasculhando nas lixeiras à procura de restos de comida. 20Vê, óh UL, a minha angústia; tenho o coração quebrantado e a vida oprimida, porque me rebelei terrivelmente. Espera-me nas ruas a espada; e em casa a fome e a morte. 21Ouvem os meus gemidos, e ninguém acorrem para dar auxílio. Todos os meus inimigos ouviram a minha angústia e até ficam contentes por verem o que fizeste. E apesar de tudo, óh UL, há de vir o tempo, com toda a certeza -porque foste tu quem o prometeu- em que lhes farás como me fizeste a mim. 22Olha também para os seus pecados, óh UL, e castiga-os como me castigaste a mim, porque passo a vida a suspirar e o meu coração desfalece.

 

LINGUAGEM MODERNA:

ECHAH 1

1. Como está sentada solitária a cidade que era tão populosa! tornou-se como viúva a que era grande entre as nações! A que era princesa entre as províncias tornou-se avassalada!

2. Chora amargamente de noite, e as lágrimas lhe correm pelas faces; não tem quem a console entre todos os seus amantes; todos os seus amigos se houveram aleivosamente com ela; tornaram-se seus inimigos.

3. Yaohu’dah foi para o cativeiro para sofrer aflição e dura servidão; ela habita entre as nações, não acha descanso; todos os seus perseguidores a alcançaram nas suas angústias.

4. Os caminhos de Sião/Tzayan pranteiam, porque não há quem venha à congregação solene; todas as suas portas estão desoladas; os seus sacerdotes suspiram; as suas virgens estão tristes, e ela mesma sofre amargamente.

5. Os seus adversários a dominam, os seus inimigos prosperam; porque o ETERNO a afligiu por causa da multidão das suas transgressões; os seus filhinhos marcharam para o cativeiro adiante do adversário.

6. E da filha de Sião/Tzayan já se foi todo seu esplendor; os seus príncipes ficaram sendo como cervos que não acham pasto e caminham sem força adiante do perseguidor.

7. Lembra-se Yah’shua-oleym, nos dias da sua aflição e dos seus exílios, de todas as suas preciosas coisas, que tivera desde os tempos antigos; quando caía o seu povo na mão do adversário, e não havia quem a socorresse, os adversários a viram, e zombaram da sua ruína.

8. Yah’shua-oleym gravemente pecou, por isso se fez imunda; todos os que a honravam a desprezam, porque lhe viram a nudez; ela também suspira e se volta para trás.

9. A sua imundícia estava nas suas fraldas; não se lembrava do seu fim; por isso foi espantosamente abatida; não há quem a console; vê, Maoro’eh, a minha aflição, pois o inimigo se tem engrandecido.

10. Estendeu o adversário a sua mão a todas as coisas preciosas dela, pois ela viu entrar no seu santuário as nações, acerca das quais ordenaste que não entrassem na tua congregação.

11. Todo seu povo anda gemendo, buscando pão; deram as suas coisas mais preciosas a troco de mantimento para refazerem as suas forças. Vê, Maoro’eh, e contempla, pois me tornei desprezível.

12. Não vos comove isto a todos vós que passais pelo caminho? Atendei e vede se há dor igual a minha dor, que veio sobre mim, com que o ETERNO me afligiu, no dia do furor da sua ira.

13. Desde o alto enviou fogo que entra nos meus ossos, o qual apossou-se deles; estendeu uma rede aos meus pés, fez-me voltar para trás, tornou-me desolada e desfalecida o dia todo.

14. O jugo das minhas transgressões foi atado; pela sua mão elas foram entretecidas e postas sobre o meu pescoço; ele abateu a minha força; entregou-me o ETERNO nas mãos daqueles a quem eu não posso resistir.

15. O ETERNO desprezou todos os meus valentes no meio de mim; convocou contra mim uma congregação para esmagar os meus mancebos; o ETERNO pisou como num lagar a virgem filha de Yaohu’dah.

16. Por estas coisas vou chorando; os meus olhos, os meus olhos se desfazem em águas; porque está longe de mim um consolador que pudesse renovar o meu ânimo; os meus filhos estão desolados, porque prevaleceu o inimigo.

17. Estende Sião/Tzayan as suas mãos, não há quem a console; ordenou o ETERNO acerca de Yah’kof que fossem inimigos os que estão em redor dele; Yah’shua-oleym se tornou entre eles uma coisa imunda.

18. Justo é o ETERNO, pois me rebelei contra os seus mandamentos; ouvi, rogo-vos, todos os povos, e vede a minha dor; para o cativeiro foram-se as minhas virgens e os meus mancebos.

19. Chamei os meus amantes, mas eles me enganaram; os meus sacerdotes e os meus anciãos expiraram na cidade, enquanto buscavam para si mantimento, para refazerem as suas forças.

20. Olha, Maoro’eh, porque estou angustiada; turbadas estão as minhas entranhas; o meu coração está transtornado dentro de mim; porque gravemente me rebelei. Na rua me desembainha a espada, em casa é como a morte.

21. Ouviram como estou gemendo, mas não há quem me console; todos os meus inimigos souberam do meu mal; alegram-se de que tu o determinaste; mas, em trazendo tu o dia que anunciaste, eles se tornarão semelhantes a mim.

22. Venha toda a sua maldade para a tua presença, e faze-lhes como me fizeste a mim por causa de todas as minhas transgressões, pois muitos são os meus gemidos, e desfalecido está o meu coração.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

34

ECLESIASTES [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Qeholoth 1

Tudo é ilusão

1Eu, Shua’olmoh, autor deste livro, rei em Yah’shua-oleym, filho do rei Da’oud e conhecido como o pregador. 2Na minha opinião tudo é ilusão; tudo é passageiro. 3O que é que uma pessoa ganha com todo o duro trabalho que tem? 4As gerações vão passando, umas, após outras, sem que haja alteração nisso. 5O sol nasce, e põe-se, mas, volta sempre ao lugar onde nasceu; 6o vento sopra ora do sul, ora do norte, duma banda doutra, circulando na atmosfera, mas, para não chegar a local nenhum. 7Os rios correm para o mar, mas, este nunca chega a ficar cheio; e, essa água por fim retorna aos rios, para correr novamente para o mar. 8Tudo é extremamente fastidioso e cansativo. Podemos ter visto e ouvido já muita coisa, mas, nunca estamos satisfeitos. 9A história não passa de uma mera repetição de fatos. Não há nada que seja verdadeiramente novo; já tudo foi feito ou dito anteriormente. 10Haverá alguma coisa que se possa indicar como sendo realmente nova? Tudo já aconteceu nos séculos passados. 11Nós é que não temos lembrança dessas coisas; e com as gerações futuras acontecerá o mesmo: não se recordarão do que nós fizemos. 1213Eu, o pregador, fui rei de Yaoshor’ul, vivendo em Yah’shua-oleym; e apliquei-me a procurar entender tudo no universo. 14Descobri então que a tarefa do ser humano, que YAOHUH lhe destinou, não é nada boa. É tudo loucura, é tudo andar correndo atrás do vento. 15O que está mal não pode ser corrigido; e também não vale a pena refletir sobre como as coisas poderiam ter sido doutra forma. 16Disse assim para comigo: Afinal, sou mais instruído do que qualquer dos reis que me precederam em Yah’shua-oleym. Tenho uma melhor experiência sobre a sabedoria e o conhecimento. 17É porque me esforcei grandemente por ser sábio, e não ignorante; no entanto dou-me conta agora de que até isto foi também como correr atrás de nada. 18Porque quanto maior era a minha sabedoria, maiores eram as minhas preocupações; aumentar os conhecimentos apenas traz consigo aumento de aflições.

 

LINGUAGEM MODERNA:

QEHOLOTH 1

1. O AUTOR DESTE livro é Salomão/Shua’olmoh, rei de Yah’shua-oleym, filho do rei Da’oud, O Professor.

2. Na minha opinião, não há nada que valha a pena neste mundo. Tudo é ilusão.

37. Qual é a vantagem que o homem consegue com todo o seu trabalho neste mundo? Gente nasce e morre, nasce e morre, mas nada muda. O sol nasce e se põe e volta a nascer. O vento sopra para o sul e para o norte, vai e vem, sopra aqui e ali, sem chegar a lugar algum. Os rios correm para o mar, mas o mar nunca fica cheio. A água volta para os rios e corre outra vez para o mar.

811. A vida é uma canseira, nem dá para contar! Mesmo que vejamos tudo que existe, não ficamos satisfeitos; podemos ouvir todos os sons, mas nem assim ficamos contentes. A História sempre se repete. Não há nada verdadeiramente novo no mundo. Tudo já foi dito ou feito antes. Você pode mostrar alguma coisa nova? Como é que você sabe que isso não existiu há muito tempo? Não podemos nos lembrar do que aconteceu no passado e daqui a algum tempo ninguém vai se lembrar do que nós fizemos.

1215. Eu, o pregador, fui rei de Yaoshor’ul e morei em Yah’shua-oleym. Eu me esforcei para aprender bem tudo o que existe no universo. Descobri que o CRIADOR sobrecarregou o homem com trabalhos pesados. A vida é uma ilusão, é correr atrás do vento. O que está errado não pode ser consertado, são águas passadas e não adianta ficar pensando no que poderia ter acontecido.

1618. Disse então para mim mesmo: Bem, eu sou muito mais estudado que todos os reis que meu pais já teve. Sou mais sábio e experiente e conheço mais sobre qualquer assunto. Por isso me esforcei bastante para ser sábio em vez de tolo, mas agora vejo que isso também era correr atrás do vento porque quanto mais eu aprendia, mais aflito ficava. Quem aumenta seus conhecimentos só aumenta sua tristeza.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

35

ESDRAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Oz’or 1

Kerosh ajuda os exilados a voltarem

1No primeiro ano do rei Kerosh, da Pérsia, YAOHUH despertou o espírito deste rei, levando-o fazendo a seguinte proclamação, através de todo o reino, a qual mandou também pôr por escrito: 24Todos os reinos da terra me foram dados pelo Criador dos Shan’ maym (céus), que me deu instruções para que lhe construísse um Templo em Yah’shua-oleym, na terra de Yaohu’dah. Todos os que são seu povo devem regressar a Yaoshor’ul, para dar cumprimento a essa tarefa, e YAOHUH será com eles. Aqueles, de entre os yaohu’dins, que não partirem, deverá contribuir para as despesas dos que forem a Yah’shua-oleym, fornecendo-lhes também vestuário, meios de transporte e mantimento para a viagem, além de uma oferta voluntária para o Templo. 5YAOHUH suscitou entre os chefes das tribos de Yaohu’dah e de Benyamim, e entre os sacerdotes e levitas, um grande movimento de consagração no sentido de regressarem a Yah’shua-oleym e de começarem logo a reconstrução do Templo. 6Os outros que optaram por ficar deram-lhes tudo o que colocaram, em prata, ouro, roupa, ovelhas, e outras coisas de valor. 78O próprio rei Kerosh devolveu as taças de ouro e outros objetos valiosos que Nebuchadnezar levara do Templo em Yah’shua-oleym e depositara no Templo dos seus falsos criadores, os ídolos. Nesse sentido deu ordens a Mitredate, o tesoureiro do império, para que tais objetos fossem entregues a Sesbazar, o líder de todo o movimento de retorno a Yaohu’dah. 910É esta a lista daquilo que Kerosh devolveu: 1.000 salvas de ouro, 1.000 salvas de prata, 29 incensários, 30 bacias de ouro maciço, 2.410 bacias de prata, para várias funções, 1.000 outros objetos diversos. 11Foram ao todo cinco mil quatrocentos e sessenta e nove objetos de ouro e de prata entregues a Sesbazar para que os levasse a Yah’shua-oleym.

 

LINGUAGEM MODERNA:

Oz’or 1

1. NO PRIMEIRO ANO do reinado de Ciro/Kerósh, rei da Pérsia, o CRIADOR cumpriu a profecia de Yarmi’yah, despertando no rei Ciro/Kerósh o desejo de mandar esta proclamação por todo o seu império (ele também mandou registrar esta proclamação nos registros permanentes do reino):

2. Ciro/Kerósh, rei da Pérsia, por meio desta, anuncia que o CRIADOR, o UL do céu, que me deu este vasto império, agora me encarregou de construir para ele um templo em Yah’shua-oleym, na terra de Yaohu’dah.

3. Todos os yaohu’dins residentes neste reino podem agora voltar a Yah’shua-oleym para reconstruir este Templo do ETERNO, que é o UL de Yaoshor’ul e de Yah’shua-oleym. Faço votos de que as bênçãos do ETERNO estejam com vocês.

4. Os yaohu’dins que não voltarem, devem ajudar nas despesas daqueles que voltarem, e também dar a eles roupas, transporte e recursos para a viagem, e ainda devem fazer uma oferta voluntária para o templo.

5. Então UL despertou um grande desejo nos chefes das tribos de Yaohu’dah e Benyamín, nos sacerdotes e levitas, e em muitos outros para voltarem a Yah’shua-oleym imediatamente e reconstruírem o templo.

6. Todos os yaohu’dins exilados que preferiram ficar na Pérsia deram a eles a assistência que puderam, e também fizeram donativos para o templo.

7. O próprio rei Ciro/Kerósh fez donativo dos vasos de ouro e outros objetos valiosos que o rei Nebushadnezar tinha trazido do templo em Yah’shua-oleym e colocado no templo dos seus próprios ídolos.

8. Ciro/Kerósh deu instruções a Mitredate, o tesoureiro da Pérsia, para que entregasse esses donativos a Sesbazar, o chefe dos exilados que voltavam para Yaohu’dah.

910. Os objetos que Ciro/Kerósh ofertou incluíam: 1.000 bacias de ouro, 1.000 bacias de prata, 29 incensórios, 30 vasos de ouro maciço, 2.410 vasos de prata (de vários desenhos), 1.000 objetos de tipos diferentes.

11. Eram ao todo 5.469 objetos de ouro e de prata entregues a Sesbazar para serem levados de volta a Yah’shua-oleym.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

36

NEEMIAS[VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Naokhem’yah 1

A oração de Naokhem’yah

1Autobiografia de Naokhem’yah, filho de Hacalias: Em dezembro do ano vinte do reinado de Akashverosh, rei da Pérsia, quando me encontrava no palácio real em Shushan, um dos meus amigos yaohu’dins chamado Khanani veio ver-me, acompanhado de alguns homens chegados de Yaohu’dah. Aproveitei a oportunidade e perguntei como iam as coisas em Yah’shua-oleym. 2Como então os yaohu’dins que regressaram a Yah’shua-oleym do exílio daqui, perguntei-lhes. 3Bom, as coisas não vão indo bem. O muro de Yah’shua-oleym ainda não está reconstruído; as portas mantêm-se queimadas. 4Ou-vindo isto, sentei-me e chorei. Recusei comer durante vários dias e passei muito tempo orando ao UL dos Shan’maym (céus). 5Ó YAOHUH, clamei. Óh grande e tremendo UL que te manténs fiel às tuas promessas, e que és bom e misericordioso para com os que te amam e obedecem! 67Ouve a minha oração! Escuta cuidadosamente o que tenho para te dizer! Vê, peço, como oro noite e dia pelo teu povo de Yaoshor’ul. Confesso que pecamos contra ti. Sim, eu e o meu povo cometemos o grave pecado de não obedecer aos mandamentos que nos deste através do teu servo Mehu’shua. 89Lembra-te, peço-te, daquilo que disseste a Mehu’shua: ‘Se pecarem, espalhar-vos-ei entre as nações. Mas, se, se voltarem para mim e obedecerem às minhas leis, ainda que se encontrem exilados nos mais longínquos pontos da terra, vos farei voltar para Yah’shua-oleym. Pois Yah’shua-oleym é o local que escolhi para me fazer representar’. 10Somos teus servos, o povo que resgataste pelo teu grande poder. 11 YAOHUH, peço-te que ouças a minha oração! Atenta às orações dos que tem prazer em te honrar. Ajuda-me agora, que vou pedir ao rei um grande favor – faz com que no seu coração se incline sendo benévolo para comigo. (Nesse tempo eu era quem servia as bebidas ao rei).

 

LINGUAGEM MODERNA:

NAOKHEN’YAH 1

12. HISTÓRIA DA VIDA de Neemias/Naokhen’yah, filho de Hacalias, escrita por ele mesmo: Fazia vinte anos que Akasheverósh era rei da Pérsia. Era o mês de dezembro e eu estava no palácio em Shushã, quando um de meus patrícios yaohu’dins, chamado Hanani, veio me fazer uma visita em companhia de alguns homens que haviam chegado de Yaohu’dah. Na conversa que tive com eles procurei saber como iam as coisas em Yah’shua-oleym. Como é que estão se arranjando por lá os yaohu’dins que voltaram daqui do cativeiro para Yah’shua-oleym? perguntei a eles.

3. Bem, responderam, as coisas por lá não andam muito boas; os muros de Yah’shua-oleym ainda estão derrubados, e as portas estão queimadas.

4. Quando escutei o que eles disseram, me sentei e chorei. Na verdade, durante alguns dias eu não quis saber de comer, pois passava o tempo fazendo oração ao UL do céu.

5. Clamei: Ó UL (CRIADOR), grande e temível o CRIADOR que cumpre as promessas que faz e é tão amável e bondoso para aqueles que O amam e obedecem!

67. Escute com toda a atenção o que eu digo! Olhe cá para baixo e veja que estou orando noite e dia a favor do seu povo Yaoshor’ul. Confesso que temos pecado contra ti; é verdade, eu e meu povo temos cometido o horrível pecado de não obedecer aos mandamentos que o CRIADOR nos deu por intermédio de seu servo Mehu’shua.

89. Por favor, lembre-se do que disse a Mehu’shua! Foi isto que o CRIADOR disse: Se vocês pecarem, Eu espalharei vocês entre as nações, mas se voltarem para Mim e obedecerem às minhas leis, ainda que estejam como escravos nos mais distantes lugares do mundo, trarei vocês de volta a Yah’shua-oleym. Porque Yah’shua-oleym é a cidade que escolhi para morar.

10. Nós somos seus servos; nós somos o povo que o CRIADOR salvou por seu grande poder.

11. Ó CRIADOR, por favor, escute a minha oração! Escute as orações daquelas pessoas que têm prazer em honrar o seu nome. Por favor, ajude-me agora quando vou entrar no palácio e pedir ao rei um grande favor, faça com que o coração do rei seja bondoso para mim. Nesse tempo eu trabalhava como copeiro do rei.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

37

I CRÔNICAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Toldoth Alef 1

De Adan a Abrul’han

14Estas são as mais antigas gerações da humanidade: Adan, Soth, Enosh, Quenan, Mehaolul, Yaorod, Kanoch, Methuselah, Lameque, Nokh, Shem, Can e Yafet.

59Os filhos de Yafet foram: Gomer, Magog, Madai, Yavan, Tubal, Meseque e Tiras. Os filhos de Gomer: Asquenaz, Rifa e Togarma. Os filhos de Yavan: Elisah, Tarshish, Quintim e Dodanim. Os filhos de Can: Cuche, Mizraim, Pute e Kena’anu. Os filhos de Cuche: Sheva, Havila, Sabta, Roemah e Sabteca. Os filhos de Roemah: Sheva e Dedan. 10Um outro filho de Cuche foi Nimrode, que se tornou um mau exemplo. 1112As famílias que descenderam de Mizraim foram: os ludeus, arameus, leabeus, nafuteus, patruseus, caslueus – donde descenderam os filisteus – e os caftoreus. 1316Entre os descendentes de Kena’anu contam-se: Tsidon (o seu filho primogênito) e Hete. Kena’anu foi também o antepassado dos yebuseus, amorreus, girgaseus, heveus, arqueus, sineus, arvadeus, zemareus e hamateus.

17Os filhos de Shem: Olao, Assur, Arfaxade, Lude, Aran, Uz, Hul, Geter, Meseque. 18Arfaxade gerou Sala, e este gerou Eber. 19Eber teve dois filhos, Poleg (que quer dizer divisão, porque foi enquanto viveu que os povos da terra se dividiram em diferentes grupos de línguas) e Yotan.

2023Os filhos de Yotan: Almoda, Selefe, Hazarmavet, Yera, Hadoron, Uzal, Dicla, Obal, Abimaul, Sheva, Ofir, Havila, Yaobab.

2427Um dos filhos de Shem foi Arfaxade, cujos descendentes foram sucessivamente: Sala, Eber, Poleg, Ro’eh, Serugue, Nahor, Turok, Abro’han (cujo nome foi mudado para Abrul’han).

2831Os filhos de Abrul’han foram Yatzkh’aq e Yshma’ul. Yshma’ul teve os seguintes filhos: Nabaiote, Quedar, Adeb’ul, Mibson, Misma, Dumah, Massah, Hadar, Tema, Yetur, Nafis e Quedmah.

32Abrul’han teve, da sua concubina Quetura: Zinran, Yocsan, Medan, Midian, Yisbaque, Suah. Os filhos de Yocsan foram: Sheva e Dedan. 33Os filhos de Midian: Efah, Efer, Kanoch, Abida e Uldaa. Estes foram os seus descendentes por parte de Quetura.

34Yatzkh’aq, o filho de Abrul’han, teve dois filhos: Essav e Yaoshor’ul.

35Os filhos de Essav foram: Ulifaz, Roe’ul, Yeus, Yalon e Coreh. 36Os filhos de Ulifaz. Teman, Omar, Zefoo, Gaetan, Quenaz e Amaleque (cuja mãe era Timna). 37Os filhos de Roe’ul: Naate, Zerah, Sama e Mizah.

3839Essav teve também outros filhos: Lotan, Sobal, Zibeon, Anah, Disom, Ozor e Disan. Teve igualmente uma filha chamada Timna. Os filhos de Lotan foram Hori e Homan. 40Os filhos de Sobal: Avan, Manaate, Ebal, Sofoo e Oman. Zibeon teve os seguintes filhos: Aia e Anah. 41Anah teve um filho: Disom. Os filhos de Disom: Hendan, Esban, Itran e Queran. 42Os filhos de Ozor. Bilan, Zaavan, Yaacan. Os filhos de Disan: Uz e Aran.

Os reis de Edon

43A seguir dá-se uma lista dos reis de Edon que reinaram antes que os reis de Yaoshor’ul dominassem a terra: Bela, filho de Beor, que viveu na cidade de Dinabah. 44Quando Bela morreu, reinou em seu lugar Yaobab, filho de Zerah, originário de Bozra. 45Quan-do Yaobab faleceu, tornou-se rei Huson, originário da terra dos temanitas. 46Depois de Huson, tomou o trono Hadade (o filho de Bedade), o qual destruiu os exércitos dos midianitas nos campos de Moab, e que fixara a sua residência na cidade de Avite. 47Após Hadade, tomou o seu lugar Samela, da cidade de Masreca. 48Quando Samela morreu, subiu ao trono Sha’ul, da cidade de Reobote, junto ao rio. 49Shaul morreu e substituiu-o no trono Baal-Hanan, filho de Acbor. 50Após o falecimento de Baal-Hanan, começou a reinar Hadade, que tinha o seu trono na cidade de Pauh, e era casado com Metab’ul, filha de Metrede e neta de Mezaabe.

5154Falecido Hadade, os reis de Edon foram os seguintes: O príncipe Timna, o príncipe Alva, o príncipe Yetete, o príncipe Aolibama, o príncipe Ela, o príncipe Pinom, o príncipe Quenaz, o príncipe Teman, o príncipe Mibzar, o príncipe Magdiul, e o príncipe Iran.

 

LINGUAGEM MODERNA:

TOLDOT ALEF 1

14. Estas são as mais antigas gerações da humanidade: Adan, Soth, Enosh, Quenã, Mehaolul, Yaorod, Kanoch, Methuselah, Lameque, Nokh, Shem, Cam e Yafet.

510. Os filhos de Yafet foram: Gomer, Magog, Madai, Yavã, Tubal, Meseque e Tiras. Os filhos de Gomer: Asquenaz, Rifa e Togarma. Os filhos de Yavã: Elisá, Tarshish, Quintim e Dodanim. Os filhos de Cam: Cuche, Mizraim, Pute e Canaan/Kena’anu. Os filhos de Cuche: Sheva, Havila, Sabta, Ro’emah e Sabteca. Os filhos de Ro’emah: Sheva e Dedan. Um outro filho de Cuche foi Nimrode, que se tornou um grande herói.

1112. As famílias que descenderam de Mizraim foram: os ludeus, arameus, leabeus, nafuteus, patruseus, caslueus – donde descenderam os Filisteus – e os caftoreus.

1316. Entre os descendentes de Canaan/Kena’anu contam-se: Tsidon (o seu filho primogênito) e Hete. Canaan/Kena’anu foi também o antepassado dos yebuseus, amorreus, girgaseus, heveus, arqueus, sineus, arvadeus, zemareus e hamateus.

1719. Os filhos de Shem: Olao, Assur, Arfaxade, Lude, Aran, Uz, Hul, Geter, Meseque. Arfaxade gerou Sala, e este gerou Eber. Eber teve dois filhos, Poleg (que quer dizer divisão, porque foi enquanto viveu que os povos da terra se dividiram em diferentes grupos de línguas) e Yotan.

2023. Os filhos de Yotan: Almoda, Selefe, Hazarmavet, Yera, HAdorano, Uzal, Dicla, Obal, Abimaul, Sheva, Ofir, Havila, Yaobab.

2427. Um dos filhos de Shem foi Arfaxade, cujos descendentes foram sucessivamente: Sala, Eber, Poleg, Ro’éh, Serugue, Nahor, Turok, Abroan (cujo nome foi mudado para Abrul’han).

2831. Os filhos de Abrul’han foram Yahtzk’haq e Yshma’ul. Yshma’ul teve os seguintes filhos: Nabaiote, Quedar, Adeb’ul, Mibsão, Misma, Dumá, Massah, Hadar, Tema, Yetur, Nafis e Quedmá.

3233. Abrul’han teve, da sua concubina Quetura: Zimrã, Yocsã, Medã, Midian, Yisbaque, Suá. Os filhos de Yocsã foram: Sebá e Dedan. Os filhos de Midian: Efá, Efer, Kanoch, Abida e Uldaa. Estes foram os seus descendentes por parte de Quetura.

34. Yahtzk’haq, o filho de Abrul’han, teve dois filhos: Essav e Yaoshor’ul.

3537. Os filhos de Essav foram: Ulifaz, Roe’ul, Yeús, Yalão e Coré. Os filhos de Ulifaz. Temã, Omar, Zefô, Gaetã, Quenaz e Amaleque (cuja mãe era Timna). Os filhos de Roe’ul: Naate, Zerá, Samá e Mizá.

3842. Essav teve também outros filhos: Lotã, Sobal, Zibeão, Aná, Disom, Ozor e Disã. Teve igualmente uma filha chamada Timna. Os filhos de Lotã foram Hori e Homã. Os filhos de Sobal: Alvã, Manaate, Ebal, Sofô e Omã. Zibeão teve os seguintes filhos: Aia e Aná. Aná teve um filho: Disom. Os filhos de Disom: Hendã, Esbã, Itrã e Querã. Os filhos de Ozor. Bilã, Zaavã, Yaacã. Os filhos de Disã: Uz e Aran.

4348. A seguir dá-se uma lista dos reis de Edom que reinaram antes que os reis de Yaoshor’ul dominassem a terra: Bela, filho de Beor, que viveu na cidade de Dinabá. Quando Bela morreu, reinou em seu lugar Yaobab, filho de Zérah, originário de Bozra. Quando Yaobab faleceu, tornou-se rei Husão, originário da terra dos temanitas. Depois de Husão tomou o trono Hadade (o filho de Bedade), o qual destruiu os exércitos dos midianitas nos campos de Moabe, e que fixara a sua residência na cidade de Avite. Após Hadade, tomou o seu lugar Samela, da cidade de Masreca. Quando Samela morreu, subiu ao trono Sha’ul, da cidade de Reobote, junto ao rio.

4950. Sha’ul morreu e substituiu-o no trono Baal-Hanã, filho de Acbor. 50Após o falecimento de Baal-Hanã, começou a reinar Hadade, que tinha o seu trono na cidade de Paú, e era casado com Metabel, filha de Metrede e neta de Mezaabe.

5154. Falecido Hadade, os reis de Edom foram os seguintes: O príncipe Timna, o príncipe Alva, o príncipe Yetete, o príncipe Aolibama, o príncipe Elá, o príncipe Pinom, o príncipe Quenaz, o príncipe Temã, o príncipe Mibzar, o príncipe Magdiul, e o príncipe Irã.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

38

II CRÔNICAS [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Toldoth Bet 1

Shua’olmoh pede sabedoria

1Shua’olmoh, filho do rei Da’oud, era agora o incontestado governante de Yaoshor’ul, porque UL, seu Criador tinha feito dele um poderoso monarca. 26Decidiu, pois, o rei, convocar todos os oficiais do exército mais os juízes para Gibeon; também chamou todos os chefes políticos e religiosos de Yaoshor’ul. Levou-os ao cimo da colina até ao velho tabernáculo construído por Mehu’shua, o homem ao serviço de UL, no tempo em que tinham andado pelo deserto. (Foi só muito mais tarde que o rei Da’oud mandou construir outro tabernáculo em Yah’shua-oleym para a Arca da Aliança, quando a mandou vir de Kiryat-Yearim). Também o altar de cobre, feito por Bezali’ul (filho de Uri e neto de Hur), ainda ali se encontrava defronte do velho tabernáculo. Shua’olmoh, mais aqueles que ele convocara, reuniram-se todos diante dele, enquanto foram sacrificados mil holocaustos oferecidos a YAOHUH. 7Nessa noite o Criador apareceu a Shua’olmoh e disse-lhe: Pede-me o que quiseres e dar-to-ei! 810Shua’olmoh respondeu: Óh UL, tu foste extremamente bondoso para com o meu pai Da’oud, e agora me deste o reino. Só pretendo que as tuas promessas se confirmem! A tua palavra, dirigida a Da’oud meu pai, concretizou-se, e fez-me rei sobre um povo tão numeroso como o pó da terra! Dá-me agora sabedoria e conhecimento para os governar com competência. Porque quem seria capaz de dirigir sozinho uma tão grande nação como esta? 1112UL retorqui-lhe: Sendo assim, que o teu maior desejo é seres capaz de servir este povo, e que não pretendeste nem riquezas nem honras pessoais, nem me pediste que amaldiçoasse os teus inimigos, nem tão pouco que te desse uma longa vida; antes pediste sabedoria e conhecimento para guiar competentemente o meu povo – por isso te concedo o que pediste, e ainda te darei tantas riquezas, prosperidade e honras como nenhum outro rei terá tido antes de ti! Não haverá também depois de ti outro semelhante em toda a terra! 1317Shua’olmoh deixou o tabernáculo, desceu a colina e voltou para Yah’shua-oleym para iniciar o seu mandato real sobre Yaoshor’ul. Organizou então uma enorme força militar de 1.400 carros de combate e recrutou 12.000 cavaleiros, para formarem uma guarda de proteção às cidades onde ficaram depositados os carros, ainda que alguns deles tivessem ficado também em Yah’shua-oleym mesmo, sob o controle direto do rei. Durante o reinado de Shua’olmoh, a prata e o ouro eram tão abundantes em Yah’shua-oleym como as pedras das ruas; madeiras caras eram usadas tão correntemente como madeira de figueiras bravas! Shua’olmoh mandou ao Egypto especialistas no comércio de cavalos para comprarem manadas inteiras a preços especiais. Por esse tempo os carros egypcios eram vendidos por sete quilos de prata cada um, e os cavalos por 1,7 quilos cada, entregues em Yah’shua-oleym. Muitos destes eram posteriormente vendidos de novo aos reis heteus e syrios.

 

LINGUAGEM MODERNA:

TOLDOT BET 1

1. SHUA’OLMOH, FILHO DO rei Da’oud, era agora o governador de Yaoshor’ul, e ninguém era mais forte do que ele, porque o CRIADOR fez dele um rei poderoso.

23. O rei mandou que todos os oficiais do exército e juízes se reunissem em Gibeon, e também todos os chefes políticos e religiosos de Yaoshor’ul. Shua’olmoh subiu com eles ao monte onde estava o antigo Tabernáculo que Mehu’shua construiu. Mehu’shua era o representante do ETERNO enquanto ele esteve no deserto.

4. Havia outro Tabernáculo em Yah’shua-oleym, construído pelo rei Da’oud para a Arca da Aliança, quando ele levou essa Arca de Kiryat Yearim para lá.

56. O altar de bronze feito por Bezal’ul (filho de Uri; este Uri era filho de Hur) ainda estava ali em frente do antigo Tabernáculo do CRIADOR, e então Shua’olmoh e todos os que ele havia convidado se reuniram diante do altar, e sobre ele foram oferecidos ao ETERNO mil sacrifícios queimados.

7. Naquela noite o CRIADOR apareceu a Shua’olmoh e disse: Peça o que quiser, e Eu darei o que você pedir!

89. Shua’olmoh respondeu: Ó UL foi tão bondoso para o meu pai Da’oud, e agora me deu o reino – isto é tudo o que eu desejo! O CRIADOR cumpriu a promessa que fez a meu pai Da’oud, e me fez rei sobre uma nação que está tão cheia de gente como a terra está cheia de pó!

10. Agora peço que o CRIADOR me dê sabedoria e conhecimento para governar esse povo como ele deve ser governado, pois quem pode, sozinho, dirigir uma nação tão grande como esta?

1112. O CRIADOR respondeu: Já que o seu maior desejo é ajudar o seu povo, e você não pediu tesouros, riqueza pessoal, nem honras, nem Me pediu a destruição dos seus inimigos, mas pediu sabedoria e conhecimento para dirigir bem o meu povo sobre quem coloquei você como rei – sim, Eu vou dar a sabedoria e o conhecimento que você pediu! E também vou dar tantas propriedades, riqueza e honras como nenhum outro rei antes de você já teve! E também não vai haver outro rei tão importante assim depois de você!

13. Então Shua’olmoh deixou o Tabernáculo, desceu do lugar alto em Gibeon, e voltou a Yah’shua-oleym para governar Yaoshor’ul.

14. Ele formou um exército de 1.400 carros, e convocou 12.000 cavaleiros para guardar as cidades onde foram colocados os carros, embora, é claro, alguns fossem guardados em Yah’shua-oleym, perto do rei.

15. Durante o reinado de Shua’olmoh, havia tanta prata e tanto ouro em Yah’shua-oleym como pedras na estrada! E se usava a madeira de cedro, que é muito cara, em lugar do sicômoro, que é madeira barata!

16. Shua’olmoh enviou negociantes de cavalos ao Egypto para comprarem grandes quantidades de cavalos por bons preços.

17. Naquele tempo os carros egypcios eram vendidos a seiscentos siclos de prata cada um, e cada cavalo custava cento e cincoenta siclos de prata, entregues em Yah’shua-oleym. Muitos desses carros e desses cavalos depois eram vendidos aos reis dos heteus e aos reis da Syria.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

39

ESTER [VT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Had’ssah 1

A rainha Vasti é deposta

12Era no terceiro ano do reinado de Akashverosh, que dominava sobre o vasto império medo-persa, com as suas cento e vinte e sete províncias, estendendo-se da Índia até à Etiópia.

3Houve nesse ano uma grande celebração no palácio de Shushan, para a qual o imperador convidou todos os seus governadores, colaboradores, oficiais superiores do exército, fazendo-os deslocaram-se de todos os cantos do seu território para esta ocasião.

4Essa celebração durou seis meses, e foi uma tremenda demonstração da riqueza e da glória do seu império.

5Quando tudo terminou, o rei deu uma recepção especial para a população de Shushan, pobres e ricos. Foram mais sete dias de celebração nos pátios e jardins do palácio. 6Havia belas decorações a verde, branco e azul, seguradas com faixas de púrpura a argolas de prata em colunas de marfim; canapés de ouro e prata sobre chão pavimentado de pórfiro, mármore, alabastro e pedras preciosas. Dava-se a beber em taças de ouro, de diferentes desenhos.

78Havia abundância de vinho real, porque o monarca estava inclinado para a generosidade. Todos bebiam sem constrangimento, quanto tivessem na vontade. O rei dera instruções para que todas as pessoas fizessem como lhe apetecia.

9Também pelo seu lado a rainha Vasti deu assim mesmo ocasião um banquete oferecido às mulheres do palácio.

1011No sétimo dia o rei, que se estava sentindo alegre com o vinho, deu ordens aos seus sete eunucos – Meumah, Bizta, Harbona, Bigta, Abagta, Zetar e Carcas – que lhe trouxessem a rainha Vasti com a coroa real na cabeça, para que todos pudessem admirar a sua beleza – porque era uma bela mulher.

1214Mas, a rainha recusou obedecer a essa ordem do rei. O soberano ficou furioso; mas, antes de tomar qualquer medida punitiva resolveu consultar primeiro os seus homens de leis, porque não fazia nada sem o conselho deles. Tratava-se de pessoas muitos sabias, conhecedoras de todas as diversas situações, e de todas as leis da justiça. Os seus nomes eram: Carsena, Setar, Admata, Tarshish, Meres, Marsena e Memucan – sete altos funcionários do império. E eram pessoas que tinham acesso direto ao rei. 15Que castigo prevê a lei, perguntou-lhes o rei. Para uma rainha que recuse obedecer às ordens do rei, dadas através dos seus eunucos?

1618Memucã foi o porta-voz de todos: A rainha Vasti prevaricou não só em relação ao rei, mas, para com todos os cidadãos deste império. Correr-se-á o risco de as mulheres por toda a parte começarem a desobedecer aos maridos, quando tiverem conhecimento do que a rainha Vasti fez. Antes que este mesmo dia termine, as mulheres através de todo o território saberão da atitude que a rainha tomou e por-se-ão falando com os seus maridos, com os mesmos sentimentos. Haverá assim desprezo e indignação por toda a parte.

19Sugerimos, pois que, se tal for do teu agrado, faças um édito real, que se tornará numa lei dos medos e dos persas, a qual jamais se poderá revogar, no qual se decretará que a rainha Vasti seja banida para sempre da tua presença e que escolhas outra rainha mais digna do que ela.

20Quando esse édito for tornado público em todo o teu vasto domínio, todas as mulheres serão levadas a respeitar os maridos, seja a que nível social for! 21O rei e todos os seus colaboradores acharam bem este parecer e decidiram decretá-lo.

22Enviaram cartas para todas as províncias do império, escritas nas línguas de cada região, fazendo lembrar que cada homem deveria ser soberano no seu lar.

 

LINGUAGEM MODERNA:

HAD’SSAH 1

13. FOI NO TERCEIRO ano do reinado do rei Assuero/Akashverósh, Imperador de um reino muito grande conhecido como Média-Pérsia; esse reino era formado por 127 províncias, que iam desde a Índia até à Etiópia. Foi o ano da grande comemoração no palácio de Shushã. Para essa comemoração, o rei convidou todos os governadores, auxiliares e oficiais do exército, e eles vieram de todas as partes da Médio-Pérsia.

4. A comemoração durou seis meses, mostrando a grande riqueza e glória do império.

5. Quando terminou a comemoração, o rei deu uma festa especial para os servidores e oficiais do palácio: para gente importante como os oficiais e para gente menos importante como os porteiros. Foram sete dias de festas realizadas no jardim do palácio.

6. Os enfeites eram verdes, brancos e azuis, amarrados com fitas de um pano vermelho muito caro conhecido como púrpura, e essas fitas estavam ligadas por argolas de prata que ficavam presas em colunas de pedra mármore. Havia uns bancos feitos de ouro e de prata colocados nos pisos de pedra mármore nas cores preta, vermelha, branca e amarela.

7. As bebidas eram servidas em copos de ouro de diversos modelos, e também havia muito vinho fabricado especialmente para o rei, porque o rei estava muito atencioso com todos.

8. Todos tinham liberdade e ninguém era obrigado a beber mais do que desejava, porém havia bastante para os que queriam beber muito, pois o rei tinha dado ordens aos oficiais para deixar cada pessoa escolher o que desejava.

9. Na mesma ocasião a rainha Vasti deu uma festa para as mulheres que estavam no palácio.

10. No último dia, quando o rei já estava um pouco bêbado por causa do vinho, chamou os sete ajudantes especiais que ele tinha. Os nomes desses ajudantes eram: Meumá, Bizta, Harbona, Bigta, Abagta, Zetar e Carcás

11. Deu ordens a esses ajudantes para trazerem a ele a rainha Vasti, e ela devia colocar na cabeça a coroa real, a fim de que todo o povo e os príncipes pudessem ver a beleza dela porque a rainha era uma mulher bonita.

1215. Mas quando eles falaram com a rainha sobre a ordem do rei, ela não quis vir. O rei ficou furioso, mas primeiro consultou os homens mais inteligentes, porque não fazia nada sem o conselho deles. Esses homens tinham muita sabedoria. Sabiam bem quando as coisas deviam ser feitas e conheciam as leis e a justiça da Pérsia. O rei tinha confiança no que eles diziam. Seus nomes eram: Carsena, Setar, Admata, Társis/Tarshish, Meres, Marsena e Memucã: sete príncipes da Média-Pérsia. Eram amigos pessoais do rei e também os oficiais mais importantes do governo. O que vamos fazer num caso destes? o rei perguntou a eles. Qual o castigo que a lei determina para uma rainha que não quer obedecer às ordens do rei, quando as ordens foram mandadas por meio de seus ajudantes?

16. Memucã respondeu por todos os outros, e disse: A rainha Vasti não respeitou o rei e com isso falhou com todos os oficiais e cidadãos do reino de Vossa Majestade.

17. Pois agora todas as mulheres vão começar a desobedecer aos maridos quando elas souberem o que a rainha Vasti fez.

18. Hoje mesmo, antes de terminar este dia, as nossas próprias mulheres vão ficar sabendo o que a rainha fez e vão começar a fazer do mesmo jeito a nós, os maridos, e vai haver muita briga e discussão em todo o reino de Vossa Majestade.

19. Se o rei estiver de acordo, nós achamos que deve ser passado um decreto da parte do rei, uma lei dos medos e dos persas que não pode ser mudada. Essa lei deve dizer que a rainha Vasti nunca mais poderá se apresentar diante do rei, e que vai ser escolhida outra rainha melhor do que ela.

20. Quando esta lei for anunciada em todo o grande reino de Vossa Majestade, todos os maridos, qualquer que seja a posição deles, vão ser respeitados pelas suas mulheres!

2122. O rei e os ajudantes acharam que isto ia dar bom resultado, e por isso ele aceitou o conselho de Memucã, mandando cartas para todas as províncias do reino. As cartas eram escritas na linguagem que se falava em cada província, e determinavam que cada homem devia dirigir a sua própria casa e a autoridade dele devia ser respeitada.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

40

MATEUS [NT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Matt’yaohuh 1

A genealogia de Yaohu’shua hol’Mehushkyah

1São estes os antepassados de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, descendente do rei Da’oud e de Abrul’han: 26Os descendentes de Abrul’han foram sucessivamente Yatzkh’aq, Yah’kof, Yaohu’dah mais os irmãos deste. Yaohu’dah foi pai de Peres e de Zerah. (Tamar foi a mãe de ambos). Depois de Peres vieram Hezron, Ro’eh, Aminaodab, Naoshon, Shua’olmoh, Bo’oz (cuja mãe foi Rahab), Awood (que teve por mãe Ruth), Yaoshai e o rei Da’oud. Após Da’oud, os descendentes foram Shua’olmoh (cuja mãe tinha sido mulher de Uri’yah), 711Ro’eboan, Abi’yaohuh, Osa, Yao’shuafat, Yaoran, Uzi’yah, Yaotan, Ahoz, Kozoq’yah, Menashes, Amom, Yaosa’yah, Yeconias e seus irmãos (que nasceram quando os yaohu’dins foram deportados para Bavel). 1216Depois desse exílio, a linha de descendência continuou sucessivamente com Yeconias, Shealti’ul, Zerubab’ul, Abiude, Uliakim, Ozor, Tzaodok, Yaquim, UL’iod, Ul’ozor, Matt’yaohuh, Yah’kof e por fim Yao’saf, pai de Maoro’hem, mãe de Yaohu’shua hol’Mehushkyah, [o Messias]. 17São catorze gerações desde Abrul’han até ao rei Da’oud; catorze desde o tempo do rei Da’oud até ao exílio em Bavel; e catorze do exílio até hol’Mehushkyah[1].

O nascimento de Yaohu’shua hol’Mehushkyah

18Eis o que se passou antes do nascimento de Yaohu’shua hol’Mehushkyah: Maoro’hem, sua mãe, estava desposada de Yao’saf, mas, embora fosse ainda jovem, ficou grávida, pelo poder de hol’kod-shua Ruk’hah (o santo Espírito). 19Então Yao’saf, seu esposo, homem de princípios, decidiu pôr termo à promessa de casamento, querendo, porém, fazê-lo de tal modo que ela não ficasse com má fama entre o povo.

2022Estando ele a pensar no caso, teve um sonho no qual via um Molaok (mensageiro) de pé, ao seu lado, dizendo-lhe: Yao’saf, filho de Da’oud, não tenhas medo de aceitar Maoro’hem como tua mulher! A criança que ela traz no ventre foi fruto do Ruk’hah HOL’KOD-SHUA (o santo Espírito, UL’HIM). Ela terá um filho a quem porás o Shuam (Nome) de Yaohu’shua, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados. Assim se cumpriu a mensagem de UL através dos seus profetas: 23Uma jovem conceberá, e dará à luz um filho e ser-lhe-á posto o Shuam (Nome) de Imanu’ul. Imanu’ul quer dizer: UL está conosco.

2425Quando acordou, Yao’saf fez o que o MOLAOK (MENSAGEIRO) de YAOHUH[2] lhe mandara e levou Maoro’hem para casa como sua mulher. Mas, ela permaneceu sem ter relações com seu esposo até nascer o seu filho primogênito. Yao’saf pôs-lhe o Shuam (Nome) de Yaohu’shua.


 

[1] No manuscrito Syrius Tzayanticus, da versão Siríaca Antiga, consta que Yao’saf gerou a Yaohu’shua, No Dialogus Timothei et Aquilae também consta que Yao’saf O gerou… Além disto, na grande maioria dos manuscritos mais antigos [antes da sua versão grega] Man’yaohu termina aqui!

[2] No VT, o Molaok (mensageiro) de YAOHUH era o próprio Messias [Mika’ul] e a partir da Sua vinda em Carne, o Molaok (mensageiro) passou a ser o arcanjo Gabor’ul.

 

 

LINGUAGEM MODERNA:

Matt’yaohuh 1

1. São estes os antepassados de Yaohu’shua hol’Mehuskyah, descendente do rei Da’oud e de Abrul’han:

26. Os descendentes de Abrul’han foram sucessivamente Yahtzk’haq, Yah’kof, Yaohu’dah mais os irmãos deste. Yaohu’dah foi pai de Peres e de Zérah. (Tamar foi a mãe de ambos). Depois de Peres vieram Hezron, Ro’éh, Aminaodab, Naoshon, Shua’olmoh, Bo’oz (cuja mãe foi Rahab), Awód (que teve por mãe Ruth), Yaoshái, e o rei Da’oud seguir a Da’oud os descendentes foram Shua’olmoh (cuja mãe tinha sido mulher de Uri’yaohuh),

711. Ro’eboan, Ab’yah, Osa, Yaohu’shuafat, Yao’roam, Uzi’yah, Yaotan, Ahóz, Kozoq’yah, Menashe, Amom, Yaosa’yah, Yeconias e seus irmãos (que nasceram quando os yaohu’dins foram deportados para Bavel).

1216. Depois desse exílio, a linha de descendência continuou sucessivamente com Yeconias, Shealtiúl, Zerubab’ul, Abiude, Uliakim, Ozor, Tzaodóq, Yaquim, Uliod, Ul’ozor, Matt’yaohuh, Yah’kof e por fim Yao’saf, pai de Maoro’hem, mãe de Yaohu’shua hol’Mehuskyah, [o Messias].

17. São catorze gerações desde Abrul’han até ao rei Da’oud; catorze desde o tempo do rei Da’oud até ao exílio em Bavel; e catorze do exílio até hol-Mehushkyah.

18. Eis o que se passou antes do nascimento de Yaohu’shua hol’Mehuskyah: Maoro’hem, sua mãe, estava desposada de José/Yao’saf, mas, embora fosse ainda jovem, ficou grávida dele, pelo poder do hol-KODSHUA RUKHA (YAOHUH, em espírito onipresente).

19. Então José/Yao’saf, seu esposo, homem de princípios, decidiu pôr termo à promessa de casamento, querendo, porém, fazê-lo de tal modo que ela não ficasse com má fama entre o povo.

2022. Estando ele a pensar no caso, teve um sonho no qual via um Anjo de pé, ao seu lado, dizendo-lhe: José/Yao’saf, filho de Da’oud, não tenhas medo de aceitar Maoro’hem como tua mulher! A criança que ela traz no ventre foi fruto do RUKHA HOL’KODSHUA (YAOHUH, o Santo). Ela terá um filho a quem porás o Shuam (Nome) de Yaohu’shua, porque Ele salvará o seu povo dos seus pecados. Assim se cumpriu a mensagem de UL através dos seus profetas:

23. Uma jovem conceberá, e dará à luz um filho e ser-lhe-á posto o Shuam (Nome) de Imanu’ul. Imanu’ul quer dizer: UL está conosco.

2425. Quando acordou, José/Yao’saf fez o que o Anjo de YAOHUH lhe mandara e levou Maoro’hem para casa como sua mulher. Mas, ela permaneceu sem ter relações com seu esposo até nascer o seu primeiro filho. José/Yao’saf pôs-lhe o Shuam (Nome) de Yaohu’shua.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

41

MARCOS [NT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Marcus 1

Yao’khanan, o Imersor, prepara o Caminho

1Aqui começa a boa nova de Yaohu’shua hol’Me-hushkyah (o Messias), ha’Bor de YAOHUH. 23No livro escrito pelo profeta Yashua’yah, UL anunciou a seu respeito: Mandarei o meu mensageiro para te preparar o Caminho. Este mensageiro, disse, é uma voz gritando no deserto e avisará todas as pessoas para pôr a sua vida em ordem a fim de estar pronta para a vinda de UL. 4Ora, este mensageiro foi Yao’khanan, o Imersor, que vivia no deserto e ensinava que todos se deveriam imergir como sinal público de terem resolvido voltar costas ao pecado, para que YAOHUH lhes desse o perdão. 5Gente de Yah’shua-oleym e de toda a Yaohu’dah ia até aos lugares afastados de Yaohu’dah para ver e ouvir Yao’khanan; e, quando confessavam os seus pecados, ele imergia-os no rio Yardayan. 6A roupa dele era feita de pêlo de camelo tecido e usava um cinto de couro[1]; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. 7Este pregava assim: Em breve chegará alguém que é muito mais importante do que eu, tanto assim que nem sou digno de me ajoelhar para lhe desatar as sandálias 8Eu imerjo-vos com água, mas, ele vos imergirá no poder de hol kod’shua RUK’HA (o santo Espírito).

A imersão e a tentação de Yaohu’shua

911Um dia, Yaohu’shua veio dentre os Nudtzoroth’dins, na região da Galiléia (ha’Galil), e foi imerso ali por Yao’khanan no rio Yardayan. No momento em que saía da água, viu os Shan’maym (céus) abertos e o RUK’HA-UL’HIM (UL’HIM, em Espírito onipresente) que descia sobre Ele, como faz uma pomba. E uma voz no shan’mayao (céu) disse: Tu és o meu ha’Bor (Filho) único; em ti tenho grande prazer. 1213Logo o RUK’HA (espírito de UL’HIM) levou Yaohu’shua para o deserto. Ali, durante quarenta dias, unicamente acompanhado pelos animais do deserto, sofreu as tentações de ha’satan, que queria que cometesse pecado. E os Molaokhim (mensageiros) cuidavam dele.

A chamada dos primeiros discípulos

14Mais tarde, depois de Yao’khanan ter sido preso pelo rei Herod, Yaohu’shua foi para a Galiléia [ha’ Galil], a fim de pregar as Boas Novas de UL. 15Chegan-do finalmente o tempo, ele anunciou: o Reino de UL está próximo! Deixem os vossos pecados e creiam nesta magnífica notícia! 1618Um dia, ia Yaohu’shua caminhando pela costa do Mar da Galiléia (ha’Galil), viu Shami’ul e Andor’ul, seu irmão, a pescar com redes, pois eram pescadores por ofício. Yaohu’shua chamou-os: Venham e sigam-me. Farei de vocês pescadores de pessoas. E logo deixaram as redes e o seguiram. 1920Um pouco mais adiante na praia, viu os filhos de Zebedeu, Yah’kof e Yao’kha-nan, num barco a remendar as redes. Chamou-os também e logo o seguiram, deixando o seu pai Zebedeu no barco com os empregados.

Yaohu’shua expulsa demônios e cura doentes

2122Yaohu’shua e os companheiros chegaram então à cidade de Kefar-Naok’hem, e no Shabbos (Sábado) foram à sinagoga; e aí ensinava. As pessoas ficaram admiradas com o seu ensino, pois falava com autoridade, ao contrário dos mestres da lei. 2324Achava-se ali presente um homem dominado pelo demônio, que começou a gritar: Porque nos vens inquietar, Yaohu’shua, dos Nudtzoroth’dins? Vieste destruir-nos? Sei quem és: és o santo ha’Bor de YAOHUH! 25Yaohu’ shua ordenou: Cala-te. Sai do homem! 26O espírito mal soltou um grito muito forte e, com uma convulsão violenta, saiu daquele corpo. 27As pessoas que ali estavam, tomadas de espanto, começaram a discutir o sucedido. Que novo ensino será este, perguntavam excitadas. Até os espíritos maus obedecem às suas ordens! 28A notícia do que ele tinha feito depressa se espalhou por toda aquela região da Galiléia (ha’Galil). 2931Quando saiu da sinagoga com os discípulos, foram a casa de Shami’ul e Andor’ul, Yah’kof e Yao’k-hanan estavam com eles. Encontraram a sogra de Shami’ul de cama e com febre. Logo falaram na doente a Yaohu’shua, que a tomou pela mão e a ajudou a erguer-se, e imediatamente a febre a deixou, permitindo-lhe preparar o comer. 3234Quando o sol se pôs, o pátio estava cheio de doentes e de possuídos de demônios que lhe tinham sido trazidos para que os curasse. Uma enorme multidão de toda a cidade de Kefar-Naok’hem juntou-se do lado de fora da porta a observar. Naquela noite, curou grande número de doentes e mandou a muitos demônios que saíssem do corpo das suas vítimas. No entanto, não deixava aos demônios falar, os quais sabiam quem ele era.

Yaohu’shua ora num lugar deserto

35Na manhã seguinte levantou-se de madrugada e foi sozinho até um lugar deserto para orar. 3637Mais tarde, Shami’ul e os outros saíram à sua procura e disseram-lhe: Todas as pessoas perguntam por ti. 38Mas, ele respondeu: Devemos seguir também para outras localidades e apresentar ali a minha mensagem, pois foi para isso que vim. 39Percorria, assim, toda a província da Galiléia (ha’Galil), pregando nas sinagogas e livrando muitos do poder dos demônios.

A cura dum homem leproso

40Desta vez, veio até ele um leproso que se ajoelhou e lhe pediu muito que o curasse. Se quiseres, podes pôr-me bom outra vez, rogou ele. 41Então Yaohu’shua, cheio de compaixão, tocou-lhe e disse: Quero! Fica curado! 42Logo a lepra desapareceu e o homem ficou bom. 4344Então Yaohu’shua disse-lhe com firmeza: Vai e faz-te examinar imediatamente pelo sacerdote. Não pares a conversar pelo caminho. Leva contigo a oferta que Mehu’shua estabeleceu para os leprosos que se curam, para que todas as pessoas tenham a prova de que estás são. 45Mas, o homem começou a gritar pelo caminho a boa notícia de que estava curado; e tão grande foi a multidão que rodeou Yaohu’shua que em região alguma ele podia entrar publicamente numa cidade, vendo-se obrigado a ficar de fora, nos sítios isolados, onde de toda parte vinha pessoas procurá-lo.


 


[1] Ele vestia-se como Uli’yah – 2º Rs 1:8 cf Zc 13:4.

 

LINGUAGEM MODERNA:

MARCUS 1

1. Aqui começa a maravilhosa história de Yaohu’shua, o Messias/hol’Mehushkyah, o Filho do ETERNO.

2. No Livro escrito pelo profeta Yashua’yah, o CRIADOR anunciou que enviaria o seu Filho à terra, e que um mensageiro especial viria primeiro, a fim de preparar o mundo para a chegada dEle.

3. Este mensageiro morará no deserto, disse Yashua’yah, proclamará que todo mundo endireitar sua vida e estar pronto para a chegada do CRIADOR.

4. Este mensageiro foi João/Yao’khanan, o Imersor. Ele morava no deserto e ensinava que todos deviam ser imersos, como prova pública da sua decisão de voltar as costas ao pecado, para que o CRIADOR os perdoasse.

5. Gente de Yah’shua-oleym e de toda a Yaohu’dah ia para os lugares desertos da Yaohu’dah, para ver e ouvir João/Yao’khanan; e quando confessavam os seus pecados, ele os imergia no Rio Jordão/Yardayan.

6. A roupa dele era tecida de pêlo de camelo e usava um cinto de couro; a sua comida eram gafanhotos e mel do campo.

7. Esta é uma amostra da pregação dele: Em breve chegará alguém que é muito mais importante do que eu, tão mais importante que eu não sou digno de ser escravo dEle.

8. Eu imerjo vocês com água, porém Ele imergirá no poder do Santo Espírito/Ruk’ha Ul’him!

9. Então num daqueles dias Yaohu’shua veio entre os nazarenos da Galiléia/ha’Galil, e foi imerso por João/Yao’khanan ali no Rio Jordão/Yardayan.

10. No momento em que Yaohu’shua saiu da água, viu os céus abertos e o poder do Santo Espírito/Ruk’ha Ul’him como faz uma pomba, descendo sobre Ele.

11. Uma voz vinda do céu disse: Você é meu Filho único; Você é minha alegria.

1213. Logo depois o Santo Espírito/Ruk’ha Ul’him levou Yaohu’shua para o deserto, onde ficou por quarenta dias, sozinho, em meio aos animais selvagens. Ali, Ele foi submetido às tentações de satan. Depois disso os Anjos vieram e cuidaram dEle.

14. Mais tarde, depois que João/Yao’khanan foi preso pelo rei Herod, Yaohu’shua foi para a Galiléia/ha’Galil, a fim de pregar as Boas Novas do ETERNO.

15. Finalmente chegou o tempo! anunciava Ele. O Reino do ETERNO está próximo! Afastem-se dos seus pecados e ajustem sua vida e esta gloriosa mensagem!

16. Um dia, quando Yaohu’shua estava andando ao longo das praias do mar da Galiléia/ha’Galil, viu dois irmãos, Simeão/Shami’ul e André/Andor’ul, pescando com as redes, pois eram pescadores por profissão.

17. Yaohu’shua os chamou: Venham, sigam-Me! E farei de vocês pescadores das vidas dos homens!

18. No mesmo momento eles deixaram as redes e o acompanharam.

19. Um pouco mais adiante, na praia, Ele viu os filhos de Zebedeu, Tiago/Yah’kof e João/Yao’khanan, em um barco remendando as redes.

20. Chamou os dois também, e imediatamente eles deixaram o pai Zebedeu no barco com os empregados e foram embora com Ele.

21. Yaohu’shua e seus companheiros chegaram então à cidade de Cafarnaum/Kefár-Naok’hem, e no sábado/shabbós de manhã foram ao lugar de adoração dos yaohu’dins: a sinagoga: e ali Ele pregou.

22. O auditório ficou admirado do seu sermão, porque Ele falava com autoridade, e não procurava provar seus pontos de vista citando os outros: ao contrário do que eles estavam acostumados a ouvir!

23. Achava-se presente ali um homem possesso dum demônio, que começou a gritar:

24. Por que o CRIADOR está nos incomodando; Yaohu’shua de entre os nazarenos: veio destruir a nós, os demônios? Eu sei que é o CRIADOR: O Santo Filho do ETERNO!

25. Yaohu’shua repreendeu o demônio mandando que não dissesse mais nada e saísse do homem.

26. Com aquilo o espírito mau deu um grito forte, agitou violentamente o homem e saiu dele.

27. O espanto tomou conta de todos, e eles começaram a discutir o que tinha acontecido. Que espécie de religião nova é esta, perguntaram eles admirados. Imaginem, até os espíritos maus obedecem às ordens dEle!

28. A notícia do que Ele havia feito espalhou-se depressa por toda aquela região da Galiléia/ha’Galil.

2930. Depois, quando saíram da sinagoga, Ele e seus discípulos foram para a casa de Simão/Shami’ul e André/Andor’ul, onde encontraram a sogra de Simão/Shami’ul doente, de cama, com uma febre alta. Imediatamente falaram a Yaohu’shua a respeito dela.

31. Ele foi para o lado da cama dela, tomou a sua mão e a ajudou a sentar-se. De repente ela sarou da febre, levantou-se e começou a servir a todos.

3233. Quando o sol se pôs, o pátio ficou cheio de doentes e possessos de demônios, trazidos a Ele para serem curados; uma enorme multidão de gente de toda a cidade de Cafarnaum/Kefár-Naok’hem juntou-se do lado de fora da porta para olhar.

34. Então naquela noite Yaohu’shua curou um grande número de pessoas doentes e ordenou a muitos demônios que saíssem de suas vítimas. (Porém Ele não deixava os demônios falarem, porque sabiam quem Ele era).

35. No outro dia de manhã Ele se levantou bem antes do amanhecer, e foi sozinho a um lugar deserto para orar.

3637. Mais tarde, Simão/Shami’ul e os outros saíram procurando-O e Lhe disseram: Todo mundo está perguntando pelo CRIADOR.

38. Porém Ele respondeu: Devemos prosseguir da mesma maneira para os outros lugares aqui por perto, e apresentar-lhes também a minha mensagem, porque foi para isso que Eu vim.

39. Por isso Ele viajava por toda a província da Galiléia/ha’Galil, pregando nas sinagogas e libertando muitos do poder dos demônios.

40. Uma vez um leproso veio, ajoelhou-se diante dEle e suplicou-Lhe que o curasse. Se o CRIADOR quiser, pode curar-me, pedia ele.

41. E Yaohu’shua, levado pela compaixão, tocou nele e disse: Sim, Eu quero! Seja curado!

42. Imediatamente a lepra desapareceu: O homem estava curado!

4344. Yaohu’shua então disse-lhe energicamente: Vá pedir para o sacerdote que examine você. Não pare pelo caminho para falar com ninguém. Leve com você a oferta que Mehu’shua mandou que um leproso apresente, a fim de que todo mundo tenha a prova de que você está novamente bom.

45. Mas enquanto o homem seguia pelo caminho, começou a gritar a boa nova de que ele estava curado. Por isso, grandes multidões logo cercaram Yaohu’shua; Ele não podia entrar publicamente em qualquer cidade, tendo de ficar fora, nos lugares desertos. E de toda parte vinha gente encontrar-se com Ele.

 

LIVROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

42

LUCAS [NT]

LINGUAGEM PADRÃO (Logo após, Ling. Moderna):

Luka 1

Introdução

1Excelentíssimo Ohav’yah [Teófilo; ‘amigo de Yah’]: Escreveram-se já várias narrativas sobre hol’Mehu-shkyah (o Messias), 2em que se usaram relatos que nos foram feitos pelos que viram o que aconteceu desde o início e que se tornaram mensageiros das Boas Novas de UL. 3Pareceu-me, contudo, que seria bom ordenar todos esses relatos, dos mais antigos aos mais recentes, e, após um exame completo, dar-te este resumo desses fatos que aconteceram no nosso meio, 4para fortalecer a tua confiança na verdade de tudo o que te foi ensinado.

O nascimento de Yao’khanan, o Imersor, predito

57No tempo em que Herod era rei de Yaohu’dah, viveu um sacerdote viaokr’hins chamado Zochar’yah, o qual pertencia ao turno de Abi’yah no serviço do Templo. Tal como ele próprio, também sua mulher Oliza’bohay pertencia à tribo sacerdotal, sendo descendente de Aharon. Zochar’yah e Oliza’bohay eram crentes, cuidadosos em observar todas as leis e preceitos de UL. Sucedia que não tinham filhos, pois Oliza’bohay era estéril e ambos já eram muito velhos. 810Certo dia, encontrando-se Zochar’yah ocupado no seu cargo no Templo, porque naquela semana era o turno dele que estava de serviço, coube-lhe por sorteio entrar no Templo interior e queimar incenso diante de UL. Entretanto, grande multidão orava lá fora no pátio do Templo, como sempre se fazia na altura do culto em que se queimava o incenso. 1112Achava-se Zochar’yah no Templo quando, de súbito, apareceu um Molaok (mensageiro) de pé à direita do altar do incenso! Zochar’yah ficou perturbado e cheio de medo, 13mas, o Molaok (mensageiro) disse-lhe: Não receies, Zochar’yah, porque vim dizer-te que UL ouviu as tuas orações e que tua mulher Oliza’bohay vai dar à luz um filho teu, ao qual porás o nome de Yao’k-hanan! 14O seu nascimento dar-vos-á grande prazer e contentamento, e muitos se alegrarão convosco, 15pois ele será grande diante de UL. Nunca deverá beber vinho ou bebida alcoólica, e será cheio de hol kod’shua RUK’HA (o santo Espírito) antes mesmo do seu nascimento. 16Con-vencerá muitos yaohu’dins a voltar-se para UL, seu Criador. 17Será um homem forte de espírito e dotado de grande poder, tal como o profeta Uli’yah, preparando o povo para receber UL. Porá o coração dos pais de acordo com o dos filhos, e mudará as mentes desobedientes para que respeitem e obedeçam a YAOHUH. 18Zochar’yah disse ao Molaok (mensageiro): Como posso saber que isso vai acontecer? Já sou velho, e também minha mulher é de idade bastante avançada. 1920Então o Molaok (mensageiro) disse: Eu sou Gabor’ul! O meu lugar é na própria presença de Yaohuh. Foi ele quem me mandou trazer-te esta boa notícia! Mas, como não creste no que te disse, ficarás mudo e não poderás falar até que a criança nasça. E as minhas palavras irão cumprir-se no seu devido tempo. 2123Entretanto, o povo esperava que Zochar’yah aparecesse e admirava-se por se demorar tanto. Quando finalmente saiu, não conseguia falar, e perceberam pelos seus gestos que devia ter tido qualquer visão no Templo. Zochar’yah ali ficou durante os dias que lhe restavam de serviço e depois voltou para casa. 2425Passado pouco tempo, sua mulher Oliza’bohay ficou grávida e viveu recolhida durante cinco meses. Como UL é bom, exclamava, livrando-me assim da tristeza de não ter filhos!

O nascimento de Yaohu’shua é anunciado a Maoro’hem

2628Passados seis meses, UL’HIM mandou o Molaok (mensageiro) Gabor’ul aos Nudtzoroth’ins, localizados na Galiléia (ha’Galil), à jovem, Maoro’hem, casada com um homem chamado Yao’saf, descendente do rei Da’oud. Gabor’ul apareceu-lhe e disse: Eu te saúdo, mulher favorecida! YAOHUH está contigo! 29Con-fusa e perturbada, Maoro’hem perguntava a si própria o que quereria o Molaok (mensageiro) dizer com aquelas palavras. 3033Não tenhas medo, Maoro’hem, continuou o Molaok (mensageiro), porque YAOHUH UL’HIM vai dar-te uma bênção maravilhosa! Muito em breve ficarás grávida e terás um menino, a quem chamarás Yaohu’shua. Será grande – será chamado ha’Bor do Altíssimo. YAOHUH UL’HIM lhe dará o trono do seu antepassado, o rei Da’oud. Governará sobre a descendência de Yaoshor’ul para sempre. O seu reino jamais terá fim! 34Maoro’hem, então, perguntou ao Molaok (mensageiro): Mas, como posso ter um filho se sou jovem? 3537O Molaok (mensageiro) respondeu: O RUK’HA hol kod’ shua (o santo Espírito, UL’HIM) virá sobre ti, e neste poder de YAOHUH, o Altíssimo, Ele cobrir-te-á como uma sombra; por isso, o menino que de ti vai nascer será santo, e será chamado ha’Bor (Filho) de YAOHUH[1]. Além disso, também há seis meses Oliza’bohay, a tua parenta, que todas as pessoas consideravam estéril, ficou grávida, apesar da sua velhice! Porque nada é impossível para YAOHUH. 38E Maoro’hem respondeu: Dependo só de YAOHUH UL’HIM. Que se faça em mim segundo o que disseste. Que aconteça comigo tudo o que disseste. Então o Molaok (mensageiro) desapareceu.

Maoro’hem visita Oliza’bohay

3941Alguns dias mais tarde, Maoro’hem foi apressadamente às terras montanhosas de Yaohu’dah, à vila onde Zochar’yah morava, para visitar Oliza’bohay. Quando Maoro’hem saudou a prima, o menino de Oliza’bohay saltou no seu ventre, e Oliza’bohay ficou cheia de hol kod’shua RUK’HA (o santo Espírito). 42Com grande contentamento, Oliza’bohay exclamou, dirigindo-se a Maoro’hem: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o filho que estás a gerar. 4345Grande honra é esta, a de ser visitada pela mãe do meu Salvador [Míhushuayao]! Quando me deste a tua saudação, no momento em que ouvi a tua voz, o menino saltou de alegria dentro de mim! És feliz por teres crido que YAOHUH cumpriria as coisas que te foram ditas.

O cântico de Maoro’hem

4655E Maoro’hem respondeu: Óh, como eu louvo YAOHUH! E quanto me alegro em YAOHUH, por meu Míhushuayao (Salvador)! Porque reparou na sua humilde servidora, e agora, por todas as gerações, serei chamada bendita de YAOHUH UL’HIM. Pois ele, YAOHUH o santo e poderoso, me fez grandes coisas. A sua misericórdia estende-se para sempre a todos os que o temem. Como é poderoso o seu forte braço! Como faz fugir os orgulhosos e os arrogantes! Arrancou os príncipes dos seus tronos e exaltou os humildes. Fartou os famintos com coisas boas e mandou embora os ricos de mãos vazias. Socorreu o povo de Yaoshor’ul, que o serve! Não esqueceu a sua promessa de se mostrar compassivo. Porque prometeu aos nossos pais, Abrul’han e seus filhos, ser misericordioso com eles para sempre. 56Maoro’hem ficou com Oliza’bohay cerca de três meses e depois voltou para casa.

O nascimento de Yao’khanan, o Imersor,

5758Entretanto, o período de espera de Oliza’bohay chegou ao seu termo, e veio o momento da criança nascer. Um menino. A notícia de como YAOHUH tinha sido bondoso para com ela espalhou-se rapidamente entre vizinhos e parentes, e todos se alegraram com ela. 59Oito dias depois de nascer, parentes e amigos vieram para a cerimônia da circuncisão. Todos julgavam que a criança se chamaria Zochar’yah, como o pai. 60Mas, Oliza’bohay disse: Não, ele vai chamar-se Yao’khanan! 61E exclamaram: Yao’khanan? Em toda a tua família não há ninguém que se chame assim. 62Então perguntaram por gestos ao pai da criança como iria ela chamar-se. 63Ele pediu por sinais uma pequena placa e, com grande espanto de todos, escreveu, O nome dele é Yao’khanan. 64E logo Zochar’yah conseguiu falar de novo, começando a louvar YAOHUH. 65O terror espalhou-se por toda a vizinhança e a notícia do sucedido correu pelos montes de Yaohu’dah. 66Todos quantos ouviam falar no caso pensavam demoradamente e perguntavam: Quem será este menino no futuro? Porque, de fato, a mão de UL está sobre ele de maneira muito especial. 67Então seu pai, Zochar’yah, cheio de hol kod’shua RUK’HA (o santo Espírito), falou em Shuam (Nome) de YAOHUH:

O cântico de Zochar’yah

6879HA’OLUL-YAH, o Criador de Yaoshor’ul, porque veio dar auxílio ao seu povo e o salvou. Agora manda-nos um Míhushuayao poderoso, da descendência do seu servo, o rei Da’oud, conforme prometeu através dos santos profetas há muito tempo, alguém que nos livre dos nossos inimigos, de todos os que nos odeiam. Teve piedade dos nossos antepassados, sim, do próprio Abrul’han, lembrando-se da Aliança sagrada que com ele fez, dando-nos o privilégio de servir YAOHUH sem receio, libertos dos nossos inimigos, e tornando-nos santos e aceitáveis, aptos para estar na sua presença para sempre. E tu, meu filho, serás chamado profeta de YAOHUH glorioso, porque prepararás o caminho para UL. Dirás ao seu povo como achar a salvação, através do perdão dos pecados. Tudo isto porque a misericórdia do nosso YAOHUH UL’HIM é muito grande, e porque o sol divino está prestes a brilhar sobre nós, para dar luz aos que se encontram na escuridão e na noite da morte, e para nos guiar pelo caminho da paz. 80O menino ia crescendo e o seu espírito amadurecia; mais tarde foi viver no deserto, até que começou com o seu trabalho público em Yaoshor’ul.


 

[1] Sl 22; 104:30 cf Hb 10:5.

 

LINGUAGEM MODERNA:

LUKA 1

1. QUERIDO amigo Teófilo:

2. Diversas histórias de hol’Mehushkyah já foram escritas, usando como fonte de informação as narrações existentes entre nós, feitas pelos primeiros discípulos e outras testemunhas oculares.

3. Contudo, pareceu-me que seria bom conferir todas essas narrações, e depois de uma investigação completa mandar-lhe este resumo.

4. Para que tenha plena certeza de todas as verdades que foram ensinadas.

5. Vou começar com um sacerdote judaico, Zacarias/Zochar’yah, que viveu quando Herod era o rei da Yaohu’dah. Zacarias/Zochar’yah pertencia à turma de Abias/Abiyah no serviço do templo. (Sua esposa era da família de Aharon e chamava-se Isabel/Oliza’bohay).

6. Zacarias/Zochar’yah e Isabel/Oliza’bohay eram gente piedosa, e observavam todas as leis do ETERNO, tanto no espírito como na letra.

7. Porém não tinham filhos, porque Isabel/Oliza’bohay não podia ter; e ambos já estavam bem velhos.

89. Um dia quando Zacarias/Zochar’yah estava cuidando do seu trabalho no templo: porque naquela semana a sua turma estava de serviço: caiu-lhe por sorteio a honra de entrar no santuário interno e queimar o incenso diante do ETERNO.

10. Enquanto isso, uma grande multidão estava do lado de fora no pátio do templo, orando, enquanto o incenso estava sendo queimado.

1112. Zacarias/Zochar’yah estava no santuário quando de repente apareceu um Anjo, de pé à direita do altar do incenso! Zacarias/Zochar’yah ficou espantado e cheio de medo.

13. Mas o Anjo disse: Não tenha medo, Zochar’yah! Porque eu vim para dizer-lhe que o CRIADOR ouviu sua oração, e sua esposa Oliza’bohay vai dar à luz um filho seu! Você deve dar a ele o Nome de João/Yao’khanan.

14. Haverá grande contentamento pelo nascimento dele, e muitos se alegrarão com você.

15. Pois ele será um dos grandes homens do CRIADOR. Ele não deverá tocar nunca em vinho ou bebida forte: será cheio do Santo Espírito/Ruk’ha Kod’shua, antes mesmo do seu nascimento!

16. E convencerá muitos yaohu’dins a voltarem para o ETERNO.

17. Será um homem de espírito e poder, tal como Uli’yah, o profeta do passado; e virá antes do Messias/hol’Mehushkyah, preparando o povo para a sua chegada. Ele ensinará o povo a amar ao ETERNO como seus pais fizeram, e a viver como homens tementes ao CRIADOR.

18. Zacarias/Zochar’yah disse ao Anjo: Mas isto é impossível! Eu já sou um velho, e minha esposa também é muito idosa.

19. Então o Anjo disse: Eu sou Gabriel/Gabor’ul, e estou sempre na presença do ETERNO. Foi Ele quem me mandou a você com esta boa nova!

20. E agora, porque não creu em mim, você vai ficar mudo, incapaz de falar até a criança nascer. Porque as minhas palavras se cumprirão sem falta no tempo certo.

21. Enquanto isto o povo do lado de fora estava esperando que Zacarias/Zochar’yah aparecesse, e procurava saber por que estava demorando tanto.

22. Quando ele finalmente saiu, não podia falar com eles, e viram pelos seus gestos que ele devia ter tido uma visão.

23. Zacarias/Zochar’yah permaneceu no templo os dias restantes do seu serviço e depois voltou para casa.

24. Logo depois disto sua esposa Isabel/Oliza’bohay ficou grávida; e se escondeu durante cinco meses.

25. Como UL é bom, exclamava, em tirar a minha infelicidade de não ter filhos!

<