Compartilhe...

Orar e esperar (descansar; confiar; entregar)!!!



– Antes de mais nada, pegue a sua Escritura Sagrada para seguir as citações – 

Yashua’yah 64

1Oh se rompesses os shan’maym e descesses! Como as montanhas haviam de tremer na tua presença! 2O fogo consumidor da tua glória faria arder as florestas e ferver as águas dos oceanos até secarem. As nações estremeceriam perante ti, e os teus inimigos seriam bem forçados a reconhecerem as razões de toda a tua fama! 3Assim mesmo acontecia antes, quando descias e fazias coisas tremendas muito para além do que poderíamos pensar; e nessas alturas, como tremiam os montes! 4Porque desde que o mundo começou a existir nunca ninguém viu ou ouviu um UL como o nosso, que faz tais coisas para aqueles que esperam por Ele! 5Tu estás pronto a receber de braços abertos aqueles que têm prazer em praticar o bem, que seguem os caminhos de UL as nós não somos desses. Estamos constantemente a pecar, e assim tem sido toda a nossa vida. Por isso o teu castigo pesa sobre nós. Como é que gente como nós pode ser salva? 6Estamos todos sujos, infetados de pecado. Quando fomos vestir aquilo que considerávamos os nossos valiosos trajes de justiça, vimos bem que não eram mais do que trapos imundos. Somos semelhantes às folhas de Outono que murcham, secam e caem. Todos os nossos pecados como um ciclone nos arrebata e nos levam. 7E ninguém invoca o teu Shuam (Nome) ou roga pela tua clemência. Eis a razão porque te desviaste de nós e nos lanças sobre os nossos pecados. 8Contudo, ó UL, és o nosso YAOHU’ABI. Somos o barro e tu és o oleiro. Somos todos criados pelas tuas mãos. 9Oh, não te enfureças tanto conosco, UL, e não tenhas para sempre na tua lembrança os nossos pecados. Vê, repara que somos todos, teu povo. 10As tuas santas cidades estão destruídas. Yah’shua-oleym é um deserto desolado. 11O nosso santo e belo Templo, onde os nossos pais te louvaram, está derrubado, e todas as belas coisas que continha estão destruídas. 12Será que depois disto tudo ainda recusas socorrer-nos, YAOHUH? Ficarás silencioso e ainda quererás castigar-nos? ESN – Escrituras Sagradas segundo oNome.

Caros… Você O conhecia de antemão e por fim deixou satan agir em sua vida e afastou-se dEle! Agora, na hora da aflição, voltou a orar à Ele… No entanto, suas orações não são de arrependimento, agradecimentos, louvores e ou graças! Mas sim para PEDIR soluções para seus problemas e pela demora de suas respostas [você crê realmente que nesta sua atual condição – longe dEle – Ele te ouvirá – leia Jo 8:20]. Ele, antes, precisa ver que você realmente voltou para Ele, deixando o erro, as falsas doutrinas. Não fique apenas contando com a Sua misericórdia; faça a sua parte – mude! E, o primeiro passo é se livrar das falsas escrituras (bíblias). Se a que você usa tem os nomes paganizados tais como deus, senhor, jesus, espírito santo, jeovah, yesha, etc, então você tem orado a Baal!!!

Nosso Pai Celestial deseja derramar sobre nós a plenitude de Suas bênçãos. O ETERNO [YAOHUH UL’HIM] está sempre pronto e sempre disposto a ouvir a oração sincera do mais humilde de Seus filhos.

Mas, “Certamente, o braço do CRIADOR não está encolhido para salvar, nem seu ouvido fechado para ouvir. Mas suas iniquidades separaram vocês do ETERNO. Seus pecados esconderam a face dEle de vocês, então Ele não os irá ouvir” (Is 59:12).

É nosso privilégio beber em grande medida da fonte de amor ilimitado. Orar é conversar com o ETERNO. As Escrituras dizem em Sl 4:3 – “Sabei que o CRIADOR separou para si aquEle que é piedoso; YAOHUH me ouve quando eu clamo a Ele”. A oração é um grande privilégio. As Escrituras dizem em Hb 4:16 – “Cheguemo-nos, pois, confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno”. O ETERNO é acessível! As Escrituras dizem em Sl 65:2 – “Ó tu que ouves a oração! a ti virá toda a carne”.

Está o ETERNO disposto a escutar e responder às nossas orações? As Escrituras dizem em Mt 7:11 – “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem”? Sob que condições nos prometeu o ETERNO dar as bênçãos que necessitamos? As Escrituras dizem em Mt 7:7-8 – “Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á”.

Todos? Uma das coisas que deveríamos pedir ao ETERNO é sabedoria. As Escrituras dizem em Tg 1:5-8 – “Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a ao ETERNO, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada. Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do CRIADOR alguma coisa, homem vacilante que é, e inconstante em todos os seus caminhos”.

Que diz o salmista sobre as ocasiões quando o CRIADOR não ouve uma oração? As Escrituras dizem em Salmos 66:18-19 – “Se eu tivesse guardado iniquidade no meu coração, o CRIADOR não me teria ouvido; mas, na verdade, O ETERNO me ouviu; tem atendido à voz da minha oração”. Alguma vez O ETERNO recusa-se a responder uma oração? As Escrituras dizem em Provérbios 28:9 – “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração é abominável”.

E em que Nome devemos orar? As Escrituras dizem em Jo 14:13-14 – “E tudo quanto pedirdes em Meu Nome, Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em Meu Nome, Eu a farei”. Não se esqueça de agradecer ao ETERNO por responder às nossas orações; mas você tem orado em Seu Nome? Lembre-se, Ele é hebraico (Jo 4:22), portanto, o Seu Nome é hebraico [Yaohu’shua]; não latino, grego ou qualquer outra nacionalidade! Nomes próprios não se traduzem, apenas se translitera (som por som).

As Escrituras dizem em Fl 4:6 – “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante do ETERNO pela oração e súplica com ações de graças” [Você tem realizados tais ações de graça, isto é, ofertas?]. E quão frequentemente devemos orar? As Escrituras dizem em Ef 6:18 – “Com toda a oração e súplica orando em todo tempo, em espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, por todos os santos” [santos/separados somo nós, não as estátuas católicas]. As Escrituras dizem em I Ts 5:17 – “Orai sem cessar”.

Às vezes o ETERNO responde às nossas orações antes de orarmos… As Escrituras dizem em Is 65:24 – “E acontecerá que, antes de clamarem eles, eu responderei; e estando eles ainda falando, Eu os ouvirei”. Às vezes o ETERNO diz ‘não’ aos nossos pedidos de oração. As Escrituras dizem em II Co 12:8-9 – “Acerca do qual três vezes roguei ao CRIADOR que o afastasse de mim; e Ele me disse – A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Por isso, de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que repouse sobre mim o poder de Cristo”. Lembra-se, antes da cruz o Messias orou intensamente ao Pai, a ponto de suar gotas de sangue, para que não fosse morto; no entanto o ETERNO não O ouviu! Lc 22:44. Ele sabia que era necessário o Seu sacrifício, por isto colocou em Suas orações as condicionais – Se possível for; seja feita a Sua vontade!

Às vezes o ETERNO responde às nossas orações dizendo, ‘Espera’. As Escrituras dizem em Sl 37:7 –  “Descansa no CRIADOR, e espera nEle”. A habilidade do ETERNO em ajudar-nos não tem limite. As Escrituras dizem em Ef 3:20 – “Ora, àquEle que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera”. Quão completamente prometeu o ETERNO suprir as nossas necessidades? As Escrituras dizem em Fl 4:19 – “Meu CRIADOR suprirá todas as vossas necessidades segundo as Suas riquezas na glória, em Yaohushua hol’Mehushkyah”.

Como saber o que orar? As Escrituras dizem em Rm 8:26-27 – “Do mesmo modo também o Espírito [Yaohu’shua, em espírito onipresente; seg. At 20:28] nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede [I Tm 2:5; Hb 7:25] por nós com gemidos inexprimíveis. E aquEle que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito [aqui, o ETERNO; seg. Jo 4:25] – que Ele, segundo a vontade do ETERNO, intercede pelos santos”. Veja esta mesma passagem na ESN – Escrituras Sagradas segundo o Nome; EUC (Edição Unitariana Corrigida by CYC): 26-27Pela fé, o Ruk’hah (UL, em espírito onipresente) nos ajuda nas nossas fraquezas. Porque não sabemos o que devemos pedir, nem como pedir, mas, o Ruk’hah (UL, em espírito onipresente) pede por nós, e com tal ardor que não há palavras que o possam exprimir. E YAOHU’ABI, que conhece todos os corações, sabe na verdade o que o Ruk’hah (UL, em espírito onipresente) pretende ao interceder em nosso favor; em harmonia com a vontade de UL’HIM.

Sob que condições diz Yaohushua que Ele responderá aos nossos pedidos de oração? As Escrituras dizem em Mc 11:24 – “Por isso vos digo – diz aos que estão no Caminho; não aos iníquos* – que tudo o que pedirdes em oração, crede que o recebereis, e tê-lo-eis”. Que pedidos podemos confiar que o ETERNO ouvirá? As Escrituras dizem em I Jo 5:14-15 – “E esta é a confiança que temos nEle, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, Ele nos ouve e, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que já alcançamos as coisas que lhe temos pedido”.

As Escrituras dá-nos um modelo de oração. As Escrituras dizem em Mt 6:9-13 – “Portanto, orai vós deste modo – Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu Nome; venha o teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes entrar em tentação; mas livra-nos do mal. [Porque teu é o reino e o poder, e a glória, para sempre, Amnao]”. EM QUE NOME???

As orações não são mágicas. As Escrituras dizem em Mt 6:7-8 – “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes”.

Repito, lembre-se da condição: Sl 66:18-19 – “Se eu tivesse guardado iniquidade no meu coração, o CRIADOR não me teria ouvido; mas, na verdade, UL me ouviu; tem atendido à voz da minha oração”.

O que é preciso, então, para que o ETERNO responda as nossas orações? Estar em Seu Caminho!!!

Você conhece alguém que realmente confia no ETERNO? Quando eu estava no mundo, uma grande amiga minha costumava me contar toda semana algo específico pelo que ela estava orando, na certeza de que o ETERNO iria tomar providências. E toda semana eu costumava contemplar o ETERNO agindo de maneira incomum para responder às suas orações. Você sabe como é difícil para uma pessoa do mundo observar fatos como esses, semana após semana? Depois de um certo tempo, dizer que não passava de “coincidências” se tornou um argumento muito fraco. Havia “algo” agindo a seu favor!

Então, por que o ETERNO respondia às orações da minha amiga? A maior razão para isso é porque ela tinha um relacionamento íntimo com Ele, desejava segui-Lo e, realmente ouvia o que Ele tinha a dizer. Em sua mente, o ETERNO tinha o direito de dirigir sua vida e ela o fazia se sentir bem-vindo para fazer justamente isso! Quando ela orava por determinada coisa, era porque, de certa forma, se sentia muito confortável ao se achegar ao ETERNO com suas necessidades, suas preocupações, ou qualquer assunto referente à sua vida. Além disso, estava convencida, pelo que lia nas Escrituras, que o ETERNO queria mesmo que ela descansasse nEle, assim.

Ela basicamente colocava em prática o que esta frase bíblica diz – “Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos do ETERNO – se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, Ele nos ouve” (I Jo 5:14). “Porque os olhos do CRIADOR estão sobre os justos e os seus ouvidos estão atentos à sua oração, mas a face do CRIADOR está contra os que praticam o mal” (I Pe 3:12 ). Novamente, ‘sobre os justos’… Você tem sido “justo” perante Ele, ou tem seguido ventos de doutrinas denominacionais?

Agora você já está percebendo porque o ETERNO nem sempre responde às orações de todos! Porque nem todos tem um relacionamento com Ele. Eles devem saber que o ETERNO existe, devem até adorar ao ETERNO de vez em quando… Mas esses que nunca parecem ter suas orações respondidas, provavelmente não desenvolveram um relacionamento com o ETERNO. Além disso, eles nunca devem ter recebido do ETERNO perdão completo de seus pecados; pois estes nunca sentiram esta necessidade! O que uma coisa tem a ver com a outra?, você deve estar se perguntando. Aqui está a explicação – “Certamente, o braço do CRIADOR não está encolhido para salvar, nem seu ouvido fechado para ouvir. Mas suas iniquidades separaram vocês do ETERNO. Seus pecados esconderam a face dEle de vocês, então Ele não os irá ouvir” (Is 59:12).

É muito natural sentir essa separação do ETERNO. Quando as pessoas se voltam para Ele a fim de colocá-Lo a par de algo, ou para PEDIR algo, o que geralmente elas fazem? Começam dizendo – “deus (outros querem ser mais ‘reverentes’ e acabam clamando por Baal/senhor), eu preciso urgentemente da tua ajuda neste problema…”. E aí há uma pausa, seguida de: “eu sei que não sou uma pessoa perfeita, que realmente não tenho direito nenhum de te pedir isso…”.

Existe um conhecimento pessoal de pecados e fracassos. E a pessoa “sabe” que o ETERNO está ciente disso também [será? …pois, nem mesmo O chama pelo Seu Nome; usando títulos do paganismo para Ele]. Há uma noção de: “com quem penso que estou brincando?”.

O que eles não devem saber é como podem receber o perdão do ETERNO por todos os seus pecados e como podem desenvolver um relacionamento pessoal com o ETERNO, para que então Ele possa ouvi-los. Este – pedir perdão e deixar o erro doutrinal – é o fundamento básico para que O ETERNO responda suas orações.

Como Orar – O Fundamento Básico

Primeiro, vimos, você deve começar um relacionamento com o ETERNO. Imagine que um rapaz chamado João decide pedir ao reitor ao prefeito de sua cidade (alguém que Ele nem ao menos conhece) que autorize o empréstimo de um carro para Ele. João teria chance nula de conseguir ser atendido. (Estamos presumindo que o prefeito não o conheça). Por outro lado, se a filha deste mesmo prefeito pedisse a seu pai que autorizasse um empréstimo de carro para ela, não haveria problema algum… Um relacionamento pessoal conta muito!

Com o ETERNO, quando alguém é verdadeiramente Seu filho, quando alguém pertence à Ele, Ele o conhece e ouve suas orações. Yaohu’shua disse – “Eu sou o bom apascentador; conheço as Minhas ovelhas, e elas Me conhecem. As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz; Eu as conheço, e elas Me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da Minha mão” (Jo 10:14, 27-28).

Quando o assunto é o ETERNO, você realmente O conhece? E ELE conhece você? Você tem um relacionamento com Ele que garanta a resposta de suas orações? Ou o ETERNO está bem distante, sendo apenas um conceito em sua vida? Se o ETERNO está distante, ou você não tem certeza de que O conhece, aqui está uma maneira de começar a se relacionar com Ele agora mesmo:

Conhecendo o ETERNO pessoalmente!

PRIMEIRO: O ETERNO ama você e tem um plano maravilhoso para sua vida.

O Amor do ETERNO: “Porque o ETERNO amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16).

O Plano do ETERNO: Cristo afirma – “…eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” [Uma vida completa e com propósitos] (Jo 10:10).

Por que a maioria das pessoas não está experimentando essa “vida em abundância”? Porque…

SEGUNDO: O homem é pecador e está separado do ETERNO; por isso não pode conhecer nem experimentar o amor e o plano do ETERNO para sua vida.

É Pecador: “Pois todos pecaram e carecem da glória do ETERNO” (Rm 3:23).

O homem foi criado para ter um relacionamento perfeito com o ETERNO, mas por causa de sua desobediência e rebeldia, escolheu seguir seu próprio caminho e seu relacionamento com o ETERNO se desfez. Esse estado de independência do ETERNO, caracterizado por uma atitude de rebelião ou indiferença, é evidência do que as Escrituras chama de pecado.

O homem está separado: “Porque o salário do pecado é a morte…” [separação espiritual; a 2ª morte de Ap 20] (Rm 6:23).

Pois, o ETERNO é santo e o homem é pecador. Um grande abismo nos separa dEle. O homem está continuamente procurando alcançar ao ETERNO e a vida abundante, através de seus próprios esforços: vida reta, boas obras, religião (igreja), filosofias, etc… Lembre-se de Caim que fez ao seu próprio modo, um sacrifício ao Criador!

Agora, veremos um último ponto que nos mostra a única resposta para o problema dessa separação…

TERCEIRO: Yaohu’shua hol’Mehushkyah é a única solução do ETERNO YAOHUH UL’HIM para o homem pecador. Por meio dEle você pode conhecer e experimentar o amor e o plano do ETERNO para sua vida; pois…

ELE MORREU EM NOSSO LUGAR: “Mas o ETERNO prova o Seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5:8). Lembra-se? “Porque UL’HIM amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito*, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” Jo 3:16.

*Centenas de passagens falam do PAI e do Filho (I Co 8:5-6), mas por causa de dois ou três versículos [manipulados], 99% dos ditos cristãos – principalmente os pentecostais – aceitam a trindade; uma doutrina que veio do paganismo grego, trazido pelos romanos apostólicos…

ELE RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS: “…Cristo morreu pelos nossos pecados… foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia*, segundo as Escrituras, e apareceu a Kafos e depois aos doze. Depois disso apareceu a mais de quinhentos” (I Co 15:3-6).

*Terceiro dia, cumprindo Mt 12:39, 40. No entanto, seguindo a ICAR, os “crentes” desconsideram as Escrituras – não a lendo com profundidade – aceitam Sua morte em uma sexta-feira e ressurreição em um domingo (por isto renegam o Shabbos]. E para justificar esta blasfêmia, criaram o tal de ‘dia inclusivo’, indo de encontro à própria palavra do Messias: três dias e três noite no ceio da terra!!!

ELE É O ÚNICO CAMINHO: “Respondeu Yaohu’shua – Eu sou* o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por Mim” (Jo 14:6).

*As três portas do Santuário eram conhecidas pelos judaicos de oCaminho, aVerdade e aVida; daí a indignação deles quando Ele disse isto!

Assim, o ETERNO tomou a iniciativa de ligar o abismo que nos separa dEle ao enviar seu Filho, Yaohu’shua hol’Mehushkyah, para morrer na cruz* em nosso lugar, pagando o preço de nossos pecados.

*CRUZ ou ESTACA/MADEIRO – Esta dúvida [pregação] deixou de ser exclusiva dos TJs; mas vem tomando conta dos que agora aceitam oNome. O nosso Criador e Redentor, Yaohu’shua, teria que passar por uma morte maldita [Dt 21:23; Gl 3:13] e a única forma seria a cruz – Fl 2:8. O sistema de execução romana era a cruz e o método mais comum era que o condenado levasse a trave sobre os ombros até o local da execução onde o poste (estaca) estava à espera.. Lá, o prisioneiro tinha seus braços amarados ou pregados – pelos pulsos – à haste e então era içado ao poste, formando então a cruz que deixava um espaço para que uma tabuleta, sobre a cabeça, fosse fixada (Mt 27:37)… Na sequência seus pés – um sobre o outro – recebia um terceiro cravo. Os Testemunhas de Jeová, trouxeram esta utopia de que não era um cruz e sim um estaca (para isto, um único prego nas mãos justapostas, sobre a cabeça); mas em sua própria ‘bíblia’, a TNM, eles contradizem seus ensinos ao usarem o texto original que nos COMPROVA que foi sim em uma cruz, pois o texto deles mostra pregos, no plural (um prego para cada mão = cruz e não estaca). Veja: Jo 20:25 – Então os outros discípulos lhe disseram: “Nós vimos o Senhor!” Mas ele lhes disse: “Se eu não vir nas mãos dele a marca dos pregos, não colocar o dedo na marca dos pregos e não colocar a mão no lado dele, de modo algum acreditarei.” TUDO NO PLURAL…

Mas não é suficiente conhecer essas três pontos…

QUARTO: Precisamos receber a Yaohu’shua hol’Mehushkyah como Salvador e CRIADOR, por meio de um convite pessoal [Ele respeita o seu Livre Arbítrio – Dt 30:19]. Só então poderemos conhecer e experimentar o Amor e o plano do ETERNO para nossa vida.

PRECISAMOS RECEBER A CRISTO: “Contudo, aos que O receberam, aos que creram em Seu Nome [que Nome?*], deu-lhes o direito de Se tornarem filhos do ETERNO” (Jo 1:12).

*Muitos continuam usando nomes paganizados para o ETERNO e para o Seu FILHO, usando as justificativas a seguir: DEUS – “O que importa é o nosso coração”; será? Dt 11:16; Mt 15:18; JESUS – “Quantas ‘graças’ já recebi neste nome”… dEle mesmo? Leia Mt 7:21-23 (II Co 11:14).

RECEBEMOS A CRISTO PELA FÉ: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto [a GRAÇA, não a FÉ, como ensinam os pentecostais] não vem de vocês, é dom do ETERNO; não por obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2:8-9).

RECEBEMOS A CRISTO POR MEIO DE UMA PERMISSÃO PESSOAL: Cristo afirma – “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei*…” (Ap 3:20).

*Ele, Yaohushua, diz que entrará, mas envia OUTRO em Seu lugar (a trindade sempre incoerente; por isto os “cristãos” a explicam como sendo ‘um mistério’. No entanto, ’mistério’ é a explicação para Babilônia (confusão) – Ap 17:4.

Receber a Cristo implica arrependimento, significa deixar de confiar em nossa capacidade para nos salvar, crendo que Cristo é o único que pode perdoar nossos pecados. Apenas saber que Yaohu’shua hol’Mehushkyah é o Filho do ETERNO e que morreu na cruz pelos nossos pecados, não é suficiente! É necessário receber a Cristo pela fé, por meio de uma decisão pessoal.

Quando a sua vida é controlada pelo “EU”, Cristo fica fora da sua vida [o “eu acho” sempre vence]. A vida controlada por Cristo, é colocá-Lo no centro da sua vida [o “Ele diz” ou o Está Escrito” é o seu norte]. Qual das duas situações representa melhor a sua vida? Qual delas você gostaria, verdadeiramente, que representasse sua vida?

Vamos explicar agora, como você pode receber a Cristo!

VOCÊ PODE RECEBER A CRISTO AGORA MESMO EM ORAÇÃO (ORAR É FALAR COM O ETERNO): O ETERNO conhece seu coração e está mais interessado na atitude de seu coração do que em suas palavras. A oração seguinte serve como exemplo:

“Altíssimo YAOHUH UL’HIM, eu preciso de Yaohu’shua agora! Abro a porta da minha vida e O recebo como meu SALVADOR e CRIADOR. Sou extremamente grato por Ele ter morrido na cruz para perdoar meus pecados; por me dar a vida eterna; e, por me aceitar como eu sou. Toma conta da minha vida e faça de mim a pessoa que deseja que eu seja. Prometo agora deixar o erro e procurar conhecer a Verdade, mediante o Está Escrito! Amnao”!

Você gostaria de receber a Cristo agora? Se for assim, faça essa oração e Cristo entrará em sua vida, como prometeu. Lembre-se, a primeira oração que o ETERNO responde é a oração em que você expressa o seu desejo de começar um relacionamento com Ele.

Depois de tudo isto, será que o ETERNO vai responder sua oração definitivamente?

Para aquEles que realmente o conhecem e descansam nEle, Yaohu’shua parece ser muito generoso em Sua oferta – “Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido” (Jo 15:7). “Permanecer” em Cristo e ter as palavras dEle dentro de nós significa que conduzimos nossas vidas sob o comando dEle, descansando nEle, ouvindo o que Ele tem a dizer, mediante as Escrituras. Assim, estaremos aptos a pedir ao ETERNO qualquer coisa que desejarmos e Ele responderá. Aqui está outra vantagem – “Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos do ETERNO – se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, Ele nos ouve. E se sabemos que Ele nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que temos o que dEle pedimos” (I Jo 5:14-15). O ETERNO responde nossas orações de acordo com a Sua vontade* (e de acordo com a sua sabedoria, seu amor por nós, sua santidade…).

*Note, a Sua Vontade não é mero capricho do tipo “eu é que mando”. Mas sim PORQUE ELE É ONISCIENTE; sabe o que é melhor para nós… Releia Mt 7:21-23 e veja que muitos – que pensam estar na verdade – estão sendo “atendidos”. Porém não pelo nosso Criador, Yaohushua!

Nós erramos ao assumirmos que sabemos qual é a vontade do ETERNO, quando somente alguma coisa faz sentido para nós! Nós assumimos que há somente uma “resposta” correta para cada oração específica, tendo a certeza de que AQUELA é a vontade do ETERNO. E é aí que fica mais difícil. Nós vivemos dentro dos limites do tempo e do conhecimento. Temos apenas informações limitadas sobre cada situação e sabemos algumas implicações de ações futuras nessas determinadas situações. O entendimento do ETERNO é ilimitado. Como um evento ocorre no curso da vida ou da história é apenas algo que Ele já sabe. E Ele deve ter propósitos muito além daqueles que podemos imaginar. Logo, O ETERNO não fará algo simplesmente porque determinamos que essa deveria ser a sua vontade.

O que é preciso? O que O ETERNO está inclinado a fazer?

Páginas e páginas poderiam ser preenchidas com as intenções do ETERNO para nós. As Escrituras inteira são uma descrição do tipo de relacionamento que o ETERNO quer que experimentemos com Ele e do tipo de vida que Ele quer nos dar.

Aqui estão alguns exemplos: “…o CRIADOR espera o momento de ser bondoso com vocês; Ele ainda Se levantará para mostrar-lhes compaixão. Pois UL é um Criador de justiça. Como são felizes todos os que nEle esperam!” (Is 30:18). Percebe? É como alguém que se levanta de sua cadeira para oferecer ajuda, “Ele se levanta para lhe mostrar compaixão”. “Este é o ETERNO, cujo Caminho [Seu Filho] é perfeito; a Palavra do CRIADOR é comprovadamente genuína. Ele é um escudo para todos os que nEle se refugiam” (Sl 18:30). “O CRIADOR se deleita naqueles que O temem [reverenciam], que colocam sua esperança em Seu leal Amor”. (Sl 147:14).

De qualquer maneira, a maior demonstração do amor e da compaixão do ETERNO por você é expressa pelas seguintes palavras de Yaohu’shua – “Ninguém tem maior amor do que aquEle que dá a Sua vida pelos seus amigos” (Jo 15:13), que nada mais é do que o que Cristo fez por nós. Então, “AquEle que não poupou a Seu próprio Filho, mas O entregou por todos nós, como não nos dará, juntamente com Ele, gratuitamente todas as coisas?” (Rm 8:32).

E o que dizer das orações “não respondidas”?

Certamente as pessoas ficam doentes e até morrem; problemas financeiros são reais; e, toda sorte de situações difíceis é passível de acontecer na vida de qualquer um, principalmente para quem está procurando oCaminho [satan fará de tudo para tirar você deste Caminho; ele jamais ataca quem já é seu – Mt 12:26; cf. Tg 1:13]. O que fazer então?

O ETERNO nos diz para levar todas as nossas preocupações à Ele. Mesmo quando a situação parecer irremediável, “Lancem sobre Ele toda ansiedade, porque Ele tem cuidado de vocês” (I Pe 5:7). As circunstâncias podem parecer estar fora de controle, mas não estão. Quando o mundo inteiro estiver desabando, o ETERNO ainda pode e sempre poderá segurá-lo em Suas mãos. É aí que uma pessoa pode se sentir muito agradecida por ter o privilégio de conhecer ao ETERNO. “Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o CRIADOR. Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos ao ETERNO. E a paz do ETERNO, que excede todo entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Yaohu’shua hol’Mehushkyah”. (Fl 4:5-7). O ETERNO pode providenciar soluções para os seus problemas além do que você considera ser possível. Provavelmente, qualquer cristão – de oCaminho – pode listar exemplos como esse em suas próprias vidas [cuidado com os de Mt 7:21-23]. Mas se as circunstâncias não melhorarem, o ETERNO ainda pode nos dar a Sua paz em meio a tudo isso. Yaohu’shua disse – “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo” (Jo 14:27).

É neste ponto (quando as circunstâncias ainda estiverem difíceis) que o ETERNO nos pede para continuar a confiar nEle – para “andar pela fé, não pela visão”, diz as Escrituras. Mas não é uma fé cega; é baseada no caráter do ETERNO. Um carro viajando pela ponte Rio-Niterói é totalmente sustentado pela integridade da ponte. Não importa o que o motorista possa estar sentindo, ou pensando, ou discutindo com o passageiro do outro assento. O que faz o carro chegar seguramente ao outro lado da ponte é a integridade dela, na qual o motorista resolveu confiar. Do mesmo modo, o ETERNO nos pede para confiarmos em sua integridade [Ml 3:6], seu caráter, sua compaixão, amor, sabedoria, retidão e justiça em nossa defesa. Ele diz: “Eu tenho amado com amor eterno; com amor leal a atraí” (Jr 31:3 ). “Confie nEle todo o tempo, ó povo. Coloque diante dEle o coração, pois Ele é o nosso refúgio” (Sl 62:8).

Em Resumo…Como Orar

O ETERNO se ofereceu para responder às orações de seus filhos (aqueles que receberam Yaohu’shua em suas vidas e buscam segui-Lo, conforme o Está Escrito). Ele nos pede para levar qualquer preocupação até Ele em oração, pois Ele agirá por nós de acordo com a Sua Vontade [Ele sabe oque é melhor para nós]. Enquanto lidamos com dificuldades, temos de lançar sobre Ele nossas aflições e receber dEle a paz que desafia as circunstâncias. A base da nossa esperança e fé é a pessoa de Yaohu’shua. Quanto mais O conhecermos, mais aptos estaremos a confiar nEle e chegarmos ao ETERNO!

Oração – confiança no ETERNO expressa em palavras

A mulher cananeia expressou a sua confiança em Cristo com as seguintes palavras: “Mestre, Filho de Dao’ud, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada” (Mt 15:22). O rogo pela misericórdia do Filho de Dao’ud constitui oração, súplica, entretanto, pela natureza do pedido, esta mesma súplica constitui-se adoração (reconhecimento unitariano), pois o teor do pedido só pode ser realizado pelo ETERNO, mediante o FILHO.

Então, por que o ETERNO nem sempre responde às petições de todos??? Já vimos que se eu não estou apto (livre das falsas doutrinas), não serei atendido; no máximo obteria alguma resposta – jamais na plenitude – tão somente por misericórdia divina. Mas temos também a segunda situação: Ele sabe o que é melhor para nós!

Como confiar? É comum ouvirmos que o ETERNO atende à oração daquEles que confiam n’Ele. Isso é Verdade, porém, você sabe como confiar no ETERNO?

Confiar, do ponto de vista de cada indivíduo, é algo subjetivo, pois cada um pode confiar no ETERNO à sua própria maneira. Entretanto, confiar no ETERNO, do ponto de vista bíblico, é algo objetivo e ao alcance de todos os homens.

Quando alguém se socorre de um médico, assim o faz porque confia que o seu problema vai ser diagnosticado e sanado. Mas, após o término da consulta, a prova de que realmente confia em seu profissional da área médica, se dá quando essa pessoa se submete às prescrições contidas na receita médica.

De nada adianta dizer – ‘confio no meu médico’, se não acatar as prescrições, aviando a receita. Nesse sentido, de nada adianta dizer: – ‘Eu confio no ETERNO’ e não obedecer ao que Ele ordena no Está Escrito (lembre-se, o seu “eu acho” O coloca fora do seu relacionamento com Ele)!

As Escrituras nos apresenta um mandamento específico, que é prova de que realmente confiamos no ETERNO: “E o seu mandamento é este – que creiamos no Nome* de Seu Filho, Yaohu’shua hol’Mehushkyah e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento” (I Jo 3:23).

*Mais uma passagem derrubando a “trindade” e apontando para a Verdade do Nome!

Não basta crer na existência do ETERNO, ou crer na possibilidade de um milagre. Um verdadeiro crente crê em Cristo como sendo o Filho* do ETERNO, pois é este o testemunho que o ETERNO deu acerca de Seu Filho nas Escrituras (Jo 7:38), a obra que o homem deve realizar (Jo 6:29; Tg 1:25).

*Pai e Filho; cadê o terceiro deus”? Kozoq’ul já dizia: Filho do homem, tu habitas no meio da casa rebelde, que tem olhos para ver e não vê, e tem ouvidos para ouvir e não ouve; porque é casa rebelde. Ez 12:2.

As Escrituras é um testemunho vivo que o ETERNO deu acerca do Seu Filho, Yaohu’shua hol’Mehushkyah, portanto, qualquer que crê que Yaohushua é Filho do ETERNO [não um 2º deus, como ensina a trindade], realmente confia no ETERNO: “Quem crê no Filho do ETERNO, em si mesmo tem o testemunho; quem ao ETERNO não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que o ETERNO de seu Filho deu“ (I Jo 5:10). Tão claro: Pai e Filho, mas os pentecostais insistem na ‘trindade’; e, por crerem que tudo provém do “Espírito Santo” (seu terceiro deus – atribuem tudo a este ‘deus’, por isto se cumpre neles, Mt 12:31 – o pecado imperdoável).

Yaohushua mesmo disse que as Escrituras testificavam acerca d’Ele, pois o que foi registrado na ‘Lei, nos Profetas e nos Salmos’ é o testemunho que o ETERNO deu do Seu Filho, Yaohu’shua hol’Mehushkyah: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna e são elas que de Mim testificam” (Jo 5:39).

O apóstolo Sha’ul – assim como Kafos, que mais duro de coração, teve uma visão específica para ele em At 10 – deixou registrado que Yaohu’shua não faz acepção de pessoas, pois é CRIADOR de todos e generoso para com todos os que O invocam e para dar sustentação ao que afirmou, citou as Escrituras – “Porque a Escritura diz – Todo aquEle que nEle crer não será confundido” (Rm 10:11; Rm 9:33; Is 28:16).

Crer é algo de foro íntimo, portanto, impossível de ser mensurável por terceiros. Mas, para que o homem seja declarado justo, é necessário que creia (no intimo de seu coração), que Yaohushua é o Filho do ETERNO [não um 2º deus; caso contrário, suas orações serão ouvidas por satan – Mt 7:21-23] e que Ele ressurgiu dentre os mortos (Rm 10:9-10).

AquEle que crê com o coração que o ETERNO ressuscitou a Cristo dentre os mortos*, está apto a confessar (admitir) com a boca que Yaohushua é o CRIADOR. Através dessa confissão [profissão], que é o fruto dos seus lábios, fica evidenciado o que há no seu coração, pois a boca fala do que há em abundância no coração (Mt 12:34).

*Os trintaríamos ficam tão desconcertados com passagens deste tipo, que acabam ensinando – como ensina a IASD – que somente uma parte dEle morreu; pois dizem que o Messias era divino-humano e assim a parte humana morreu e a parte divina, não – ressuscitou a Si próprio? At 2:32. Rm 10:9. E satan aceitou este ‘teatrinho trinitariano’ e considerou-se derrotado!?! Pois lemos: “Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também Ele, igualmente participou, para que, por Sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo” (Hb 2:14).

Só é possível identificar se uma pessoa realmente confia no ETERNO, quando ela confessa que Yaohushua é o Filho do ETERNO [destronando a trindade], da mesma forma que Kafos confessou – “Shami’ul Kafos respondeu: Tu és hol’Mehushkyah, ha’Bor de YAOHUH, vivo”! (Mt 16:16; I Jo 4:15). Quem assim confessa é porque crê nas Escrituras, ou seja, no testemunho que O ETERNO deu acerca do seu Filho.

Muitos dizem que o ETERNO só ouve (atende) às orações daqueles que possuem uma relação intima com Ele, ou que a oração agrega em si todas as formas de comunhão com o ETERNO. Mas, no que consiste tal relação ‘intima’? Jejuns, sacrifícios, votos, flagelo, penitência, estar em dia com seus dízimos, etc?

Ora, aquele que crê que Yaohushua é o Cristo e cuida do próximo, segundo o mandamento do ETERNO, é que ama ao ETERNO, ou seja, que guarda os Seus mandamentos (I Jo 3:22). Ora, quem crê em Cristo já possui uma relação intima com o ETERNO, pois o apóstolo Yaokhanam mesmo diz que aquele que crê, o ETERNO está nele e ele no ETERNO: “E aquele que guarda os Seus mandamentos nEle está, e Ele nele*. E nisto conhecemos que Ele está em nós, pelo espírito que nos tem dado” (I Jo 3:24). Lemos esta passagem na ESN – Escrituras Sagradas segundo oNome; para termos melhor compreensão:

“Aquele que faz a vontade de UL vive em YAOHUH e o Criador vive nele. E sabemos que ele vive em nós porque em Ruk’hah (UL, em espírito onipresente) nos dá testemunho disso, em nós mesmos.”

*Ensina-se – os pentecostais trinitarianos – que o nosso corpo é o ”templo do Espírito Santo” (I Co 6:19). Mas agora você sabe que é o contexto que define de Quem se está falando [do PAI, seg. Jo 4:25; ou do FILHO, seg. Lc 20:28] quando lemos a expressão ”Espirito Santo”, nas bíblias corruptas, como as “almeidas”… E, Yao’khanan isto confirma: “Respondeu-lhe Yaohu’shua: Se alguém me amar, guardará Meus Mandamentos (muitas bíblias corruptas substitui esta frase por ‘minha palavra’); e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada. Jo 14:23. Pai e Filho, são espíritos, e santos! E, AMBOS habitam em nós, desde que sigamos Seus Mandamentos (lembre-se, nos Mandamentos – a Lei Moral – também está o Shabbos)!

Portanto, ‘confiar’ no ETERNO transcende as palavras, pois só confia no ETERNO aquele que põe por obra o testemunho do ETERNO: crendo em Cristo (I Jo 3:18; Jo 6:29). Quem crê em Cristo faz o que é agradável ao ETERNO, pois guardou o Seu mandamento (I Jo 3:22). Leia agora Tg 2:10-14.

Quando alguém crê em Cristo alcança a maior riqueza que uma pessoa poderia adquirir – a salvação. A salvação em Cristo possui valor acima de todas as riquezas que há no mundo inteiro – “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua vida? Ou que dará o homem em recompensa da sua vida?” (Mt 16:26).

O que era impossível alguém conquistar por si só, o ETERNO deu gratuitamente para os que creem em Seu Filho, Yaohu’shua: a salvação – “Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo – Quem poderá pois salvar-se? E Yaohushua, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas ao ETERNO tudo é possível” (Mt 19:25-26).

Ora, se alguém crê em Yaohu’shua hol’Mehushkyah como o Filho do ETERNO, é porque crê que O ETERNO [YAOHUH UL’HIM] é poderoso para cumprir a Sua promessa, pois a prova de que a palavra do ETERNO é firme e imutável está em que Cristo foi ressuscitado pelo ETERNO, dentre os mortos.

A promessa que o ETERNO fez aos patriarcas, o ETERNO cumpriu a nós, ressuscitando a Cristo (At 13:32), pois de Cristo decorre as firmes beneficências prometidas a Dao’ud (At 13:34; Is 55:3).

Da mesma forma que o ETERNO cumpriu a Sua palavra, não deixando na sepultura o Seu Filho, todos os que creem, ressurgem com Cristo (Rm 6:8); pois, a promessa que Ele fez é a Vida eterna (I Jo 2:25; 5:13).

Além da salvação, o crente é herdeiro do ETERNO e coerdeiro com Cristo de todas as coisas – “AquEle que nem mesmo a Seu próprio Filho poupou, antes O entregou por todos nós, como nos não dará também com Ele todas as coisas?“ (Rm 8:32; cf. 8:17).

Qualquer que confia e obedece ao ETERNO já recebeu o maior dos milagres – a Redenção da sua vida! Não nos  interessa esta vida – apenas passamos por ela para exercermos o nosso Livre Arbítrio e alcançar a verdadeira Vida, a Eterna.

Passaremos pela 1ª morte (a natural), mas jamais passaremos pela 2º morte, a que nos separa definitivamente dEle! Ap 20.

Confiando

A maior expressão de nossa confiança no ETERNO não se resume em uma súplica emitida através dos lábios, e sim na paz de espírito que experimentamos diante das vicissitudes da vida: Oramos e descansamos nEle, cientes de que Ele é poderoso para nos atender!!! Sl 37; Sl 40.

Quando o crente não se inquieta por coisa alguma, nisto está a sua oração. Não se abalar por questão alguma é a máxima expressão de confiança no ETERNO. Ficar inquieto, preocupado, ansioso, etc., não traz solução. Melhor é rogar ao ETERNO confiando em Seu favor (misericórdia), sendo grato em tudo – “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante do ETERNO pela oração e súplica, com ação de graças*” (Fp 4:6).

* Você se livrou dos dízimos por ser antibiblico, mas agora se esquece do OFERTAR? [Rm 15:27]  Agindo assim – com ganancia – você crê que seja merecedor de Suas dádivas? Leia II Co 9:6-15 para ver que as bênçãos do OFERTAR são até mesmo maiores das que são prometidas aos sacerdotes de Ml 3:10.

Um exemplo de confiança, encontramos em Habacuque que, após o ETERNO revelar que haveria de punir Yaoshor’ul através de homens ímpios, expressou a sua gratidão dizendo: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei em YAOHUH; exultarei no UL (criador) da minha salvação” (Hc 3:17-18).

Portanto, ‘oração e súplica’ significa ‘confiança na misericórdia’, como lemos:

A oração de Hab’koak

Hab’koak 3

1Esta é a oração de triunfo que Hab’koak cantou perante o Criador: 2Óh UL, agora ouvi a Tua Palavra, e te adoro pelas coisas tremendas que vais realizar. Nestes tempos de profunda angústia, ajuda-nos novamente, tal como fizeste há anos atrás. Mostra-nos o Teu poder em nos socorrer. Na Tua ira, lembra-te da misericórdia. (Hc 3:1-2).

Habacuque expressou a sua confiança no CRIADOR (oração) confiado na misericórdia (súplica).

Quando é dito: “Perseverai em oração, velando nela com ação de graças“ (Cl 4:2), o apóstolo Sha’ul está recomendando permanecer confiando, ou seja, não se demovendo da confiança no ETERNO – “Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração” (Rm 12:12).

Muitos interpretam oração como sacrifício, penitência, no entanto, o termo oração não deve ser visto como entendem os gentios: vãs repetições; rezas; terços; correntes; “orações no monte”, em plena madrugada, como fazem os pentecostais; etc.

Quando a mulher cananéia rogou por misericórdia e foi provada por Cristo, persistiu com toda devoção (oração) e súplica, dizendo: “Mestre, socorre-me!” (Mt 15:25). Ela assumiu a sua penúria diante daquEle que podia socorrê-la.

Do ponto de vista bíblico, quem faz um rogo ao ETERNO, é por que confia no ETERNO, de modo que, através de um recurso linguístico, a metonímia, o termo oração passa a denotar confiança [você não vai ao médico, se não confia nele]!

A mulher cananeia expressou a sua confiança em Cristo com as seguintes palavras: – “Mestre, Filho de Dao’ud, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada” (Mt 15:22). O rogo pela misericórdia do Filho de Dao’ud (YAOHU’SHUA) constitui oração e súplica, entretanto, pela natureza do pedido, esta mesma súplica constitui-se adoração; pois o teor do pedido só pode ser realizado pelo ETERNO, na pessoa do Seu Filho, o Verbo Yaohu’shua! Jo 1:1-3,14, 18.

Quando lemos: ‘orando em todo o tempo’, o sentido é – ‘confiar sempre, continuamente’, com plena confiança. O termo que foi traduzido por “súplica” remete à misericórdia divina, pois quem assume a condição de necessitado, é porque espera por misericórdia! Em outras palavras, os apóstolos recomendam aos cristãos que façam orações com plena confiança na misericórdia do ETERNO.

Por isto, a oração do ponto de vista bíblico pode assumir o valor de devoção. Mas, vale destacar que há devoção e devoções. A devoção de um indivíduo pode ser real, entretanto, se o objeto de devoção é falso [como a trindade], temos a idolatria, que resulta em nada. Mas aquEle que nutre devoção ao ETERNO, tem a oração bíblica verdadeira; não egoísta: “Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica, em espírito; e vigiando nisto, com toda a perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6:18).

Quando Yah’kof afirmou de Uli’yah que com fervor orou, o sentido é – com confiança rogou (Tg 5:17), de modo que o termo oração assumiu o sentido de ‘confiança’, ‘devoção’! Você pede porque confia: “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” Ef 3:20.

Repetimos a pergunta: Então, por que o ETERNO nem sempre responde às petições de todos? Já vimos várias razões, mas fica a pergunta: você tem certeza de que o ETERNO te ouve, se pedir alguma coisa, segundo a Sua vontade? O verbo ‘ouvir’ na frase significa atender.

Esta deve ser a crença do cristão – antes de abrirmos a boca, o ETERNO já sabe o que havemos de pedir (Mt 6:8), portanto, não é necessário repetir diversas vezes o que se quer, para ser atendido (Mt 6:7). Não distorça o sentido da parábola do Juiz [Lc 18:1-8 – lembre-se, aquele juiz era iníquo, dai a necessidade de se insistir, mas o PAI conhece o seu coração e por isto, peça e descanse] ou da colocação de Sha’ul aos tessalonicenses (I Ts 5:17)… Suas ‘repetições’ constante estão demonstrando a sua falta de confiança nEle!!!

 “Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos do ETERNO – se pedirmos alguma coisa de acordo com a Sua vontade*, Ele nos ouve” (I Jo 5:14).

*OBS: Onisciência.

O que o evangelista Yaokhanan expressou neste verso? Se o crente pedir ao ETERNO para ganhar na loteria o ETERNO há de conceder? Alguém pode argumentar que não, pois este não é um pedido lícito (quantos não estão pedindo a mesma coisa?). E se o crente pedir uma casa? Alguém pode objetar dizendo: Mais tal pedido é para deleite próprio. Por isto, até aquelas frases nos vidros de muitos carros [propriedade de jesus”] se torna ofensivo à Ele! Sem falar nas frases ostentadas: “deus é fiel” e eu lhe pergunto, e você, é fiel???

Por isto, qual pedido o ETERNO ouve? Qual pedido é de acordo com Sua vontade?

O evangelista Yaokhanan estava demonstrando que todo aquEle que crê em Cristo é nascido do ETERNO (I Jo 5:1), ou seja, é filho (I Jo 3:1). Em seguida, enfatiza o seu objetivo – “Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes, no Nome [que Nome?] do Filho do ETERNO, para que saibais que tendes a vida eterna e para que creiais no Nome do Filho do ETERNO” (I Jo 5:13).

Ou seja, tudo o que o evangelista estava demonstrando, era que os cristãos já estavam de posse da vida eterna, pois haviam crido no Nome de Yaohushua. Pois o ETERNO deu a vida eterna: o seu Filho Yaohu’shua hol’Mehushkyah (I Jo 5:11), de modo que quem tem a Cristo, tem a vida eterna (I Jo 5:12).

Se confiamos no ETERNO, que se pedirmos algo segundo a Sua vontade, Ele concede/ouve (I Jo 5:14), e que a vontade d’Ele é que todos se salvem e venham ao conhecimento da Verdade (I Tm 2:4), certo é que se pedimos vida eterna (I Jo 5:15), já alcançamos, visto que sabemos que nos ouve e temos os pedidos atendidos: temos a vida eterna! Isto demonstra que o nosso objetivo é alcançarmos a Vida [glória] e não gozarmos da vida (graça)!

A exposição joanina tem o condão de demonstrar que o crente já alcançou o que pediu – salvação! Portanto, o ETERNO responde igualmente o pedido de todos que O invocam, através de Seu Filho, Yaohu’shua: “Porque todo aquEle que invocar o nome do CRIADOR será salvo” (Rm 10:13); “E acontecerá que todo aquEle que invocar o nome do CRIADOR será salvo” (At 2:21); “E há de ser que todo aquEle que invocar o nome do CRIADOR será salvo; porque no monte Sião e em yashua’oleym haverá livramento, assim como disse o CRIADOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o CRIADOR chamar” (Jo 2:32).

Com relação à salvação o ETERNO responde a todos igualmente; portanto, com relação à vida eterna a pergunta ‘por que o ETERNO não responde a petição de todos’ é sem fundamento e descabida; basta estar no Caminho!

Para salvar, as mãos do ETERNO sempre estão estendidas e os seus ouvidos abertos à petição dos homens, entretanto, o ETERNO não ouve aqueles que em lugar de invocar o nome do CRIADOR, procuram alcançar o Seu favor através de sacrifícios, penitências, rezas, rogos, orações, votos, etc. “Certamente, o braço do CRIADOR não está encolhido para salvar, nem seu ouvido fechado para ouvir. Mas suas iniquidades separaram vocês do ETERNO. Seus pecados esconderam a face dEle de vocês, então Ele não os irá ouvir” (Is 59:12).

Repito: tudo o que for pedido será concedido?

O verdadeiro crente sabe que é salvo porque neste quesito o ETERNO o atendeu, porém, quando diante de uma vicissitude ou calamidade, deve proceder como Marta, que apesar de seu irmão ter morrido e estar sepultado há quatro dias, permaneceu crendo que Yaohushua era o Filho do ETERNO.

Embora Lázaro estivesse na sepultura, a confiança de Marta em Yaohushua não se extinguiu e nem ficou abalada, conforme se lê – “Mas também agora sei que tudo quanto pedires ao ETERNO, ELE to concederá” (Jo 11:22). A morte de Lázaro não trouxe inquietação sobre Marta, que naquEle momento difícil confessou – – “Sim, Mestre, creio que tu és o Cristo, o Filho do ETERNO, que havia de vir ao mundo” (Jo 11:27).

Os discípulos nutriam a sua confiança no ETERNO, porém, da mesma forma que confiavam no Pai, Yaohushua orienta os Seus seguidores a confiarem n’Ele (Jo 14:1).

Enquanto Yaohushua estava no mundo, tudo o que os discípulos rogavam, rogavam ao Pai e tudo que era concedido era concedido pelo Pai, pois tudo era realizado pelo ETERNO – “Mas Yaohushua respondeu e disse-lhes – Na verdade, na verdade, vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto Ele faz, o Filho o faz igualmente” (Jo 5:19; cf. 8:28).

Porém, próximo da Sua partida, Yaohushua procura demonstrar aos Seus discípulos que, da mesma forma que pediam ao Pai, agora podiam pedir ao Filho, pois se pedissem alguma coisa em Nome de Cristo, Ele mesmo haveria de realizar, pois tudo o que o Pai realiza, o Filho realiza igualmente.

Agora que Cristo estava retornando à sua glória, tudo que fosse pedido, o Filho haveria de realizar, para que o Pai fosse glorificado através de Cristo. A ideia contida no verso 13, de Jo 14, é que Yaohushua, e não o ETERNO [e nem mesmo o falso deus, ‘espirito santo’], que haveria de realizar tudo o que fosse pedido. Antes era o Pai que realizava, mas para que o Pai fosse glorificado, o Filho passaria a realizar tudo.

A ênfase do texto não está em que Cristo há de realizar tudo o que for pedido, mas o que for concedido é Cristo que haverá de realizar: “E tudo quanto pedirdes em Meu Nome [Yaohu’shua] Eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em Meu Nome, eu o farei” (Jo 14:13-14).

Os discípulos ainda não pediam a Cristo, somente ao Pai, de modo que Ele alerta que podiam pedir diretamente a Ele, e Ele haveria de atender – “E naquele dia nada me perguntareis. Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em Meu Nome, Ele vo-lo há de dar. Até agora nada pedistes em Meu Nome; pedi e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra. Disse-vos isto por parábolas; chega, porém, a hora em que não vos falarei mais por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai. Naquele dia pedireis em Meu nome e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai*” (Jo 16:23-26).

*Nas ‘almeidas’ esta passagem em destaque (negrito) é confusa; por isto devemos recorrer à ESN – Escrituras Sagradas segundo o Nome: 25-28Falei nestas coisas por meio de parábolas, mas, virá o tempo em que isso não será necessário e em que de forma bem clara vos revelarei YAOHU’ABI. Então poderão apresentar os vossos pedidos em Meu Shuam (Nome). E não será preciso Eu pedir a YAOHU’ABI por vós, pois o próprio YAOHU’ABI vos tem grande amor por me amarem e crerem que venho dEle. Sim, vim de YAOHU’ABI a este mundo, e deixarei o mundo para voltar para YAOHU’ABI.

Yaohushua estava demonstrando que não mais rogaria ao Pai pelos discípulos, antes Ele mesmo atenderia às petições. E, caso alguém não soubesse o que pedir, que ELE, em espirito*, haveria de interceder com gemidos inexprimíveis – “E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis“ (Rm 8:26).

*Lembre-se que a Sua promessa foi de que não os deixaria sós, antes: Voltarei para vós… Jo 14:18 Isto, Ele cumpriu no pentecostes, ao voltar sobre os apóstolos – e sobre nós – em espirito, onipresente. At 2; por isto Ele disse: “ Onde estiver dois ou três reunidos, em Meu Nome, lá [EU] estarei no meio de vós. Mt 18:20. Como? Em espírito!!!

Quando Yaohushua disse – “Se vós estiverdes em mim e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito” (Jo 15:7), estava enfatizando a sua capacidade de realizar igualmente tudo o que o Pai realizava, e não que haveria de atender todo e qualquer pedido; além de apresentar uma condicional: Se estiverdes em Mim!!!

Reafirmando, o que dizer das orações “não respondidas”?

O crente deve estar consciente que tudo acontece igualmente aos justos e injustos (Ec 9:2), que o tempo e a sorte ocorre a todos (Ec 9:11), e que há um tempo determinado para todas as coisas (Ec 3:2). É imprescindível considerar que o ETERNO fez o dia da adversidade em oposição ao dia da bonança (Ec 7:14), e que o dever de todo homem é obedecer ao ETERNO (Ec 11:13).

Se o crente orar ao ETERNO considerando as questões acima, ou seja, se não pedir que o ETERNO quebre a Sua Palavra expostas em alguns dos quesitos acima, certamente receberá o que pedir.

Oração do tipo: – ‘ETERNO, eu te obedeço, portanto, responda a minha oração’, é sem efeito, pois obedecer ao ETERNO é dever de todo homem. Rogar ao ETERNO: – ‘’UL’HIM, mude a minha ‘sorte’, certamente não será atendido, pois a ‘sorte’ ocorre a todos’’.

É comum vermos jogadores de futebol que se dizem cristãos fazendo preces quando entram em campo para que o ETERNO lhes seja favorável. Este tipo de ‘oração’ o ETERNO não atende, pois Ele jamais favorecerá alguém em uma demanda em função de uma oração ou de uma promessa. Se nem o pobre o ETERNO favorece em demandas, que se dirá em questões de probabilidades (sortes) – Ex 23:3.

Oração que visa transtornar qualquer elemento das questões enumeradas acima não será atendida, pois o ETERNO não favorece ninguém em detrimento do próximo. Quando lemos: “E tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis” (Mt 21:22), devemos considerar que os pedidos que se enquadram nas questões acima não serão concedidos…

Quando é dito: ‘Se tiveres fé’ (Mt 21:21), expressa o mesmo registrado em Marcus: ‘Tende fé no ETERNO’ (Mc 11:22). O termo grego traduzido por ‘fé’ é um substantivo e, em Matt’yaohuh, tem o significado de Verdade, fidelidade, ou seja, diz do dom do ETERNO. Se o homem está de posse da Verdade do evangelho e não duvida, fará o impossível; daí a alusão de transportar os montes para o meio do mar. Que impossível será feito em você? A resposta: a sua Salvação; milagre muito superior ao de uma figueira que murchou imediatamente (Mt 19:26).

Certamente, as pessoas justas e injustas ficam doentes e morrem. Problemas financeiros advêm sobre todos e toda sorte de vicissitudes são passíveis de acontecer na vida de qualquer um.

O que fazer então?

Perseverar com alegria, confiando no ETERNO! Aquele que confia plenamente no ETERNO aprende a contentar-se com o que tem. Não ambiciona coisas altas, antes se acomoda às simples. Saberá ser servo ou príncipe; ter falta ou abundância, pois sabe que pode suportar todas as coisas, em Cristo.

Em Cristo, o crente está apto a confessar com segurança, como Hananias, Misael e Azarias:

“Responderam Sadraque, Mesaque e Abedenego* e disseram ao rei Nabucodonosor – Não necessitamos de te responder sobre este negócio. Eis que o nosso UL’HIM, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; Ele nos livrará da fornalha de fogo ardente e da tua mão, ó rei. E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus ídolos, nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste” (Dn 3:16-18).

*OBS: Nomes idólatras dados a Hananias, Misael e Azarias.

Quando fazemos um pedido ao ETERNO, temos que considerar que Ele pode nos livrar [dar] ou não conceder o que pedimos, mas se não formos atendidos, que o nosso dever é permanecer firme, crendo que Yaohushua é o Filho do ETERNO. Além de que a nossa aflição – que julgamos ser justa e passível de ser atendida – pode ser nada em nossas vidas; pois o ETERNO nos conhece e assim, julga pelo sim ou pelo não!

Certamente com o passar do tempo – aflição –  aquilo vai se desvanecendo e assim, quando menos esperamos, deixamos de ver naquilo, algo de extrema relevância… Foi esta a resposta divina para você!

Por isto, se as nossas petições não forem respondidas, temos que considerar que tudo concorre para o bem daqueles que obedecem ao ETERNO (Rm 8:28). Se não alcançamos o que pedimos, é porque o que pedimos visava a um deleite humano. “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites” (Tg 4:3). Ou até mesmo exigia do ETERNO que não respeitasse o Livre Arbítrio de alguém, quando ‘intercedemos’ por elas [ao orar por alguém – para que ela mude de caráter, por exemplo; ou que aceite ao nosso Criador e Redentor –  você deve antes, pedir-lhe permissão para que o ETERNO possa agir], você não pode pedir algo que invada sua vontade!

Também antes de pedirmos algo em oração, devemos ter em mente que o ETERNO jamais concederá o que pedirmos se for contrário à Sua justiça. Mehu’shua fez um pedido errado [mesmo que lhe parecesse justo], quando rogou que o CRIADOR perdoasse o povo; caso contrário que apagasse o nome dEle do livro da vida: “Agora, pois, perdoa o seu pecado, se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito” (Ex 32:32).

Geralmente, quando o homem fica ansioso, é por questões desta vida, como casa, carro, casamento, família, emprego, etc. Nada nos impede de rogarmos ao ETERNO e apresentarmos os nossos anseios, porém, sempre que rogarmos, que seja sempre com ação de graças – “Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o CRIADOR. Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas e com ação de graças, apresentem seus pedidos ao ETERNO. E a paz do ETERNO, que excede todo entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Yaohu’shua hol’Mehushkyah” (Fp 4:5-7).

A atitude correta: “CRIADOR, me conceda …, mas se não me atender, contudo me alegrarei em Ti, ó UL da minha salvação” Hb 3:18.  “Lancem sobre Ele toda ansiedade, porque Ele tem cuidado de vocês” (I Pd 5:7).

Os personagens listados em Hb 11, praticaram coisas incríveis e outros sofreram coisas terríveis, mas todos permaneceram fiados no ETERNO: “Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos. As mulheres receberam pela ressurreição os seus mortos; uns foram torturados, não aceitando o seu livramento, para alcançarem uma melhor ressurreição; E outros experimentaram escárnios e açoites e até cadeias e prisões. Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de pEles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados (Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos e montes e pelas covas e cavernas da terra. E todos estes, tendo tido testemunho pela fé, não alcançaram a promessa*, Provendo O ETERNO alguma coisa melhor a nosso respeito, para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados” (Hb 11:33-40).

*Ninguém destes personagens (e nenhum outro), foram para céu (doutrina antibiblica, advinda do paganismo greco-romano.

Este foi o lema destes homens postos por exemplo: “Confie nEle todo o tempo, ó povo. Coloque diante dEle o coração, pois Ele é o nosso refúgio” (Sl 62:8).

Embora o ETERNO tenha dado testemunho destes homens, conforme consta nas Escrituras, eles não alcançaram a promessa [continuam no pós da terra, aguardando a ressurreição que só ocorre na Volta do Messias – I Ts 2:14], mas, nós que cremos em Cristo, apesar das aflições deste tempo presente, temos alcançado coisa melhor, a ponto de o apóstolo Sha’ul dizer que as aflições não são para se comparar com a glória que em nos será revelada (Rm 8:18).

Esta é a confiança daqueles que estão em Cristo, ou seja, que são uma nova criatura: “Se vocês permanecerem em Mim e as Minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido” (Jo 15:7 e 17). Percebe a condição?

O que devemos pedir? Yaohushua está demonstrando que temos plena liberdade para pedir e não que tudo será concedido.

Mas, se o crente pedir a Cristo para produzir fruto, certamente o ETERNO concederá, pois o fruto que o crente produz redunda em glória ao ETERNO (Jo 15:8); pois para isso o crente é escolhido e comissionado: produzir frutos (Jo 15:16), ou seja, o fruto é anunciar – evangelizar – as virtudes de Cristo: “Mas vós sois a geração Eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquEle que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (I Pe 2:9).

Qualquer que confessa a Cristo, glorifica ao ETERNO, ou seja, oferece sacrifício de louvor: “Portanto, ofereçamos sempre a Ele, o ETERNO, sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o Seu Nome” (Hb 13:15); “AquEle que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquEle que bem ordena o seu caminho, eu mostrarei a salvação do ETERNO” (Sl 50:23).

O termo ‘oração’, em sentido mais lato, inclui todas as formas de comunhão com o ETERNO. Abrange a adoração, o louvor, o agradecimento, a súplica e a intercessão!

Espera no CRIADOR!

Esperar no CRIADOR [Yaohu’shua, o Verbo – Jo 1:1-3, 14; Hb 1:2; Cl 1:15-2] significa entregar a Ele todas as suas inquietações e depositar n’Ele toda sua confiança, independentemente de qualquer coisa que aconteça. Frequentemente os textos bíblicos dizem de alguma forma a frase – “Espera no CRIADOR”. Esperar no CRIADOR é um exercício de paciência e fé.

Mas há muitas pessoas que realmente não entendem tudo o que implica o ensino bíblico de que devemos esperar no CRIADOR. Isso acontece principalmente porque o tempo de espera no CRIADOR frequentemente é um período longo e angustiante para quem não tem a Sua paz – Jo 14:27.

O significado de ‘esperar’ expressa o sentido de confiança e expectativa. Quando as Escrituras dizem “espera no CRIADOR” isso significa que o crente deve ter plena esperança no ETERNO; Ele deve contar fielmente com a ação divina. Essa espera não é uma espera comum, mas uma espera com fé.

Consequentemente, aquEle que espera no CRIADOR não desiste no meio do caminho; não toma decisões por sua própria força; e não cede aos desejos de sua própria vontade. Ao ‘esperar no CRIADOR’, o cristão tem por certo que no momento adequado, o socorro divino virá. Esse momento, no entanto, não é fundamentado na pressa humana, mas no propósito e onisciência do ETERNO.

O salmista Dao’ud foi um dos escritores bíblicos que mais escreveu sobre a necessidade de ‘esperar no CRIADOR’. No Salmo 27, por exemplo, ele declara – “Eu creio que verei a bondade do CRIADOR na terra dos viventes. Espere no CRIADOR. Seja forte! Coragem! Espere no CRIADOR” (Sl 27:13,14).

Outros salmos também instruem o crente a esperar no CRIADOR em qualquer circunstância. O autor do Salmo 130 diz: “Aguardo ao CRIADOR; a minha vida O aguarda, e espero na Sua Palavra” (Sl 130:5). Em seguida, o mesmo autor convoca o povo do CRIADOR a esperar por Sua provisão – “Espere Yaoshor’ul no CRIADOR, porque no CRIADOR há misericórdia, e nEle há abundante redenção” (Sl 130:7; cf. Sl 131:3).

Esperar no CRIADOR inclui ser perseverante no sofrimento… Em certo momento de sua vida, Dao’ud escreveu: “Esperei com paciência no CRIADOR, e Ele Se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor” (Sl 40:1). No texto hebraico dessa frase há uma ênfase muito grande no conceito de ‘esperar no CRIADOR’ por um longo tempo em meio à angústia.

O crente deve ‘esperar no CRIADOR’ em meio ao sofrimento sem desistir, aguardando o tempo da resposta do ETERNO; sem deixar de se examinar e ver se realmente a sua petição é justa. Enquanto o crente ‘espera no CRIADOR’, sua fé é verdadeiramente provada, aperfeiçoada e aprovada. Mas, saiba, a demora’ não tem nenhum propósito de “prová-lo” [Tg 1:13], mas sim de lhe responder (ou não) no temo oportuno… Como vimos, muitas petições realmente não são importantes para a nossa salvação; são apenas para o nosso deleite!

O apóstolo Sha’ul escreve que os redimidos se gloriam também nas tribulações [provenientes de satan, não do ETERNO]; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência produz a experiência, e a experiência produz a esperança. Essa esperança, porém, jamais traz confusão. Isso porque ela é uma certeza infalível cuja base está no amor do ETERNO derramado nos corações dos crentes pelo próprio CRIADOR que agora habita em você (Rm 5:3-5).

O que ‘espera no CRIADOR’ jamais é confundido:

Dao’ud, mais uma vez falando sobre a importância de ‘esperar no CRIADOR’, diz algo que se harmoniza com o que Sha’ul escreve. Ele afirma: “Na verdade, não serão confundidos os que esperam em ti; confundidos serão os que transgridem sem causa” (Sl 25:3).

As pessoas que vivem longe da vontade do CRIADOR muitas vezes demonstram ter um suposto controle de suas vidas. Aos olhos humanos, o ímpio até parece ser dono do seu próprio caminho ao aparentemente viver uma vida estável, em habundância. Mas tudo isso é ilusão. Na verdade o ímpio vive uma permanente confusão e uma completa ausência da verdadeira esperança. Na realidade vive entre “medos”!

O homem mau transgride a Lei do ETERNO e sente prazer nisso, pois pensa estar fazendo um bom negócio [observe um ’crente’ enchendo o peito para falar contra o sábado; até mesmo cita as Escrituras – evidentemente fora do contexto – para sustentar os seus “eu acho”]. Ele vive como se o dia do juízo jamais fosse chegar. Mas aquele que espera no CRIADOR não apenas confia em Seu socorro misericordioso, mas também confia que em breve a santa ira divina será derramada sobre os pecadores impenitentes. O crente que espera no CRIADOR nunca ficará confundido quanto a essas coisas.

Tg 1:5-7 – Se algum de vós tem falta de sabedoria, roga ao ETERNO, que a todos concede liberalmente, com grande alegria. Todavia, peça-a com fé, sem qualquer sombra de dúvida, pois quem crê com reservas é semelhante à onda do mar, agitada e levada pelos ventos. Não imagine tal pessoa que assim receberá coisa alguma do CRIADOR,

Quem espera no CRIADOR possui um alvo superior:

As Escrituras Sagrada contrasta o ímpio que se entrega às vaidades enganosas com o justo que confia no CRIADOR (Sl 31:6). A prosperidade e o sucesso daqueles que confiam na força de seus próprios braços são realidades frágeis e passageiras, mas aquele que espera [confia] no CRIADOR e guarda o Seu Caminho é herdeiro de uma bem-aventurança eterna (Sl 37).

O sábio escritor de Provérbios exorta seus leitores a nunca buscar vingança pessoal, mas esperar pelo CRIADOR que d’Ele vem o verdadeiro livramento (Pv 20:22). Ainda no livro de Provérbios, o escritor bíblico aconselha o crente a confiar no CRIADOR de todo seu coração, e jamais se apoiar em seu próprio entendimento (Pv 3:5).

O povo do ETERNO não apenas espera n’Ele por um socorro temporal nesta vida, mas por um livramento definitivo e eterno [o Reino da Glória]; ao contrário daqueles que enchem o peito [Rm 1:22] para dizerem que estão vivendo no “Reino da Graça”! Pobres criaturas… Numa profecia com implicações escatológicas, o profeta Yashua’yah diz – “Nesse dia o povo proclamará: Este é o nosso UL, por quem esperávamos. E ele nos salvou! Este é UL, em quem nós confiamos. Na sua salvação nos alegraremos e teremos satisfação!” (Is 25:9 – ESN).

Yah’kof escreve que a vida do verdadeiro cristão deve ser marcada pela espera no CRIADOR. Isso porque o grande desejo do crente diz respeito ao tão aguardado dia do retorno de Cristo. Portanto, os santos devem ser pacientes até que esse dia venha (Tg 5:7-8). Além disso, o próprio Yaohushua, na parábola das Dez Jovens (‘virgens’ nas corruptas ‘almeidas’), indica que essa espera deve ser zelosa, perseverante e vigilante (Mt 25:1:13). O crente deve esperar no CRIADOR, até o fim. Lembre-se: ”Porque a visão é ainda para o tempo determinado, mas se apressa para o fim, e não enganará; se tardar, espera-O, porque certamente virá, não tardará. ” (Hc 2:3)

Em muitas passagens do salmos 42 [tehillim] vemos muitas emoções em conflito. Emoções como tristeza, alegria, incredulidade e incerteza permeiam neste salmo. No começo deste salmo a confiança no ETERNO conflita com a dúvida da incerteza do futuro; como é próprio do ser humano tais ’dúvidas’ (Sl 42:3, 6, 8). No entanto o salmista termina com uma certeza: “Confia em YAOHUH! Pois que ainda o louvarei. Ele é a minha salvação! Ele é o meu UL! Vs. 11.

Aquele que espera no ETERNO deve entender o tempo do ETERNO em sua vida. E o tempo do ETERNO não pode ser medido, como o nosso tempo. Na linguagem grega este tempo se chama KAIROS, que para os cristãos é o tempo da plenitude do ETERNO.

Shua’olmoh disse no livro de eclesiastes que há um tempo para tudo e um tempo para todo propósito debaixo do céu (Ec 3:1 ). Muitas pessoas não tem paciência em esperar esse tempo. Muitas pessoas não tem paciência em ‘esperar no ETERNO’, por isso se precipitam em suas ações. Diz a palavra do ETERNO que peca quem é precipitado (Pv 19:2).

É normal que haja conflito em nossas emoções quando estamos debilitados na nossa vida, e que a precipitação queira tomar conta de nossa vida. Muitas vezes o nosso EU diz: “Faça Hoje!”, mas o CRIADOR quer também nos dizer: “espere no tempo certo”.

Talvez muitas vidas tivessem outro destino. Podemos citar o caso da precipitação de Abrul’han com Agar (Gn 16 e 21). Cuja precipitação trás consequências ainda hoje, pois de Yshma’ul veio os árabes!

O que seria do destino da nação yaoshorul’ita se tivessem esperado o tempo oportuno do ETERNO e reconhecido Yaohushua como Messias? Não estaríamos vivendo com este conflito entre árabes e israelenses. Ambos povos irmãos… Cristo já poderia ter voltado e SE TIVESSE VOLTADO, certamente NÓS não teríamos nascidos e tido a oportunidade de conhecê-LO… Tudo ao Tempo do ETERNO e na onisciência dEe. Amnao!!!

Quando a paciência perde lugar para a ansiedade o que podemos ver que é um resultado contrário ao propósito e as promessas do ETERNO em nossa vida. Uma atitude precipitada muitas vezes impede que as bênçãos do CRIADOR venham em nossa vida.

Muitas pessoas por não querer esperar o tempo do ETERNO acabam tomando decisões precipitadas em várias áreas de sua vida; por exemplo, no casamento: escolhem seus pares, e DEPOIS disto vão em busca das bênção de uma cerimônia de casamento (isto se acontecer, pois até isto está fora de ‘moda’) ou seja, literalmente “colocaram o carro na frente dos bois” e depois exigem Suas bênção; e, se o casamento não der certo, clamam por: “o que ‘deus ‘ uniu, não separe o homem”… Como? Se a escolha foi deles, e não do ETERNO! Precipitação…

Vemos isso não só em relacionamentos mas também no trabalhos temporal e até no serviço da própria igreja do CRIADOR. Hoje, se muitas pessoas tivessem uma outra chance e uma nova oportunidade de refletir, gostariam de voltar atrás em muitas de sua decisões [Livre Arbítrio é isto: Você escolhe e depois arca com as consequências: Boas ou más]! Sendo assim,  muitos – hoje – prefeririam “esperar no ETERNO, o Seu tempo”.

O profeta Yarmi’yah também passou por sofrimento e vivendo um conflito de emoções em sua vida, dá uma dica para aqueles que querem ‘esperar no ETERNO’, mesmo em meio as aflições:

Diz ele [a palavra do ETERNO]: A minha vida passarei a viver numa completa vergonha. Mas, há ainda um raio de esperança: é que as misericórdias de UL não têm fim. (Lm 3:20, 21). Pois uma pessoa cheia de esperança pode superar quase tudo!

Pense nas coisas do Alto (Cl 3:2)

Enquanto olharmos para a situação, nunca alcançaremos a salvação (libertação) que vem do CRIADOR. Trazer à memória é fazer voltar o coração ao tempo das boas lembranças. É recordar dos bons momentos, até porque a nossa vida não se resume em aflições, mas também de momentos de felicidade e alegria. No entanto, é olhar para frente e não para trás que nos fará vencer (não chore pelo leite derramando). É o saber que o melhor do ETERNO ainda está por vir. É o saber que o CRIADOR é bom e sua misericórdias não tem fim, elas se renovam a cada manhã.

Não olhando para a “terra arrasada e assolada”, mas olhando com os olhos da fé, como Abrul’ham. Devemos olhar pela fé, a nossa vida construída e alicerçada no ETERNO. Devemos olhar para o alto, para o autor e consumador de nossa fé, YAOHUSHUA, para que possamos enxergar e esperar um futuro com confiança no ETERNO, pois só Ele é capaz de fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos (Ef 3:20). Eu, porém, olharei para o CRIADOR; esperarei no UL da minha salvação; o meu CRIADOR me ouvirá (Mq 7:7).

Mais uma vez, quantas vezes devemos orar a respeito de um pedido, uma única vez ou devemos reforçar o pedido dia após dia até conseguir? Se insistirmos, não estamos demonstrando falta de fé? Por isto: Como saber até quando insistir em um pedido em oração? Essa dúvida pode ocorreu inúmeras vezes, e este dilema se aprestar novamente. Como proceder nas orações?”

Yaohushua contou uma parábola para ensinar que devemos pedir com insistência até ter o nosso pedido atendido? Veja:

“Disse-lhes ainda Yaohushua – Qual dentre vós, tendo um amigo, e este for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, pois um irmão, chegando de viagem, procurou-me, e eu nada tenho que lhe oferecer. E o outro lhe responda lá de dentro, dizendo: Não me importunes; a porta já está fechada, e os meus filhos comigo também já estão deitados. Não posso levantar-me para lhe dar; …digo-vos que, se não se levantar para dar-lhos por ser seu amigo, todavia, o fará por causa da importunação e lhe dará tudo o de que tiver necessidade” (Lc 11:5-8).

A lição desta parábola não é que devemos persistir em oração; não devemos bater à porta do ETERNO até obrigá-lo pelo cansaço a nos dar o que queremos; até que O forcemos a nos responder. O que Yaohushua nos ensina é que se até ‘um dono de casa rude e indisposto, no final pode ser pressionado pela persistente inconveniência de um amigo a lhe dar o que deseja; quanto mais o ETERNO, que é um Pai que não precisa de ser pressionado para dar aos Seus filhos; suprindo – por Amor –  as necessidades de seus filhos?’ ‘Se vocês que são maus’, disse Yaohushua, ‘sabem que estão obrigados a suprir as necessidades de seus filhos’, quanto mais o ETERNO [que é bom] não o sabe?’

Isto não nos absolve da ‘intensidade’ [suplica] na oração. Só podemos garantir a necessidade e a sinceridade do nosso desejo, pela paixão com que oramos; e isto mostra que não estamos obtendo dons de um PAI indisposto, mas sim dirigimos a Alguém que conhece nossas necessidades melhor do que nós mesmos; e cujo coração transborda de amor generoso por nós. Se não recebermos aquilo que pedimos em oração, não é porque um PAI mal-humorado, caprichoso, se negue a nos dar isso, mas sim porque tem algo melhor para nós. Portanto, não há tal coisa como ‘oração sem resposta’! A resposta que nos dá pode ser que não seja a resposta desejada ou esperada; até mesmo um ’silencio’ pode ser a resposta! Mesmo que nossos desejos sejam negados, esta foi a resposta do amor e da sabedoria do ETERNO.

Apegue-se as promessas: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á” (Mt 7:7). Mas depois desta promessa, leia as condições: “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram. Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores” vs 13-15. Fuja das falsas doutrinas e esteja apto a Receber!

“Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos do ETERNO: se pedirmos alguma coisa de acordo com a Sua vontade [Palavra], Ele nos ouve” (I Jo 5:14).

“Se vocês permanecerem em Mim, e as Minhas Palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido. (…) Se vocês obedecerem aos Meus Mandamentos [são 10, não 9 como ensinam os pentecostais – Tg 2:10], permanecerão no Meu amor, assim como tenho obedecido aos Mandamentos de Meu Pai e em Seu amor permaneço. Tenho lhes dito estas Palavras para que a Minha alegria esteja em vocês e a alegria de vocês seja completa” (Jo 15:7, 10, 11).

Portanto, o grande segredo para o crescimento na graça [bênçãos no ’agora’; não no porvir (glória)] é manter um relacionamento vivo com Cristo, através do estudo diário das Escrituras, da prática da oração, do testemunho cristão, participação dos cultos e evangelismo na comunidade de fé e com ações de graça (ofertas). Por meio das Escrituras Sagradas, Yaohu’shua trabalha [Jo 5:39] para ajustar nossa mente à mente divina; nossos anseios à vontade do ETERNO; nossos planos ao plano divino. Desse modo, as nossas orações, em certo sentido, refletirão a própria vontade do ETERNO. E caso nossa natureza nos atrapalhe a expressarmos nossos sentimentos e vontade, e nos leve a pedirmos algo que não esteja em conformidade com a vontade do ETERNO, podemos ter a certeza de que Yaohu’shua – nosso intercessor –  trabalha em nosso favor.

“Também o Espírito [Yaohu’shua, onipresente desde o pentecostes], semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito [Yaohu’shua] intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Rm 8:26 cf. I Tm 2:5).

Desse modo, não devemos deixar de orar, mas devemos buscar respostas na Palavra do ETERNO para podermos compreender Sua vontade sobre determinadas coisas ou pedidos que fazemos e assim,  não ficarmos insistindo em algo que ANTES de TUDO dependa da nossa atitude para com o ETERNO. Todas as nossas orações, quando feitas com fé, são respondidas por um UL’HIM solícito e pronto a nos abençoar. Mesmo que a resposta seja negativa, Ele responde da melhor maneira a nos proporcionar o bem supremo e a vida eterna! Agora abra a sua Escritura e leia Tg 1, completo… Amnao!

NOTA:

Orar com as mãos juntas vem do paganismo grego e principalmente do budismo; por isto, PARE de usar estas mãozinhas em suas mensagens na redes…

CYC – Congregação Yaoshorul’ita oCaminho

www.cyocaminho.com

Seja um Rosh (líder Congregacional); faça o CTA: Curso de Teologia Aplicada – CLIC!

Dúvidas:

Formulário de Contato